Como montar uma campanha de obesidade na sua farmácia?

Campanhas de saúde são uma excelente forma de apresentar os serviços clínicos da sua farmácia.

A obesidade é um problema de saúde pública, sendo também uma epidemia de saúde global. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a obesidade em todo o mundo dobrou desde 1980. No mundo todo, nós teremos até 2025 cerca de 2,3 bilhões de adultos com excesso de peso, sendo mais de 700 milhões, com obesidade. Da mesma maneira, o número de crianças com sobrepeso e obesidade poderá chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

No Brasil, mais de 50% da população encontra-se em sobrepeso ou obesidade. Similarmente, a obesidade infantil também vem crescendo cada vez mais em nosso país. Nas crianças entre 5 e 9 anos, uma em cada três (cerca de 30%) estão com excesso de peso. Já na faixa etária entre 10 e 19 anos, uma em cada cinco crianças (cerca de 20%) estão com excesso de peso.

2,3 bilhões

de adultos com excesso de peso em todo mundo até 2025.

75 milhões

de crianças com sobrepeso ou obesidade, se nada for feito, até 2025.

1 em cada 3

crianças entre 5 e 9 anos de idade, com excesso de peso no Brasil

1 em cada 5

crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos com excesso de peso no Brasil

O sobrepeso e a obesidade estão associados a um aumento significativo da mortalidade. Além disso, também estão intimamente relacionados com alterações metabólicas no organismo, as quais podem se manifestar na forma de elevação da pressão arterial, colesterol e triglicérides, além de aumento da resistência à insulina.

Com o aumento do índice de massa corporal (IMC), o risco de manifestações de doenças cardíacas coronarianas, acidente vascular cerebral isquêmico, dislipidemia e diabetes mellitus tipo 2 aumenta substancialmente. Outras consequências envolvem também maior risco de doenças hepáticas, respiratórias e várias neoplasias. Por isso, os benefícios da perda de peso são enormes e repercutem nos aspectos psicológicos, clínicos, humanísticos e econômicos.

Diante disso, as campanhas de saúde são uma forma muito útil e poderosa do farmacêutico promover a educação em saúde junto à população e colaborar para um melhor cuidado com a saúde.  As campanhas podem ser, inclusive, o primeiro passo para a oferta de serviços clínicos mais elaborados.

No calendário de saúde brasileiro, nós temos pelo menos três datas que guardam relação direta com a prevenção do excesso de peso:

  • 31 de março: dia da saúde e da nutrição
  • 06 de abril: dia mundial da atividade física
  • 11 de novembro: dia mundial da obesidade

Em resumo, os serviços de rastreamento e educação em saúde para pacientes com sobrepeso e obesidade são úteis para conscientizar quanto a importância da mudança de hábitos de vida. Além disso, representam uma importante via para divulgação dos serviços farmacêuticos e seleção de pacientes para um programa estruturado de perda de peso.

Como eu organizo uma campanha contra obesidade na minha farmácia?

Vamos elencar alguns pontos que você não pode deixar de fora, quando organizar uma campanha contra obesidade na sua farmácia:

  1. Defina com clareza tipo de serviços você irá oferecer à população neste dia. Você irá medir o IMC? A composição corporal? Aplicará algum questionário?
  2. Prepare a estrutura física e o fluxo de trabalho da sua farmácia para atendimento aos clientes nesse dia (ou período). Você tem mesas para atendimento? Possui uma sala de serviços que pode ser usada? Pode montar uma tenda ou estrutura de atendimento fora da farmácia?
  3. Defina o material educativo será entregue aos pacientes que passarem pelo atendimento durante a campanha. Que mensagem você quer passar? As informações que você irá fornecer tem base científica?
  4. Pense em ofertas, atrações ou brindes que possam atrair a atenção das pessoas para sua farmácia. Haverá música? Alguma atração artística? Alguma oferta, como uma mesa de café da manhã saudável?

Ferramentas utilizadas em uma campanha

Em uma campanha de conscientização sobre a obesidade na farmácia, para rastreamento e avaliação metabólica dos pacientes, podem ser utilizadas as seguintes ferramentas:

Cálculo do IMC

O cálculo do índice de massa corporal permite estimar a taxa de gordura corporal de um paciente, apresentando boa relação com a incidência de doenças cardiovasculares e mortalidade. Trata-se de um método de “estimativa” simples e fácil, que tem por base dois parâmetros objetivos: o peso e a altura. O IMC pode ser calculado através da seguinte fórmula:

IMC = Peso (em Kg) / Altura (em m) ao quadrado

Apesar do IMC ser amplamente utilizado e apresentar boa aplicabilidade na maioria dos pacientes, ele apresenta algumas limitações:

  • Não distingue massa gordurosa de massa magra, podendo subestimar o grau de gordura em indivíduos idosos, em decorrência de sua perda de massa muscular associada ao envelhecimento, e superestimar em indivíduos que estão acima do peso, mas que possuem muita massa muscular (por exemplo, atletas profissionais ou fisiculturistas);
  • Não reflete, necessariamente, a distribuição da gordura corporal, a qual é importante na avaliação de sobrepeso e obesidade, visto que o acúmulo de gordura intra-abdominal é um fator de risco potencial para doenças, independentemente da gordura corporal total.

Essas limitações justificam a avaliação complementar, por meio de dois parâmetros: circunferência abdominal  e composição corporal (bioimpedância).

Circunferência abdominal / da cintura 

A associação da medida da circunferência abdominal com o IMC pode oferecer uma forma combinada de avaliação de risco e ajudar a diminuir as limitações de cada uma das avaliações isoladas. A circunferência abdominal é uma medida da gordura do abdômen e fornece informação sobre risco que não é contabilizado pelo IMC. Esta medida pode ser feita em uma campanha de saúde, por exemplo, naqueles pacientes com IMC em sobrepeso ou obesidade.

A avaliação da circunferência abdominal deve ser realizada com fita antropométrica de uso profissional, no ponto médio entre a crista ilíaca e o rebordo intercostal. Pode-se padronizar a medida pela altura do umbigo do paciente.

Distribuição corporal 

Se você conta com uma balança de bioimpedância portátil, a análise da composição corporal é uma terceira avaliação complementar útil. Ela permite uma estimativa mais fidedigna da taxa de gordura corporal, e apresenta excelente correlação com desfechos clínicos. Por conta disso, pode ser feita como avaliação mais específica, por exemplo, em pacientes com IMC e circunferência abdominal acima do desejado.

Nesse método, a análise da composição corporal tem como base a medida da resistência total do corpo à passagem de uma corrente elétrica. Os componentes corporais oferecem uma resistência diferenciada à passagem da corrente elétrica. Os ossos e a gordura constituem um meio de baixa conectividade, ou seja, uma alta resistência à corrente elétrica. Já a massa muscular e outros tecidos ricos em água e eletrólitos, são bons condutores, permitindo mais facilmente a passagem de corrente elétrica. Antes da realização da medida, é necessário digitar no equipamento a idade, altura e gênero do paciente. Após a entrada dos dados, o paciente deve ser orientado a retirar o calçado e as meias, subir na balança e segurar o visor em ângulo de 90ºC, conforme a ilustração a seguir.

Como interpretar os resultados? 

VALORES DE REFERÊNCIA PARA IMC E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL
IMCClassificaçãoInterpretação
1Menor do 18,5Abaixo do pesoPode ser uma característica pessoal, mas pode ser um sinal de desnutrição. Avaliar individualmente.
2Entre 18,6 e 24,9Peso normalIMC normal. Educar quando a importância da manutenção de hábitos de vida saudáveis para manutenção do peso.
3Entre 25 e 29,9Sobrepeso / pré-obesidadeRisco um pouco aumentado para doenças cardiometabólicas. Educar sobre a necessidade de mudanças em hábitos de vida (dieta + exercícios) para alcançar peso adequado. Convidar paciente para o programa perda de peso.
4Entre 30 e 34,9Obesidade grau 1Risco aumentado para doenças cardiometabólicas. Frisar a necessidade de mudança imediata, mesmo se exames e/ou parâmetros físicos normais. Educar sobre a necessidade de mudanças em hábitos de vida (dieta + exercícios) para alcançar peso adequado. Indicar programa farmacêutico para perda de peso.
5Entre 35 e 39,9Obesidade grau 2Risco muito alto para doenças cardiometabólicas. Frisar a necessidade de mudança imediata, mesmo se exames e/ou parâmetros físicos normais. Educar sobre a necessidade de mudanças em hábitos de vida (dieta + exercícios) para alcançar peso adequado. Indicar fortemente programa farmacêutico para perda de peso.
6Acima de 40Obesidade grau 3
COMBINANDO O IMC COM A CIRCUNFERÊNCIA DA ABDOMINAL
 Circunferência Abdominal
Risco de complicações cardiometabólicas*IMC (Kg/m2)Homem: 94-102Homem: > 102
Mulher: 80-88Mulher: > 88
Baixo peso<18,5Sem risco associadoSem risco associado
Peso normal18,5-24,9Sem risco associadoAumentado
Sobrepeso25-29,9AumentadoAlto
Obesidade>30AltoMuito alto
*Risco para desenvolvimento de diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. Fonte: ABESO.
VALORES DE REFERÊNCIA PARA DISTRIBUIÇÃO CORPORAL – MÚSCULOS E GORDURA
SexoIdadeGordura corporal (%)
BaixaNormalAltoMuito alta
Masculino20-39< 21,021,0 – 32,933,0 – 38,9≥ 39,0
40-59< 23,023,0 – 33,934,0 – 39,9≥ 40,0
60-79< 24,024,0 – 35,936,0 – 41,9≥ 42,0
Feminino20-39< 8,08,0 – 19,920,0 – 24,9≥  25,0
40-59< 11,011,0 – 21,922,0 – 27,9≥ 28,0
60-79< 13,013,0 – 24,925,0 – 29,9≥ 30,0
SexoIdadeMúsculo (%)
BaixaNormalAltoMuito alta
Masculino18 – 39< 33.333,3 – 39,339,4 – 44,0≥ 44,1
40 – 59< 33,133,1 – 39,139,2 – 43,8≥ 43,9
60 – 80< 32,932,9 – 38,939,0 – 43,6≥ 43,7
Feminino18 – 39< 24,324,3 – 30,330,4 – 35,3≥ 35,4
40 – 59< 24,124,1 – 30,130,2 – 35,1≥ 35,2
60 – 80< 23,923,9 – 29,930,0 – 34,9≥ 35,0

Fluxo de atendimento do paciente durante a campanha  

O fluxo de atendimento pode seguir uma abordagem sequencial, na qual o IMC é feito em todos os pacientes que comparecem para a campanha. Para pacientes em faixa de sobrepeso ou obesidade, a circunferência abdominal pode ser feita como parâmetro adicional. Já para aqueles com IMC e circunferência do abdômen elevados, a composição corporal pode ser feita como terceira avaliação. Adapte este fluxo à sua realidade. Por exemplo, deixar a avaliação corporal mais completa apenas para pacientes com maior necessidade, ou que agendam uma consulta posterior com o farmacêutico.

Nós preparamos uma ferramenta específica que explica com mais detalhes como organizar este fluxo de atendimento. Para baixá-la, clique aqui.

Avaliação dos resultados da campanha

Por fim, é fundamental que você conte com um sistema para registro dos atendimentos feitos no dia da sua campanha. Isso irá permitir que você avalie os resultados, tendo por base métricas de pacientes atendidos, parâmetros avaliados e encaminhamentos ao médico realizados, por exemplo.

Além disso, é bom aproveitar a oportunidade para obter dados pessoais mínimos desses pacientes, de forma que contatos posteriores possam ser realizados. Toda essa gestão de informações pode ser feita manualmente ou por meio de plataformas informatizadas de gestão dos serviços farmacêuticos, como o Clinicarx.

Aproveite a oportunidade das datas de saúde para impulsionar seus serviços farmacêuticos e, assim, fortalecer o posicionamento da sua farmácia como ponto de referencia da saúde da sua comunidade. Boas campanhas para você.

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Posts relacionados

Receba nossas novidades

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação no site. Se você estiver de acordo basta clicar em “Aceitar!”. Você pode saber mais sobre quais cookies utilizamos aqui!