O papel da farmácia durante a epidemia de coronavírus

pharmacist-coronavirus

As farmácias são frequentemente o primeiro ponto de contato com o sistema de saúde para muitas pessoas. Este papel deve ser reforçado durante a epidemia de coronavírus. Então, como a farmácia deve proceder?

Este artigo sobre o novo coronavírus está em constante atualização. Última versão: 15/03/2020.

Caso você ainda não esteja familiarizado com o COVID-19 e quais são as medidas efetivas de prevenção e proteção, sugiro que você faça este curso online gratuito sobre o tema. Será uma forma de se aprofundar após a leitura deste artigo.

Confira agora as principais medidas que a farmácia deve tomar.

Entenda as fases da epidemia de coronavírus

A epidemia de coronavírus, o COVID-19, evolui em “fases epidemiológicas”, sendo três fases iniciais, crescentes de gravidade.

A fase 1 da COVID-19 é de “casos importados”, em que há poucas pessoas acometidas e todas regressaram de países onde há epidemia.

A fase 2 epidemiológica é de transmissão local, quando pessoas que não viajaram para o exterior ficam doentes, mas ainda é possível identificar o paciente que transmitiu o vírus, geralmente parentes ou pessoas de convívio social próximo.

Depois disso, pode ocorrer a fase 3 epidemiológica ou de transmissão comunitária, quando o número de casos aumenta exponencialmente e perdemos a capacidade de identificar a fonte ou pessoa transmissora.

Fases da epidemia de coronavírus
Fases epidemiológicas iniciais da epidemia do coronavírus.

As medidas de prevenção e proteção devem ser intensificadas quando a epidemia chega à fase 3.

Proteja seus funcionários

O primeiro passo é tomar medidas de prevenção dentro da farmácia, pois um funcionário doente não poderá atender outras pessoas e pode passar o vírus adiante.

As principais medidas são de higiene. Lavar as mãos e o rosto ao chegar na empresa. Manter uso de álcool gel 70% nas mãos frequentemente ao longo do dia. Lavar o uniforme ou jaleco a quente pelo menos duas vezes por semana.

No caso de atendentes e farmacêuticos, é recomendável que utilizem máscara quando estiverem em contato com pessoas com sintomas como tosse, espirros e febre.

Mantenha o ambiente seguro

A limpeza e desinfecção do ambiente da loja é fundamental para conter a disseminação do vírus.

Todas as superfícies, balcão, mesas, objetos, equipamentos, corrimões, maçanetas de porta, entre outros, devem ser desinfectados com álcool líquido 70% várias vezes ao dia.

Grandes áreas como chão, banheiros e pias devem ser limpos todos os dias com detergentes, de preferência contendo cloro ativo, ou solução de hipoclorito 1%, pois isso elimina o vírus.

Mantenha o ambiente arejado, deixando janelas abertas ou ligando ventilador no mínimo duas vezes ao dia, por 30 minutos.

Atenção para a proteção da equipe de limpeza, que deve utilizar luva, óculos de proteção e avental ao lidar com esses produtos químicos.

banner testes rapidos

Padronize o atendimento a pessoas doentes

É esperado que pessoas com sintomas respiratórios busquem a farmácia para atendimento ou compra de medicamentos. A equipe deve estar apta a acolher, identificar, avaliar, orientar e encaminhar esse paciente.

É desejável manter álcool gel 70% disponível na entrada da farmácia, para que todas os clientes limpem as mãos na chegada.

Pessoas que vão à farmácia com sintomas como tosse, espirros e febre podem ter coronavírus, portanto devem ser identificadas e encaminhadas para atendimento separado, pelo farmacêutico.

A sala de serviços farmacêuticos é um bom lugar para esse atendimento, mas cuidado para manter a sala bem arejada e ventilada. Durante o atendimento, mantenha uma distância mínima de 1 metro do paciente.

Se o paciente estiver tossindo, espirrando ou com febre, ofereça uma máscara cirúrgica, se disponível, ou pelo menos lenço de papel. Peça que cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Você, farmacêutico(a), deve utilizar máscara durante esse atendimento.

Já existem testes rápidos para detecção de antígenos e/ou anticorpos do coronavírus. Os testes point-of-care tem seu valor, pois podem auxiliar na identificação de pacientes negativos para coronavírus. Essa triagem pode auxiliar a evitar a superlotação dos sistema de saúde em momentos de pico de casos.

Após atendimento do paciente, limpe a mesa, equipamento, maçaneta e demais objetos utilizados com álcool líquido 70%, pois isso evita contaminação. Descarte corretamente os resíduos.

E se o paciente tiver mesmo suspeita de coronavírus?

Em primeiro lugar, você deve seguir as recomendações do Ministério da Saúde. Acompanhe também as recomendações publicadas pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF) e pela Associação Brasileira das Redes de Farmácias (Abrafarma).

Pacientes com sintomas leves de infecção respiratória

Orientar o paciente que vá para casa, permaneça isolado, tomando medidas de autocuidado. Caso ele não possa fazer isso por conta própria, deverá procurar atendimento médico imediatamente para avaliação e obtenção de atestado, a critério médico.

Pacientes acima de 60 anos ou portadores de doenças crônicas.

Mesmo com sintomas leves, devem ser encaminhados para atendimento médico imediatamente. Todos os pacientes devem ser orientados a procurar atendimento médico imediato caso os sintomas persistam ou piorem nas próximas 24 horas.

Pacientes com sintomas moderados e graves de infecção respiratória

Pacientes com sintomas que indiquem maior gravidade, principalmente febre alta persistente há dias e dificuldade em respirar, devem ser encaminhados imediatamente. O Ministério da Saúde mantém uma lista de unidades de referência para este atendimento, geralmente hospitais.

Como você pode se preparar?

Para saber mais, ter acesso a ferramentas e acompanhar o que está acontecendo, acesse nossa página especial sobre coronavírus no Clinicarx clicando na imagem abaixo.

banner coronavirus

ASSINE A NEWSLETTER E FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

logo clinicarx branca

Nós organizamos tudo para que você ofereça serviços de saúde em sua farmácia.

2021 Clinicarx, todos os direitos reservados. Política de Privacidade
R. Dr. João Evangelista Espíndola, 1559 – Jardim Social, Curitiba/PR
CNPJ: 26.740.121/0001-63. Licença Sanitária 04.234/2019 | Inscrição CRF/PR: 26520 | CNES 0029637
Responsável Técnico Serviços Laboratoriais: Dr. Héron Emmanuel Passos Petris CRF/PR 18.206 l Diretor Farmacêutico: Dr. Cassyano J Correr CRF/PR 11.516