Terceira idade: atenção farmacêutica ao idoso

A população de idosos no Brasil, que se refere a pessoas com 60 anos ou mais, aumenta a cada ano. Essa mudança na estrutura etária brasileira vem ocorrendo devido à queda nas taxas de mortalidade e natalidade. O profissional de saúde da farmácia precisa olhar a atenção farmacêutica ao idoso com mais carinho.

Hoje, a tendência é que as famílias tenham menos filhos e uma média maior de envelhecimento. Diante dessas mudanças demográficas, é necessário que o setor da saúde no Brasil esteja preparado para prestar atendimento em saúde de qualidade para os idosos.

Além disso, o estilo de vida atual, em que a saúde não é prioridade devido à falta de tempo e excesso de tarefas, contribui para agravar esse cenário. 

A busca por ajuda  nas  farmácias tende a ser rotina, devido à capilaridade desses pontos de saúde e visto que pode ser demorado agendar a consulta médica. Adicionalmente, nem sempre é possível pagar por um auxílio médico ou frequentar clínicas.

Principais pontos de atenção farmacêutica ao idoso

As farmácias e os farmacêuticos devem estar aptos e capacitados para atender esse perfil de paciente. 

Por terem, muitas vezes, problemas crônicos de saúde, que demandam acompanhamento e tratamento contínuo com múltiplos medicamentos, ou condições clínicas agravadas.

É importante que o profissional tenha os serviços necessários para atender de maneira completa segundo o escopo da atuação farmacêutica. 

Ao atender e receber um paciente idoso na farmácia, a prioridade deve ser seu acolhimento humanizado, acompanhamento do quadro clínico e apoio ao autocuidado no uso de medicamentos.

  • Uma das maiores dificuldades é o uso de múltiplos medicamentos (polifarmácia), devido às multimorbidades em alguns pacientes, e necessidade de fazer tratamentos por longos períodos da vida. 
  • Entender sobre as condições clínicas que acometem o idoso deve ser uma prioridade do farmacêutico, para estabelecer o plano de cuidado adequado e saber esclarecer as dúvidas sobre as doenças ou problemas que podem surgir.
  • A dosagem correta dos medicamentos e horários certos também são informações que devem ser reforçadas ao paciente idoso, devido ao esquecimento ou falta de ferramentas acessíveis que facilitem o processo.
  • A falta de adesão ao tratamento afeta a todos os grupos etários, mas entre os idosos, o prejuízo cognitivo e funcional somados à polifarmácia aumentam as chances da dificuldade de adesão ao tratamento. 

A atenção farmacêutica ao idoso

A atenção farmacêutica (pharmaceutical care), hoje conhecida como Cuidado Farmacêutico, é o modelo de prática farmacêutica para a prestação de cuidados em saúde ao paciente.

Sua definição é “prática farmacêutica clínica, centrada no paciente, cujo objetivo central é garantir que os pacientes obtenham o máximo benefício com a medicação que utilizam”.

  • O objetivo deve ser sempre o de alcançar resultados definidos e esperados do plano de cuidado, buscando a melhoria da qualidade de vida do paciente. 

Serviços clínicos e a atenção farmacêutica ao idoso

Serviços de acompanhamento e dispensação programada dão suporte ao paciente na gestão de seus medicamentos:

  1. tirando dúvidas, 
  2. adequando o esquema posológico à rotina, 
  3. investigando interações medicamentosas,
  4. acompanhando resultados de efetividade,
  5. segurança dos medicamentos. 

O paciente idoso com doença crônica não transmissível pode ter na farmácia seu ponto de apoio nesse acompanhamento, levando relatórios de evolução e avaliação farmacêutica ao médico, agilizando e otimizando o ajuste contínuo do tratamento. 

A partir dos 50 anos de idade, a prevalência de doenças crônicas aumenta consideravelmente, e acaba levando à polimedicação, que é o uso simultâneo de vários medicamentos. 

Por isso, existe uma grande chance de um idoso, adulto a partir dos 60 anos, ser polimedicado. Um em cada três idosos, por exemplo, utiliza mais de 5 medicamentos contínuos. 

Para o paciente, cuidar dessas condições de saúde e realizar os tratamentos da forma correta são um grande desafio.

Ferramentas que facilitam a adesão ao tratamento

Dispensação programada

A dispensação programada consiste na entrega de medicamentos e orientação ao paciente sobre como utilizá-los, geralmente mediante uma prescrição médica.

É muito útil para criar uma rotina de dispensação mensal. Dessa forma, sabe-se com precisão a data em que os medicamentos irão terminar e é agendado retorno do paciente para uma “dispensação programada”. 

Agenda-se o paciente para um dia específico do mês, trazendo os medicamentos que tem em casa para reposição.

Durante a dispensação, o farmacêutico pode verificar comprimidos faltando ou sobrando, avaliar a adesão e repor o tratamento conforme necessidade, até o próximo mês.


Calendário Posológico

O calendário posológico é um recurso visual para facilitar a adesão ao tratamento, em pacientes polimedicados com dificuldades de leitura/alfabetização ou na organização de sua rotina de medicação.

Como fazer? 

  1. Para cada medicamento que o paciente utiliza, registre o nome e dosagem.
  2. Registre os horários do dia para cada dose, sempre ligado aos horários principais das refeições que estruturam a rotina. 
  3. Deve-se buscar minimizar o número de tomadas ao dia.
  4. Ao final, você terá uma lista completa e organizada dos medicamentos com uma rotina de medicação organizada, validada pelo farmacêutico. 

Home Care – Atenção Domiciliar ao Idoso 

A assistência domiciliar ganhou ainda mais espaço no último ano, em especial para farmacêuticos que trabalham com serviços de home care.  

O termo “home care” se refere ao ato de prestar serviços de saúde em domicílio e é praticado por profissionais da saúde devidamente habilitados. 

O papel do farmacêutico na Atenção Domiciliar ao Idoso envolve as seguintes atividades:

  • Educação em saúde;
  • Gestão da cadeia da assistência farmacêutica;
  • Promoção à saúde;
  • Prevenção;
  • Auxílio no tratamento de doenças;
  • Reabilitação;
  • Protocolo de diluição dos medicamentos;
  • Administração de medicamentos;
  • Dietas via sonda nasoenteral, gerenciamento de resíduos, prevenção;
  • Controle de infecções e eventos adversos.

A atenção farmacêutica ao idoso nas farmácias e drogarias, além da estrutura e serviços clínicos que supram as necessidades do paciente, deve ser realizada de forma empática, por profissionais preparados para lidar com as dificuldades que esse perfil de paciente demanda.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com a sua rede.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
1 1 voto
Avaliação
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Sumário

Busca

Compartilhe

News Clinicarx

Clinicarx + 1000 inscritos no Youtube

A Clinicarx é a Plataforma que leva Serviços de Saúde à população através das farmácias.

Quer saber mais sobre serviços farmacêuticos?

Amanda Souza
Amanda Souza
Jornalista, Mestranda em Comunicação e Estudos de Mídia, Analista de Conteúdo da Clinicarx.
Confira minhas postagens

News Clinicarx

Aproveite e veja também

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para personalizar e melhorar a sua experiência conosco.
Para mais informações sobre cookies bem como para exercer o seu direito de desabilitá-los, consulte nossa Política de Privacidade.  Ao Clicar em aceitar, você concorda com todos os cookies.