Descubra como podemos aumentar o faturamento da sua farmácia com serviços farmacêuticos

Home care: como farmacêuticos podem oferecer esse serviço

busca

A assistência domiciliar ganhou ainda mais espaço no último ano, em especial para farmacêuticos que trabalham com serviços de home care.  

O termo home care se refere ao ato de prestar serviços de saúde em domicílio e é praticado por profissionais da saúde devidamente habilitados. 

Esse serviço pode ser realizado como um conjunto de atividades de caráter ambulatorial e como ações de promoção à saúde, prevenção, tratamento de doenças e reabilitação. As atividades têm caráter contínuo e programado.

No último ano, com a pandemia da COVID-19, a procura por esse serviço aumentou cerca de 35%.  

Esse aumento está relacionado com alguns motivos: 

  • Necessidade de suprir demandas de hospitais que estavam lotados devido às internações pela COVID-19, 
  • Necessidade de acompanhamento de pacientes com doenças crônicas que demandam assistência periódica,
  • Acompanhamento na recuperação de pacientes que tiveram sequelas pós-COVID.

Na maioria dos casos, o atendimento domiciliar é indicado por um médico, que opta por dar mais conforto ao paciente durante seu tratamento. 

O serviço geralmente é prestado por uma equipe multidisciplinar, que pode variar de acordo com as necessidades individuais da pessoa que necessita desse atendimento. 

Neste artigo, vamos entender o papel do farmacêutico no serviço de  home care, a sua participação em equipes multidisciplinares e atendimentos domiciliares que as farmácias podem oferecer

O que é necessário para oferecer serviço home care?

Primeiramente, é necessário que o profissional esteja vinculado a um estabelecimento de saúde autorizado a prestar esse tipo de serviço. 

A RDC 11/2006 dispõe  sobre o Regulamento Técnico de Funcionamento de Serviços que prestam Atenção Domiciliar, propondo os requisitos mínimos de segurança para o funcionamento e oferecimento desse atendimento no setor público ou privado.

Caso você esteja interessado e queira oferecer esse tipo de serviço, listamos alguns itens que instituição deve seguir:

  1. A instituição pública ou privada responsável pelo gerenciamento e operacionalização de assistência e/ou internação domiciliar deve possuir alvará expedido pelo órgão sanitário competente.
  2. Deve possuir como responsável técnico um profissional de nível superior da área da saúde, habilitado junto ao respectivo conselho profissional.
  3. Deve estar inscrito no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES.
  4. Deve possuir um regimento interno que defina o tipo de atenção domiciliar prestada e as diretrizes básicas que norteiam seu funcionamento.
  5. Deve elaborar manual e normas técnicas de procedimentos para a atenção domiciliar, de acordo com a especificidade da assistência a ser prestada.

Em relação ao atendimento, é importante destacar que:

  • O profissional de saúde que acompanha o paciente deve encaminhar à instituição um relatório detalhado sobre as condições de saúde e doença do paciente contendo histórico, prescrições, exames e intercorrências.
  • A equipe da instituição deve elaborar um Plano de Atendimento Domiciliar (PAD) que deve contemplar todas as atividades relacionadas ao paciente e  deve ser revisado de acordo com a evolução, acompanhamento do paciente e a gravidade do caso.

Outras recomendações a respeito do plano de cuidado e obrigatoriedades da instituição podem ser consultadas na RDC 11/2006.

O papel do farmacêutico em equipe multidisciplinar

A Resolução 386/2002 do CFF dispõe sobre as atribuições do farmacêutico no âmbito da assistência domiciliar em equipes multidisciplinares, como:

  1. Prestar orientações quanto ao uso, administração e descarte de medicamentos e correlatos, com vistas à promoção do uso racional de medicamentos;
  2. Participar ativamente nas equipes multidisciplinares de terapia nutricional e equipes multidisciplinares de assistência domiciliar diversas
  3. Acompanhar os pacientes com suporte nutricional domiciliar, terapia oncológica e outras que requerem a prestação de cuidados farmacêuticos;
  4. Diluir e preparar soluções de medicamentos de uso intravenoso para administração no domicílio do paciente;
  5. Monitorar as terapias com antiagregantes plaquetários, anticoagulantes, bem como os parâmetros bioquímicos;
  6. Prestar informações sobre os medicamentos e problemas relacionados aos mesmos, propondo aos demais membros da equipe de saúde as mudanças necessárias à obtenção do resultado desejado;
  7. Realizar levantamento de indicadores relacionados ao uso de medicamentos e correlatos;

Outras atividades que podem ser consultadas na Resolução 386/2002 do CFF.

As farmácias podem oferecer atendimento domiciliar?

Sim, a atenção farmacêutica domiciliar está prevista na RDC 44/2009.

Segundo essa RDC, o atendimento domiciliar consiste no serviço de atenção farmacêutica disponibilizado pelo estabelecimento farmacêutico no domicílio do cliente. 

Todos os serviços que uma farmácia presta, de forma regular, também podem ser prestados pelo farmacêutico na casa do paciente. 

Isso vale para serviços farmacêuticos como medida da pressão arterial, teste de glicemia, aplicação de injetáveis, colocação de brincos, aplicação de vacinas, prescrição farmacêutica, entre outros. 

No entanto, é preciso ficar atento: a prestação de atendimento domiciliar por farmácias somente é permitida a estabelecimentos devidamente licenciados e autorizados pelos órgãos sanitários competentes.

Além disso, as farmácias devem ter, obrigatoriamente, a assistência do farmacêutico responsável técnico ou do seu substituto durante todo o horário de funcionamento do estabelecimento. Isso significa que a farmácia precisa garantir a presença de um farmacêutico no estabelecimento enquanto o outro profissional se ausenta para realizar o atendimento domiciliar.

Como oferecer o serviço de home care com a Clinicarx?

A Clinicarx é uma plataforma online de serviços de saúde, líder de mercado, que auxilia farmácias e consultórios no processo de implantar, atender e gerenciar serviços farmacêuticos.

A plataforma oferece desde registro e procedimento de avaliação de saúde como pressão arterial e teste de glicemia, até o registro de procedimentos básicos como perfuração de lóbulo auricular e aplicação de injetáveis.

Além disso, ela também oferece recursos para acompanhamento de pacientes com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, asma e depressão; ou acompanhamento de gestantes, pessoas que desejam cuidar do peso ou parar de fumar, entre outros procedimentos. 

Ela pode ser utilizada no âmbito domiciliar para registrar as consultas, o histórico de saúde do paciente e para seguir um protocolo de atendimento padronizado. 

Além disso, possibilita a emissão do laudo de testes rápidos e a Declaração de Serviços Farmacêuticos (DSF), documentos que devem ser entregues ao paciente após prestação do serviço farmacêutico.

Vamos aos procedimentos e documentos que o farmacêutico pode realizar e emitir com a Clinicarx?

Relatórios e acompanhamento

A Clinicarx viabiliza a emissão de relatórios completos e informações que auxiliam os profissionais a tomarem decisões mais assertivas no tratamento do paciente.

Relatório ao médico

O relatório ao médico resume todos os tratamentos medicamentosos e dados sobre a condição clínica do paciente na farmácia,  assim como pacientes atendidos pelo serviço de home care.

Esse relatório agrega informações importantes sobre a saúde do paciente que poderão auxiliar na tomada de decisão e na elaboração do plano de cuidado.

Para saber como emitir o relatório através da plataforma, acesse aqui.

Relatório de evolução de glicemia 

Durante um atendimento e procedimento do teste de glicemia, o farmacêutico pode acessar e gerar diversos documentos com dados que podem ser impressos aos clientes (incluindo a DSF).

Nesse relatório, constarão as informações:

  • O diagnóstico do seu paciente e o tipo de diabetes (se for o caso);
  • O estado alimentar do paciente no momento do teste;
  • Resultados do teste de glicemia.

Relatório de evolução da Pressão Arterial

Durante o atendimento, com a Clinicarx, o profissional também pode emitir o relatório de pressão arterial do paciente com:

  • Um gráfico com os resultados do acompanhamento dos valores de PAS e PAD;
  • Uma tabela com a data da aferição e os respectivos valores de PAS, PAD e frequência cardíaca.

Além desses documentos, também é possível controlar e emitir um relatório dos medicamentos injetáveis aplicados no seu paciente de home care

O Índice de Controle do Paciente na Clinicarx

Ao lado do nome de alguns dos seus pacientes, durante o atendimento, você verá um indicador chamado índice de controle, expresso em porcentagem (%). 

O que é este índice de controle?

O Índice de Controle é uma ferramenta para acompanhamento do estado de saúde do paciente e surge a partir do momento em que o profissional cadastra as condições clínicas no perfil dele. 

Ele indica o percentual (%) dos parâmetros estabelecidos de acordo com as condições clínicas do paciente em acompanhamento. O percentual é calculado a partir dos resultados dos procedimentos realizados e da meta terapêutica definida. 

Portanto, o índice de controle funciona como um indicador geral do grau de controle clínico do seu paciente, e depende das doenças em acompanhamento e das metas estabelecidas.

Esse índice é um parâmetro simples e útil para que o profissional consiga visualizar a evolução do seu paciente frente às condições clínicas e, assim, traçar planos para que os objetivos sejam alcançados. 

 

Aproveite e obtenha cada vez mais melhores resultados para a saúde dos seus pacientes! 

busca

Categorias

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

Posts Recentes

Quer saber mais sobre serviços farmacêuticos?

Clinicarx - Logo

Aproveite e veja também