Acompanhamento de gestante na farmácia

acompanhamento de gestante na farmácia

O acompanhamento de gestante na farmácia é um serviço que os farmacêuticos podem oferecer para garantir ainda mais segurança na monitorização da saúde da gestante.

A gestação pode durar até 42 semanas e provoca dezenas de mudanças, decorrentes de causa multifatorial, no corpo de uma mulher. Tudo com um único objetivo: gerar um novo ser humano. 

A dúvida sobre a gravidez geralmente está associada ao atraso menstrual, mas algumas mulheres podem apresentar alguns sintomas como: sensibilidade ou dor nas mamas, náusea, fadiga, sonolência, entre outros.

O diagnóstico clínico da gravidez é feito pelo médico e consiste na associação entre a história clínica da paciente, anamnese e os resultados laboratoriais confirmatórios. Para rastreamento, existe o teste de urina e testes rápidos de β-HCG – ambos podem ser encontrados na farmácia.

O farmacêutico que realiza os testes rápidos de β-HCG oferece uma opção altamente vantajosa para quem busca atendimento de saúde de qualidade e segurança, e ganha potenciais pacientes para o serviço de acompanhamento de gestante na farmácia. 

Por que oferecer acompanhamento de gestante na farmácia?

A grande transformação pela qual a mulher passa durante a gestação implica na necessidade de diferentes acompanhamentos. O trabalho multiprofissional é fundamental para garantir que a gestante receba  cuidados integrais.

Isso porque as mudanças no organismo de uma gestante podem provocar alguns distúrbios que resultam em doenças ou risco de vida para a mãe e para o feto. 

Exemplos: os distúrbios hipertensivos da gestação constituem algumas das principais causas de mortalidade materna e perinatal em todo o mundo e o Diabetes Mellitus (DM) pode acometer até 25% das gestantes

Além disso, existe uma alta taxa de mulheres grávidas que relatam enjoos, azia e constipação durante o período gestacional. Esses desconfortos podem ser fontes para automedicação.

Neste contexto, o farmacêutico pode ser um profissional chave para alertar quanto à segurança do uso dos medicamentos e fazer orientações adequadas para as gestantes.

Esses fatos destacam a importância do acompanhamento de gestante na farmácia. O serviço colabora com o trabalho médico, mas não substitui o pré-natal e tem por objetivo acompanhar a gestação do início ao fim, considerando condições clínicas presentes na paciente antes da gestação e condições que possam surgir durante a gestação.

Acompanhamento dos valores glicêmicos

Devido à alta taxa de DM na gravidez e às complicações que a descompensação da glicemia pode causar, o acompanhamento de gestante na farmácia junto à avaliação glicêmica é indispensável e favorece a diminuição do risco de malformação fetal.

De modo geral, a DMG é detectada entre a 24ª e a 28ª semanas de gestação, a partir da realização do teste oral de tolerância à glicose (TOTG) quando o resultado revela resultados anormais.

Esse teste é recomendado para toda mulher sem diagnóstico prévio de DM  ou de DMG no período gestacional citado anteriormente.

O diagnóstico de diabetes gestacional estabelecido se dá quando no mínimo um dos valores a seguir encontrar-se alterado:

  • Glicemia em jejum ≥ 92 mg/dL;
  • Glicemia 1 hora após sobrecarga ≥ 180 mg/dL;
  • Glicemia 2 horas após sobrecarga ≥ 153 mg/dL.

As gestantes que não conseguem controlar os valores glicêmicos adequadamente com dieta e atividade física têm indicação para uso de insulinoterapia.

Esse é um ponto de atenção para o acompanhamento de gestante na farmácia: educação sobre o uso de insulina e o rodízio dos locais de aplicação. 

Fatores de risco para DMG

• Idade materna avançada;
• Sobrepeso, obesidade ou ganho excessivo de peso na gravidez atual;
• Deposição central excessiva de gordura corporal;
• História familiar de diabetes em parentes de primeiro grau;
• Crescimento fetal excessivo, polidrâmnio, hipertensão ou pré-eclâmpsia na gravidez atual;
• Antecedentes obstétricos de abortamentos de repetição, malformações, morte fetal ou neonatal, macrossomia ou DMG;
• Síndrome de ovários policísticos;
• Baixa estatura (inferior a 1,5 m).

As mulheres com DM pré-gestacional, tanto tipo 1 como tipo 2, devem ser alertadas sobre a importância de um controle glicêmico estreito antes da concepção. 

Recomenda-se, ainda, HbA1c < 6,5% para menor risco de anomalias congênitas e a HbA1c deve ser medida pelo menos uma vez a cada trimestre. 

A avaliação e reavaliação de pacientes gestantes é relevante ao passo em que durante a gestação as inúmeras mudanças podem levar ao desenvolvimento de comorbidades e ao agravo de condições pré-existentes, o que pode requerer novas e diferentes intervenções em saúde.

Para mulheres que desenvolveram DM na gestação, a monitorização da glicemia capilar é recomendada quatro vezes ao dia: em jejum e após as três principais refeições (desjejum, almoço e jantar). 

Segundo as Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes, as metas dos níveis glicêmicos para glicemia capilar na gestante são:

  •  Jejum < 95 mg/dL.
  • 1 hora pós-prandial < 140 mg/dL.
  •  2 horas pós-prandial < 120 mg/dL.

Testes rápidos e checkups de glicemia capilar são ferramentas essenciais para o acompanhamento de gestante na farmácia.

Acompanhamento dos valores da pressão arterial 

O acompanhamento dos valores da pressão arterial é fundamental porque estima-se que a pré-eclâmpsia (PE) complica de 2 a 8% das gestações globalmente.

Define-se hipertensão gestacional a pressão arterial sistólica (PAS) ≥140 mmHg e/ou pressão arterial diastólica (PAD) ≥90 mmHg em mulher com PA previamente normal, após 20 semanas de gestação, medida em duas ocasiões com pelo menos 4 horas de intervalo.

De acordo com as Diretrizes Brasileiras de Hipertensão, a meta do controle da hipertensão arterial na gestação deve ser a PAS > 120 e < 160 mmHg, e  PAD > 80 e < 110 mmHg, já que tanto a hipertensão quanto a hipotensão induzida podem prejudicar a perfusão placentária e, consequentemente, o crescimento fetal.

O serviço de medida da pressão arterial é um serviço farmacêutico básico, mas com grande poder de impactar a saúde das gestantes.  

Medicamentos na gestação

A automedicação na gestação deve ser fortemente desencorajada uma vez que o risco-benefício deve sempre ser avaliado por um profissional habilitado. 

É necessário analisar a segurança para a mulher e para o feto porque existe alta probabilidade de danos como, por exemplo, malformação congênita  e aborto.

Algumas medidas não-farmacológicas que podem ser úteis para o manejo de alguns sintomas:

  1. Enjoo: alimentar-se em pequenas quantidades, a cada 2 ou 3 horas e dar preferência para alimentos frios e secos, especialmente pela manhã.
  2. Azia: fazer refeições pequenas e com baixo teor de gordura; evitar cafeína e bebidas gasosas.
  3. Constipação intestinal: ingerir de 2 a 3 litros de água diariamente e alimentos ricos em fibras.

Para mulheres que necessitam fazer o uso de medicamentos, a análise da segurança é imprescindível. 

A Food and Drug Administration (FDA) classifica os medicamentos em 5 categorias de acordo com o risco do uso na gravidez. As categorias de risco são A, B, C, D e X.

Classificação do uso de medicamentos durante a gestação e as características da segurança do medicamento

  • A: em estudos controlados em mulheres grávidas, o fármaco não demonstrou risco para o feto no primeiro trimestre de gravidez. Não há evidências de risco nos trimestres posteriores, sendo remota a possibilidade de dano fetal;
  • B: os estudos em animais não demonstraram risco fetal, mas também não há estudos controlados em mulheres grávidas; ou os estudos em animais revelaram riscos, mas não foram confirmados em estudos controlados em mulheres grávidas;
  • C: não foram realizados estudos em animais e nem em mulheres grávidas; ou os estudos em animais revelaram risco, mas não existem estudos disponíveis realizados em mulheres grávidas.
  • D: o fármaco demonstrou evidências positivas de risco fetal humano. No entanto, os benefícios potenciais para a mulher podem, eventualmente, justificar o risco, como, por exemplo, em casos de doenças graves ou que ameaçam a vida, e para as quais não existam outras drogas mais seguras;
  • X: em estudos em animais e mulheres grávidas, o fármaco provocou anomalias fetais, havendo clara evidência de que o risco para o feto é maior do que qualquer benefício possível para a paciente.

Atenção: a dipirona, medicamento muito conhecido e amplamente utilizado, encontra-se na categoria D, devendo ser evitada em gestantes. Isso demonstra a necessidade do cuidado quando o tema é medicamentos e gestantes.

Serviço de acompanhamento de gestantes na farmácia com a Clinicarx

A Clinicarx tem o serviço de acompanhamento de gestantes padronizado na plataforma para ajudar o farmacêutico a prestar assistência com qualidade e segurança.

Com a funcionalidade, além da medida da pressão arterial e glicemia (teste rápido de glicemia, glicemia capilar e teste rápido de HbA1c), é possível realizar e registrar o cálculo da idade gestacional, Índice de Massa Corporal (IMC), visualizar o calendário vacinal de gestantes e, assim, analisar o estado vacinal da mulher e necessidade da aplicação de vacinas de rotina.

Primeira avaliação

A primeira avaliação tem como objetivo identificar a etapa da gestação e orientar sobre os exames, vacinas, acompanhamentos e produtos recomendados à gestante.

Para isso, a plataforma tem maneiras de calcular o período de gestação. Caso a mulher tenha feito ultrassonografia, o farmacêutico pode registrar a idade do embrião e a plataforma informa a provável data da concepção e a data provável para o parto.

O objetivo da avaliação também é identificar condições clínicas presentes antes da gestação para que o farmacêutico seja capaz de conhecer o quadro clínico da gestante e traçar um plano de cuidado e acompanhamento. 

Consultas de retorno

As avaliações de retorno visam acompanhar a evolução da gravidez, incluindo parâmetros como peso, pressão arterial, frequência cardíaca e glicemia.

Além disso, as consultas de retorno destinam-se a auxiliar na resolução de sintomas de baixa gravidade que possam ocorrer até a data do parto.

Com a Clinicarx, todos os registros, avaliações e informações são impressas na Declaração de Serviço Farmacêutico (DSF) e podem apoiar o acompanhamento médico de pré-natal com relatórios de saúde.

Conheça os nossos planos e ofereça serviços com a qualidade que os seus clientes merecem.



ASSINE A NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

logo clinicarx branca

Nós organizamos tudo para que você ofereça serviços de saúde em sua farmácia.

2021 Clinicarx, todos os direitos reservados. Política de Privacidade
R. Dr. João Evangelista Espíndola, 1559 – Jardim Social, Curitiba/PR
CNPJ: 26.740.121/0001-63. Licença Sanitária 04.234/2019 | Inscrição CRF/PR: 26520 | CNES 0029637
Responsável Técnico Serviços Laboratoriais: Dr. Héron Emmanuel Passos Petris CRF/PR 18.206 l Diretor Farmacêutico: Dr. Cassyano J Correr CRF/PR 11.516