Conheça as principais vacinas aplicadas em farmácias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A Anvisa aprovou aplicação de vacinas em farmácias em dezembro de 2017 e muitas farmácias já começam a oferecer este serviço. Apesar de recente, esta foi uma novidade muito bem recebida pela população. Se você é farmacêutico ou proprietário e está pensando em montar um serviço de vacinação, confira as principais vacinas aplicadas que você pode ter na sua farmácia.

Baixe agora o checklist para implantação de serviços de vacinação

Os dados são resultado de uma análise de mais de 13 mil doses de vacinas aplicadas com Clinicarx e mostram um ranking das dez vacinas mais comuns em quantidade de pacientes atendidos.

10° lugar: Vacinas de Hepatite A

A Hepatite A é uma doença infecciosa, causada pelo vírus VHA e transmitida principalmente pelo contato de pessoas saudáveis com alimentos ou água contaminada. A incidência da hepatite A é maior nos locais em que o saneamento básico é precário.

Trata-se de uma vacina inativada, composta pelo antígeno do vírus da hepatite A, aplicada por via intramuscular. O SUS oferece esta vacina para crianças em dose única, aos 15 meses de idade. Segundo calendário da SBIM, a vacina deve ser dada em duas doses, a partir dos 12 meses de idade. Nos adultos não vacinados ou com imunização incerta, a vacina também pode ser aplicada, inclusive em associação com a vacina da hepatite B.

Há três vacinas para Hepatite A no mercado: Avaxim (Sanofi-Pasteur), Havrix (GSK) e Vaqta (MSD). A Twinrix (GSK) é uma vacina combinada da Hepatite A + Hepatite B.

9° lugar: Vacinas de Febre Amarela

A Febre Amarela é uma doença causada por vírus, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti contaminado. É uma doença endêmica no Brasil, presente principalmente na região norte, mas houve surtos recentes em outras regiões, o que levou a uma maior busca pela vacinação.

A vacina é composta de vírus vivo atenuado e pode ser encontrada tanto na rede pública quanto privada. No SUS, a vacina é aplicada em uma dose única aos 9 meses de vida. Em pessoas não vacinadas ou que irão viajar para regiões de risco, a dose da vacina é recomendada também para adolescentes, adultos e idosos.

A vacina da febre amarela adquirida no mercado privado é a Stamaril (Sanofi-Pasteur).

8° lugar: Rotavírus

O Rotavírus causa infecção intestinal, com quadro de gastroenterite aguda. É uma causa importante de diarreia em bebês e crianças, que pode levar a desidratação grave e morte. A vacina é dada por via oral, em duas doses, aos 2 e 4 meses de vida.

No setor privado, a vacina é dada em duas ou três doses, dependendo da vacina utilizada (VR1 ou VR 5). A vacina oral atenuada pentavalente (VR5) é composta por cinco tipos de rotavírus vivos “enfraquecidos”. A vacina do rotavírus é contraindicada a partir dos 8 meses de vida.

Existem duas marcas dessa vacina no mercado, a Monovalente Rotarix (GSK) e a Pentavalente Rotateq (MSD).

7° lugar: Vacinas de HPV

O HPV (Papilomavírus Humano) é um vírus que infecta tanto homens quanto mulheres, provocando verrugas anogenitais (região genital e no ânus) e câncer, a depender do tipo de vírus. Em mulheres é causa importante de câncer do colo de útero.

Existem basicamente três tipos de vacinas contra HPV, a HPV 2, HPV 4 e HPV 9. A HPV 2 previne contra infecções causadas pelos tipos de HPV 16 e 18. A HPV 4, previne contra infecções causadas pelos tipos de HPV 6,11,16,18. Mais recentemente foi aprovada a vacina HPV9, que protege contra 9 tipos do vírus, indicada para meninas e mulheres de 9 a 26 anos de idade.

No SUS a vacina é dada a meninas e meninos, em duas doses, na adolescência. No setor privado, recomenda-se vacinação em duas doses para meninos e meninas entre 9 e 15 anos. De 15 anos em diante, recomenda-se três doses. Em adultos a partir dos 20 anos, vacinar os não vacinados anteriormente, a critério médico.

Os produtos disponíveis no mercado incluem a Cervarix HPV 2 (GSK), a Gardasil HPV4 (MSD) e a Gardasil 9 (MSD).

6° lugar: Tríplice Viral

A vacina tríplice viral é composta a partir de vírus vivos atenuados, protegendo contra três doenças importantes: sarampo, caxumba e rubéola. A volta dos casos de sarampo, em várias regiões do Brasil, aumentou a procura por essa vacina, inclusive por adultos e idosos.

No SUS, a vacina é dada em duas doses, sendo a primeira aos 12 meses de vida, e a segunda aos 15 meses, combinada à vacina contra varicela (tetraviral). Adolescentes e adultos que não foram vacinados anteriormente ou que possuem histórico de vacinação incerto, também podem tomar a vacina.

Duas marcas da tríplice viral disponíveis no mercado são a M-M-R-II (MSD) e a Priorix (GSK).

5° lugar: Hexavalente

A vacina Hexavalente é uma combinação de 6 vacinas em 1. Protege contra difteria, tétano, coqueluche, meningite provocada pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b, hepatite B e poliomielite. É ministrada em três doses, em bebês aos dois, quatro e seis meses de vida. Esta vacina não está disponível no SUS e é muito procurada no setor privado, pois representa uma injeção a menos no calendário de vacinação.

Há três marcas de hexavalente no mercado: Hexaxim (Sanofi-Pasteur), Infanrix Hexa (GSK) e Pediacel (Sanofi-Pasteur).

4° lugar: Meningocócica ACWY

A vacina Meningocócica conjugada quadrivalente — ACWY protege contra quatro sorogrupos de bactérias causadoras da meningite. No SUS, a vacina disponível é a Meningocócica C, que protege apenas contra o sorogrupo C, por isso essa vacina é bastante procurada no setor privado.

A vacina é aplicada em duas doses, a partir dos 3 meses de idade, com dose de reforço aos 12 meses e 5 anos de idade. Recomenda-se dose de reforço em adolescentes apenas para os não vacinados. Em adultos e idosos, vacina-se apenas pessoas em situações especiais de risco.

Três marcas dessa vacina existentes no mercado são a Menactra (Sanofi Pasteur), Menveo (GSK) e Nimenrix (Pfizer).

3° lugar: Pneumocócica

A vacina pneumocócica protege contra pneumonias causadas por diferentes tipos de agentes, entre eles o Streptococcus pneumoniae e Haemophilus influenzae tipo b. É indicada principalmente para crianças e idosos, que são mais sucetíveis à doença.

Existem três tipos de vacinas pneumocócicas disponíveis no mercado: a vacina pneumocócica conjugada 10-valente (VPC10), que previne cerca de 70% das doenças graves, a conjugada 13-valente (VPC13), que previne cerca de 90% das doenças e a pneumocócica polissacarídica 23-valente (VPP23), que protege contra 23 tipos de pneumococos.

No SUS, é dada a VPC10, em duas doses, aos 2 e 4 meses de vida, com uma dose de reforço aos 12 meses. O mesmo esquema pode ser feito com a VPC13 no setor privado e esta é a vacina mais procurada.

A VPP23 está disponível no SUS apenas para certos grupos de risco, por isso também possui demanda no setor privado. É indicada especialmente em idosos, em duas doses com intervalo de 5 anos entre elas. Recomenda-se que os idosos tomem também uma dose da VPC13.

A Synflorix (GSK) é a vacina VPC-10, a Prenevar 13 (Pfizer) é a vacina VPC-13 e a Pneumovax 23 (MSD) é a VPP-23 disponível no mercado.

2° lugar: Meningocócica B

A meningite meningocócica é uma doença grave causada por bactérias. Há 12 tipos de meningococos, sendo o tipo C mais comum (80% dos casos), seguido do tipo B. Os tipos A, W e Y são menos frequentes.

A vacina da Meningite B não é disponibilizada pelo SUS, por isso é uma das mais procuradas no setor privado. Em bebês, é aplicada em duas doses, iniciando aos 3 meses de idade, com uma dose de reforço entre os 12 e 15 meses. A partir dessa idade, é aplicada apenas para os não vacinados anteriormente. Em adultos e idosos, é recomendada apenas a pessoas em situação de risco.

A única vacina contra meningite B existente no mercado atualmente é a Bexsero (GSK).

1° lugar: Vacinas de Influenza (Gripe)

A vacina da gripe é a campeã disparada, correspondendo a mais de 60% de todos os pacientes atendidos em vacinação na farmácia. É uma vacina oferecida no SUS apenas a grupos de alto risco, como crianças, idosos e gestantes, por isso há grande procura no setor privado, principalmente por adultos.

Existem basicamente dois tipos de vacina influenza: a trivalente, que protege contra 3 tipos diferentes do vírus e a quadrivalente, que protege contra 4 tipos, sendo esta última a mais procurada. É uma vacina recomendada em todas as fases da vida, a partir dos 6 meses de idade até idosos, mas com forte componente sazonal. A campanha nacional de vacinação contra gripe vai de abril a junho de cada ano, portanto esteja atento a este período. Uma dica é reservar seu estoque de vacinas com bastante antecedência, pois em anos com alta incidência da doença, a grande procura pode levar a falta deste importante medicamento.

Há quatro marcas da vacina influenza tetravalente disponíveis: Fluarix Tetra (GSK), a Fluquadri (Sanofi-Pasteur), a Influvac Tetra (Abbott) e a Vaxitetra (Sanofi-Pasteur).

Para mais informações

As informações completas sobre calendários vacinais podem ser encontradas no site do Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Imunizações. As informações sobre vacinas registradas no Brasil podem ser encontradas no site da Anvisa.

[KIT] Carteira de vacinação + Calendário vacinal

mockup-carterinha-de-vacinação

Sobre nós

Clinicarx é a Plataforma de Serviços Farmacêuticos mais utilizada do Brasil. Nós organizamos tudo para que você ofereça serviços de saúde em sua farmácia.

Post Relacionados

Experimente grátis por
15 dias

Acompanhe

O que é o Clinicarx?

EXPERIMENTE O CLINICARX AGORA MESMO POR 15 DIAS!

2019 Clinicarx, todos os direitos reservados. Política de Privacidade   Edifício Fleming – Av. Mal. Humberto de Alencar Castelo Branco, 131 – Curitiba/PR  |   CNPJ: 26.740.121/0001-63