Hormônio Luteinizante (LH) no ciclo menstrual: dúvidas e orientações

hormônio luteinizante

O Hormônio Luteinizante (LH) é produzido pela hipófise e é responsável pela ovulação e produção de progesterona. É o preditor clinicamente mais útil da aproximação da ovulação.

Mulheres que desejam conhecer seu período de ovulação através dos níveis do Hormônio Luteinizante, encontram em farmácias e clínicas um teste rápido que ajuda a identificar esse período. 

Neste artigo vamos abordar:

  • O Hormônio Luteinizante no ciclo menstrual;
  • Valores de referência;
  • As fases ovulatórias, lúteas e folicular;
  • Orientações farmacêuticas às pacientes.

O LH no ciclo menstrual e valores de referência

Durante o ciclo menstrual, a concentração do hormônio LH varia, mas está presente em todas as fases.  A sua concentração aumenta durante o período fértil.

O LH no ciclo menstrual tem papel importante para a mulher, pois ele é um marcador para diagnosticar infertilidade, identificar a menopausa, entender causas de ausência de menstruação e liberação de óvulos.

Os valores de referência do LH são:

  • Fase folicular: 2,4 – 12,6 mUI/mL;
  • Pico ovulatório: entre 14 – 95,6 mUI/mL;
  • Fase lútea: 1 – 11,4 mUI/mL;

     

  • Menopausa: 7,7 – 58,5 mUI/mL.

Há diversas causas e condições clínicas associadas aos valores baixos ou altos do LH, vamos conhecer?

Para valores de referência de LH abaixo do normal, os indicativos são:

  • Problemas na hipófise;
  • Deficiência da produção do hormônio GnRH, que estimula a hipófise para produzir LH;
  • Síndrome de Kallmann, doença genética pela ausência da produção de GnRH;
  • Hiperprolactinemia.

Consequências:

Ausência de menstruação nas mulheres. É indicado procurar um médico para tratamento. 

Para valores de referência de LH acima do normal, os indicativos são:

  • Fase de ovulação;
  • Tumor na hipófise;
  • Puberdade precoce;
  • Menopausa precoce;
  • Síndrome do Ovário Policístico. 
hormônio luteinizante (LH)
MANUAL MSD - Versão para Profissionais de Saúde/reprodução

O Hormônio Luteinizante nas fases do ciclo

Os níveis de hormônio luteinizante (LH) estão diretamente relacionados ao ciclo ovulatório feminino. Nas mulheres, o aumento agudo de LH estimula a ovulação e o desenvolvimento do corpo lúteo. 

Com este resultado é possível estimar se a mulher encontra-se próxima da ovulação, período em que existe propensão para engravidar.

Os sintomas mais comumente associados ao período de ovulação são:

  • Mudanças na secreção vaginal, 
  • Aumento na temperatura do corpo, 
  • Dor abdominal de um lado da pélvis, 
  • Sangramento mínimo, 
  • Maior sensibilidade nos seios, 
  • Aumento da libido, 
  • Variações de humor, enxaqueca e náuseas.

Fase folicular 

A fase folicular do ciclo menstrual começa com o início da menstruação e termina no dia do pico de LH.

Nessa fase, os níveis de FSH aumentam, o que induz o recrutamento de um pequeno número de folículos. Mais tarde, entre os dias 5 e 7, um desses folículos se torna dominante. 

O folículo dominante se desenvolve e no meio do ciclo menstrual a hipófise libera uma onda de LH que estimula os estágios finais da maturação folicular e a ovulação.

Ovulação

A ovulação ocorre após o LH ser liberado em quantidades maiores, geralmente nas próximas 36 a 40 horas.

Dessa maneira, o pico de LH é responsável pela ruptura da parede do folículo e a liberação do óvulo maduro.

Fase lútea

A fase lútea se estende do dia do pico de LH até o início da próxima menstruação.

Com duração de 14 dias, o folículo se transforma em um corpo lúteo depois de liberar o óvulo. 

Primeiro, esse corpo lúteo estimula a produção de progesterona em quantidades aumentadas, chegando a uma média de 25 mg/dia, 6 a 8 dias após a ovulação. 

Nessa primeira fase lútea o estradiol também se encontra em níveis altos. Esse aumento de estradiol e progesterona aumentam a proliferação celular e a vascularização do endométrio para otimizar a fixação do óvulo fecundado.

Caso não ocorra fixação do óvulo no endométrio, na fase lútea tardia acontece a diminuição da síntese de estradiol e de progesterona e isso resulta no início do fluxo menstrual, que marca o início de um novo ciclo.

Hormônio Luteinizante (LH) e seu papel da fertilização

A duração média do ciclo menstrual é 28 dias (variando de 21 a 40 dias). O primeiro dia da menstruação é o dia 1 e a ovulação geralmente ocorre no dia 14.

Para acontecer a fecundação do óvulo nas tubas uterinas, o hormônio luteinizante provoca o rompimento da parede folicular que ocasiona a liberação do óvulo.  

Esse período em que o óvulo está disponível para ser fecundado é o que é chamado de período fértil de uma mulher.

Após a ovulação, se ocorrer a fecundação, o óvulo fecundado migra até o útero e se fixa no endométrio.

A gravidez ocorre quando esse óvulo consegue se fixar no endométrio. Para isso acontecer, o endométrio precisa estar saudável e com a vascularização adequada.

Os hormônios da gravidez ou hormônios placentários são produzidos no primeiro trimestre após a formação do corpo lúteo.

O estrógeno, a progesterona, o hormônio lactogênio placentário e hCG começam a ser produzidos nesse primeiro momento.

O hCG produzido pela placenta é o hormônio mais conhecido nessa fase da gravidez, ele é divido entre alfa e beta

A subunidade alfa do hCG é muito parecida às subunidades alfa hormônios hipofisários TSH, FSH e o Hormônio Luteinizante, produzidos pela hipófise.

Por esse motivo, o hormônio luteinizante na gravidez também pode aparecer em níveis mais altos

Como esses hormônios podem se confundir por serem semelhantes, no teste laboratorial de gravidez, analisa-se o beta do hCG, ou β-hCG, para garantir que não seja dosado um desses outros hormônios produzidos. 

O teste rápido de LH

Para quem é este teste?


O teste rápido para dosagem de LH é indicado principalmente para:

  • Mulheres que desejam identificar o período de ovulação;
  • Homens, para rastreamento de problemas de fertilidade;
  • Crianças, sob pedido médico, para rastreamento de puberdade precoce.

O teste rápido para dosagem de LH atende o interesse de mulheres que desejam a gestação, figurando como aliado para melhor previsão do período fértil ao longo do ciclo menstrual.

Dessa maneira, o teste rápido do LH pode ser feito por mulheres, por exemplo, que estão fazendo tratamento de fertilidade e precisam identificar o melhor momento para engravidar,aumentando as chances de sucesso do tratamento.

O resultado é mostrado no painel do equipamento em mUI/mL. Esse é o valor que deve ser inserido no laudo.

Monitorar níveis hormonais até o pico da liberação hormonal, a partir do qual se espera a ovulação em 36 a 40h.

Espera-se níveis de LH entre 14 – 95,6 mUI/mL durante a fase de ovulação, que equivale aos dias férteis da mulher. 

  • Outros valores são esperados para outras fases do ciclo ovulatório:

Valores fora do intervalo entre 14 – 95,6 mUI/mL e/ou redução nos níveis de LH em medidas sequenciais indica a ausência de ovulação ou que a ovulação já aconteceu. 

Para este último caso, aguarde o próximo ciclo e inicie o acompanhamento 2 dias antes da data provável da ovulação.

Testes Rápidos Clinicarx

Com o serviço de Testes Rápidos da Clinicarx, você pode implementar TLR na sua farmácia ou clínica, com todo suporte do nosso Laboratório Clínico Central, e emitir laudo laboratorial válido para entregar ao seu paciente. 

Você pode encontrar também um curso completo online sobre o assunto em nossa plataforma educacional, ideal para quem está começando no tema.

Aproveite nosso plano Free e utilize gratuitamente a plataforma, oferecendo testes rápidos na sua farmácia e mais valor em saúde às suas pacientes. 

 

*Esse conteúdo foi aprovado pelo corpo técnico da Clinicarx.

Clinicarx lança plano Free para farmácias implementarem serviços de saúde

plano Free

A missão que movimenta a Clinicarx é levar mais saúde ao maior número de pessoas, atender a população através de pontos de saúde estruturados e preparados para oferecer alta qualidade de atendimento e tornar o paciente protagonista da sua saúde. 

Como caminhamos para alcançar esse objetivo? Proporcionando ferramentas para que nossos clientes se empoderem, cresçam e impulsionem seus pontos de saúde. O plano Free é uma delas!

Ouça o que nossos clientes têm para contar 

O farmacêutico Alan Rezende, da PharmaReal, aumentou em pelo menos 40% seu faturamento mensal na farmácia com a oferta de serviços em saúde pela Clinicarx. 

Com os rastreamentos em saúde, avaliações e acompanhamento dos pacientes crônicos que ele consegue realizar pela plataforma, a fidelização de pacientes veio como consequência junto com o retorno financeiro.

Assista ao webinar completo!

A Attive Pharma, a primeira farmácia a realizar testes rápidos para Covid-19 em Mato Grosso do Sul, conseguiu aumentar sua renda em 300% no ano de 2020. A gerente Flávia T. França, conta um pouco desse processo aqui.

“A Clinicarx oferece o auxílio que você precisa para oferecer serviços em sua farmácia, como App para pacientes, menu de serviços, gerenciamento de resultados e muito mais”.

A farmacêutica Daniely Proença também turbinou seu faturamento com a oferta de serviços farmacêuticos mais variados, principalmente com os procedimentos de controle e rastreamento em saúde, como exame de glicemia e pressão arterial. 

Screenshot 1 1

O Plano Free Clinicarx nasceu embasado nesse propósito. Para facilitar tanto a implantação de serviços farmacêuticos nos pontos de saúde, quanto a acessibilidade a esses serviços pela população.

E você pode ser um dos mais de 14.000 mil profissionais do Brasil que utilizam nossa plataforma.

A plataforma Clinicarx em sua versão gratuita e por tempo ilimitado possui um algoritmo inteligente baseado diretrizes e protocolos clínicos atualizados para você realizar o atendimento farmacêutico

É possível orientar o paciente com toda a segurança, emitir relatórios de saúde completos e ajudar outros profissionais de saúde a tomar decisões mais assertivas no tratamento do paciente.

Além disso, o plano Free proporciona:

  • implantação dos serviços básicos e mais procurados nas farmácias como pressão arterial, injetáveis, exame de glicemia, perfuração de lóbulo e os testes rápidos;
  • rentabilizar e analisar custos, número de procedimentos, para pensar na saúde financeira da sua farmácia ou clínica;
  • realizar prescrições farmacêuticas orientadas com uma base de medicamentos que o farmacêutico pode prescrever já cadastrada através da SmartRx;
  • acesso a cursos exclusivos com certificações da plataforma EAD Clinicarx University;
  • aplicativo mobile para pacientes com acesso aos dados da consulta;
  • documentação e sistema de POP’s cumprindo a legislação e de acordo com a vigilância sanitária;
  • Declaração de Serviço Farmacêutico automatizada e personalizada.

A Clinicarx oferece e organiza tudo o que você precisa para começar a oferecer os principais serviços de saúde! 

Com o plano gratuito, é possível começar a entregar mais aos seus clientes, sabendo que os serviços cumprem a legislação vigente e têm todas as orientações necessárias para um atendimento diferenciado.

Para quem é o plano Free?

O plano gratuito da Clinicarx engloba diversos nichos farmacêuticos, seja para farmácias que estão começando ou querem começar a ofertar serviços de saúde, como para farmácias comunitárias e independentes. 

Para quem já oferece serviços básicos e quer avançar, implantar novos serviços mais especializados, como prescrição farmacêutica, aplicação de injetáveis, teste de glicemia, testes rápidos.

Para quem quer começar a visualizar melhor seu escopo de serviços farmacêuticos, aumentar sua gama de ofertas e, principalmente, precificar para cobrar e analisar seus custos.

Para todos os tipos de farmácias ou clínicas, o plano Free é uma ótima oportunidade para quem está começando ou quer avançar no processo de serviços farmacêuticos, pois possibilita explorar as ferramentas e entender o momento do seu negócio. 

Além de proporcionar suporte técnico, seguir as legislações vigentes e garantir vínculo aos laboratórios clínicos para laudagem de testes. Assim, o farmacêutico pode focar no atendimento à população e no empoderamento da sua prática. 

Por onde começar?

Para começar a utilizar o plano Free, basta você iniciar seu cadastro, você precisa ter em mãos: seus dados pessoais, dados da sua empresa como CPNJ, seu registro profissional. 

Habilite sua unidade com as informações necessárias no primeiro acesso, e depois é só explorar as funcionalidades, escolher os serviços que a farmácia ou clínica quer oferecer, atender seus pacientes e começar a rentabilizá-los.

Esses são os primeiros passos que o profissional da saúde precisa para utilizar a plataforma gratuitamente. 

  • No cadastro, não é necessário registrar cartão de crédito ou pagar alguma taxa. 
plano free

Quais serviços implementar?

Bom, para responder a essa pergunta, vamos aos serviços de saúde que estão disponíveis na versão gratuita:
  • Pressão Arterial: Exame de medição da pressão arterial, um dos serviços mais procurados na farmácia, para que você avalie seu paciente e realizar um rastreamento em saúde ou ajudar a acompanhar um paciente hipertenso.
  • Exame de Glicemia: Controle e investigação a respeito do equilíbrio metabólico do paciente, rastreamento e auxílio na prevenção do diabetes.
  • Aplicação de injetáveis: Aplicação de medicamentos injetáveis com prescrição médica, amplamente procurado nas farmácias.
  • Perfuração de lóbulo: Perfuração do lóbulo do paciente para a colocação de brincos. É comum que os pacientes que realizam este serviço sejam bebês.
  • Testes rápidos: Exames padronizados dos melhores fornecedores do país, com protocolos clínicos de atendimento que guiam o farmacêutico em relação à indicação, realização, interpretação de resultados, notificações ao Ministério da Saúde e entrega do laudo ao paciente. Os testes disponíveis são: Covid-19, Glicemia, Perfil Lipídico, Hemoglobina Glicada e Dengue.
  • Triagem para Covid-19: Triagem clínica de pacientes com sintomas de síndrome gripal, suspeitos de Covid-19, incluindo avaliação de alguns sinais vitais, oximetria e sintomas.
  • Prescrição farmacêutica: Base completa com todos os produtos isentos de prescrição médica, com orientações, apresentação e posologia corretos, para elaboração da prescrição em segundos, cumprindo a legislação.

Os serviços de saúde possuem uma ordem de complexidade, relativa à prática e experiência clínica que determinado serviço desempenha, alguns são básicos e outros já são procedimentos avançados na atuação farmacêutica. 

Por exemplo, os testes rápidos são um dos serviços que mais cresceram no último ano, e seu papel no rastreamento em saúde tem relevância no valor do atendimento, gera informações importantes para o paciente que podem agregar em relatórios ao médico. 

  • São diversos testes rápidos cadastrados na plataforma, com Laboratório Clínico de Apoio, responsável pela realização e assinatura do laudo de todos os testes rápidos realizados. 

  • Esse laboratório cuida da garantia da qualidade, integrado ao Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ), e fornece todo suporte para o ponto de saúde que realiza testes rápidos. 

  • Além disso, a plataforma Clinicarx conta com Painel de gerenciamento de lotes para laudagem personalizada

Escolher quais oferecer depende de alguns fatores, como sua experiência prévia em atendimento de pacientes, o tipo de paciente que você deseja atingir e quais são seus objetivos em relação ao negócio da farmácia. 

As dúvidas podem ser várias, mas com clareza de objetivos e pesquisa, é possível visualizar quais serviços mais rentabilizam e que seus pacientes precisam.

Pensando nessa jornada, também, a Clinicarx desenvolve cursos de capacitação para profissionais da saúde que oferecem ou desejam oferecer mais serviços avançados, para que o empoderamento do conhecimento se alie à prática. 

Esses cursos estão disponíveis no plano Free e contemplam diversos assuntos.

Para cada um dos serviços existe um modelo pronto aliado à plataforma, ou seja, mesmo sem experiência prévia, o software disponibiliza POP’s automáticos para implementação, cursos exclusivos e muito mais para o farmacêutico começar a trabalhar e evoluir.

  • Quanto mais amplo for o portfólio de serviços, maior potencial financeiro e mais rapidamente você alcançará a sustentabilidade de seu negócio baseado em serviços.

Quanto cobrar pelos serviços?

O plano Free contempla a gestão financeira da clínica ou farmácia, por isso, através do painel gerenciador, é possível analisar e calcular seus custos por procedimento e número de atendimentos realizados. 

Além disso, a plataforma possui sugestões de preços integrados aos serviços oferecidos, com base em pesquisa de cálculos e médias de valores de mercado, ainda, é possível cadastrar o procedimento de forma personalizada com o valor desejado.

A Clinicarx permite que sejam criadas metas ou comissões diferentes para os seus funcionários. 

Ou seja, todos os atendimentos são conectados com seu checkout de serviços, com diversos relatórios financeiros e de produtividade para que exista um controle sobre os resultados e planejamento financeiro.

Nesse processo, o farmacêutico consegue fazer a precificação adequada dos seus serviços, cobrar por procedimento de forma autônoma e organizar o orçamento para que possa ampliar sua atuação.

  • Quer saber tudo sobre como precificar cada um dos seus serviços? Baixe nosso eBook gratuito.  

Analise com cuidado com seus custos, para que possa alcançar um preço final que traga sustentabilidade ao seu negócio baseado em serviços. Para alcançar uma precificação justa e competitiva, você deve considerar também os preços médios do mercado. 

Quanto posso faturar com serviços farmacêuticos?

Essa é a pergunta chave que com certeza todos querem a resposta! Já no primeiro mês de uso da plataforma no plano gratuito, você consegue começar a analisar seus números e visualizar quanto de renda seus serviços podem agregar. 

É claro que demanda mais tempo para ter uma base sólida de rentabilidade, pois você precisa planejar, implementar um modelo sustentável e fidelizar seus pacientes. Com o plano Free, o farmacêutico percorre esse caminho mais rápido e de graça. 

Existe um amplo leque de serviços de saúde que podem ser prestados na farmácia e eles não são todos iguais. 

Por isso, deve-se pensar em “mix de serviços“, numa lógica semelhante ao “mix de produtos” que uma loja possui. Maior variedade de oferta de serviços significa maior rentabilidade.

Serviços farmacêuticos básicos, como pressão arterial, testes de glicemia, aplicação de injetáveis, geralmente possuem ticket-médio menor (por volta de R$ 9,70) porém maior volume e boa margem (~80%). 

Por isso, são fundamentais para a saúde financeira de um negócio baseado em serviços. Serviços básicos geram dinheiro novo para a farmácia.

Então, o novo plano gratuito da Clinicarx atende todos os tipos de farmácias e clínicas que estejam começando a ofertar serviços farmacêuticos ou que querem entrar nesse movimento pela saúde e atender à população com qualidade. 

Agora é a hora de colocar a mão na massa e experimentar na prática, afinal, é de graça!   👉🏽 Acesse e comece hoje.

7 dúvidas mais comuns sobre serviços de saúde em farmácias

serviços de saúde em farmácias
Este artigo é para você que tem dúvidas sobre serviços de saúde em farmácias. Iremos abordar:
 
  • o que são serviços de saúde;
  • como são esses serviços nas farmácias;
  • como oferecê-los na sua farmácia.

 

Hoje em dia as pessoas buscam cuidar da saúde de forma ágil, prática e conveniente, e os serviços de saúde em farmácias se tornaram essenciais nesse movimento.

Os serviços farmacêuticos cresceram exponencialmente nos últimos anos e a sua necessidade se fez notável, em especial com a oferta de testes rápidos e vacinação.

Você, farmacêutico, que quer começar a oferecer mais aos seus clientes, têm dúvidas?

Nós esclarecemos para você as principais perguntas sobre os serviços de saúde em farmácias

Entendendo o que são e quais são os serviços de saúde em farmácias

1. O que são os serviços farmacêuticos?

Serviços farmacêuticos são aqueles serviços de cuidado à saúde, prestados por farmacêuticos aos pacientes em farmácias ou consultórios particulares.

O modelo de prática no qual os serviços farmacêuticos se fundamentam é chamado de “cuidado farmacêutico” ou “atenção farmacêutica”.

Os serviços farmacêuticos tornaram-se uma tendência para as farmácias nos últimos anos, devido aos benefícios de sua implementação, como maior valor ao atendimento, entrega de saúde de qualidade ao paciente, rentabilidade e destaque no mercado para a farmácia.

Existem diversos tipos de serviços que podem ajudar a farmácia e beneficiar a saúde dos clientes.

2. Que serviços clínicos o farmacêutico está autorizado a oferecer?

As atribuições do farmacêutico no campo da farmácia clínica e dos serviços farmacêuticos avançaram muito na última década, e isso começa pela própria formação na graduação.

Estão entre as competências desse profissional ligadas à prestação de serviços de cuidado em saúde, destacam-se:

    • Rastreamento em saúde; 
    • Educação em saúde; 
    • Manejo de problemas de saúde autolimitados;
    • Revisão da farmacoterapia;
    • Gestão  da condição clínica;
    • Entre outros serviços de saúde como: testes rápidos e vacinação. 

Dentre as atribuições clínicas do farmacêutico, na assistência à saúde, destacam-se:

    • Estabelecer e conduzir uma relação de cuidado centrada no paciente;
    • Desenvolver, em colaboração com outros profissionais de saúde, ações para a promoção, proteção e recuperação da saúde, e a prevenção de doenças e de outros problemas de saúde;
    • Realizar intervenções farmacêuticas e emitir parecer farmacêutico a outros profissionais de saúde, com o propósito de auxiliar na seleção, adição, substituição, ajuste ou interrupção da farmacoterapia do paciente;
    • Prover a consulta farmacêutica em consultório farmacêutico ou em outro ambiente adequado que garanta a privacidade do atendimento;
    • Fazer a anamnese farmacêutica, bem como verificar sinais e sintomas, com o propósito de prover cuidado ao paciente;
    • Solicitar exames laboratoriais, no âmbito de sua competência profissional, com a finalidade de monitorar os resultados da farmacoterapia;
    • Avaliar resultados de exames clínico-laboratoriais do paciente, como instrumento para individualização da farmacoterapia;
    • Determinar parâmetros bioquímicos e fisiológicos do paciente, para fins de acompanhamento da farmacoterapia e rastreamento em saúde;
    • Realizar ações de rastreamento em saúde baseadas em evidências técnico-científicas e em consonância com as políticas de saúde vigentes; 
    • Informar, orientar e educar os pacientes, a família, os cuidadores e a sociedade sobre temas relacionados à saúde, ao uso racional de medicamentos e a outras tecnologias em saúde.

3. Que tipos de clientes a farmácia atende com esses serviços?

Com a variedade de serviços de saúde em farmácias, podemos dizer que toda a população pode se beneficiar em diferentes momentos do ciclo de vida (criança, adolescente, adulto e idoso) ou da história natural de doenças.

    • Serviços como procedimentos básicos e avançados podem auxiliar na avaliação de sintomas e fatores de risco, servindo tanto para detecção precoce de doenças, como parâmetros de saúde no acompanhamento de doenças crônicas. 
    • O paciente crônico pode ter na farmácia seu ponto de apoio de acompanhamento da doença, levando relatórios de evolução e avaliação farmacêutica ao médico, agilizando e otimizando o ajuste contínuo do tratamento. 
    • A maioria das vacinas do calendário nacional do setor público e privado podem ser encontradas na farmácia, incluindo vacinas para meningites, HPV, hepatites, influenza, herpes zoster, pneumonias, entre outras. 
    • Serviços de testes rápidos são um recurso importante para detecção precoce de várias doenças, possibilitando encaminhamento rápido e informação acurada para o médico realizar o diagnóstico e prescrever um tratamento. 

Na Clinicarx, o profissional de saúde conta com todos esses serviços padronizados e com algoritmos inteligentes que vão ajudar a guiar o atendimento e dar mais segurança ao farmacêutico.


4. Quanto tempo leva um atendimento na farmácia?

O tempo médio por atendimento fica entre 10 e 15 minutos, dependendo do serviço prestado na sua drogaria ou farmácia.

Na Clinicarx, analisando os mais de 2,8 milhões de atendimentos feitos entre janeiro/2020 e fevereiro/2021, o tempo médio por atendimento no software foi de 13 minutos. Na configuração padrão da agenda da clínica, reservamos 20 minutos para cada atendimento.

Alguns serviços de saúde, como testes rápidos, exigem que o paciente aguarde pelo resultado do exame no equipamento ou cassete, o que pode levar cerca de 15 minutos em alguns casos. 

Por isso, esse tipo de atendimento geralmente vai consumir 20 a 30 minutos da agenda.  Outros serviços, como procedimentos básicos, são mais ágeis e podem levar apenas 5 a 10 minutos.

No acompanhamento de pacientes crônicos, principalmente aqueles que utilizam muitos medicamentos, o farmacêutico pode ficar tentado a passar muito tempo com o paciente, em consultas longas de 30 a 60 minutos, mas esse não é o formato recomendado. 

É preferível que o profissional limite o tempo de consulta, investindo em mais retornos do paciente, abordando os problemas de saúde aos poucos e priorizando as situações mais graves e urgentes.

5. Quais testes rápidos podem ser realizados nas farmácias?

Os testes rápidos podem ser realizados hoje em ambientes como consultórios privados, unidades básicas de saúde, pronto atendimento, empresas, farmácias e até mesmo na casa do paciente. 

São também chamados de “point-of-care testing”.

Os testes rápidos mais procurados em farmácias, são:

Covid-19 IgG/IgM

Covid-19 Antígeno

Beta-HCG (Gravidez)

Glicemia

Hemoglobina Glicada A1c

Perfil Lipídico

Dengue (DUO; IgG/IgM; NS1)

Ácido Úrico

Antígeno Prostático Específico (PSA)

Chikungunya

Covid/Flu A/B Ag

Dímero-D

Estreptococos Grupo A

H. Pylori

Hemoglobina (Hematócrito)

Hepatite B

Hepatite C

Hormônio Luteinizante (LH)

HIV

HIV/Sífilis

Influenza A/B (Gripe)

Malária

Lactato

Proteína C Reativa (PCR)

Rubéola

Sífilis

Toxoplasmose

Vírus Sincicial Respiratório (VSR)

Zika

 

6. Qual o investimento necessário para começar a oferecer?

O investimento depende dos serviços que serão prestados e dos materiais e infraestrutura que você precisará adquirir para iniciar seus serviços.

Sala de Atendimento

Depende muito da necessidade de reforma e do padrão de acabamento desejado. Uma sala básica com divisórias pode sair por menos de R$ 5.000,00. 

A aquisição de móveis e equipamentos básicos, como computador e impressora, pode ficar em torno de R$ 7.000,00.

Além da estrutura física e mobiliário, o investimento em insumos é marginal, pois são itens como álcool 70%, algodão, stopper, papel toalha, entre outros itens normais de consultório.

Procedimentos Básicos e Avançados

Os equipamentos e insumos necessários para esses serviços costumam ter baixo custo. O investimento para adquirir equipamento de pressão, glicosímetro, fita antropométrica e balança gira em torno de  R$ 1.000,00.

Confira mais sobre investimentos pontuais sobre cada serviço aqui.

7. Serviços de saúde em farmácias aumentam as vendas?

Sim, e isso acontece de duas formas diferentes. Uma delas é pela criação de novas oportunidades de vendas geradas pela prestação de serviços.

Um paciente vai a farmácia para receber um serviço e pode adquirir algum medicamento ou produto destinado a melhorar sua saúde, receitados pelo médico ou para problemas detectados pela própria prestação do serviço. 

Falando em números, com a Clinicarx, o farmacêutico Alan Rezende, da PharmaReal, aumentou em aproximadamente 40% seu faturamento

Além de garantir um atendimento personalizado e aumentar a receita, a plataforma ajudou a profissionalizar a operação e valorizar o papel do farmacêutico na atenção primária à saúde.

Existem muitas oportunidades de vendas agregadas para uma série de categorias de produtos de prescrição e isentos de receita médica.

Outra forma de aumentar as vendas é pela fidelização do cliente. Todos os meses, são alguns clientes que compram muitos medicamentos e representam uma parte substancial do seu faturamento. São clientes que “garantem a meta” das vendas da farmácia.

Agora que você já tirou as principais dúvidas que podem surgir na hora de desenhar os seus serviços de saúde em farmácias, não deixe de experimentar gratuitamente a plataforma mais utilizada por farmacêuticos.

Conheça e acesse o plano Free da Clinicarx e comece a oferecer serviços farmacêuticos!

Nova Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial

A nova  Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial é fruto de um trabalho conjunto entre  a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), o Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia (DHA-SBC) e a Sociedade Brasileira de Nefrologia.

A publicação traz novas recomendações para o diagnóstico e tratamento da hipertensão arterial sistêmica.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença com alta prevalência em todo o mundo e está fortemente associada a mortes por doenças cardíacas.

No Brasil, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte, hospitalizações e atendimentos ambulatoriais.

Apesar de fácil diagnóstico e tratamento eficaz com diversas possibilidades terapêuticas, a doença frequentemente assintomática dificulta a adesão aos cuidados, tornando o controle da HAS difícil em todo o mundo. 

A pressão arterial deve ser medida em toda avaliação por profissionais da saúde capacitados.

Nesse contexto, o farmacêutico, como um profissional de saúde habilitado e capacitado, pode oferecer esse serviço na farmácia e fazer o acompanhamento de pacientes hipertensos.

Para isso, ele deve sempre estar atento às novas recomendações divulgadas em publicações de referência, como é o caso da Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial.

Pensando nisso, destacamos as mudanças da nova diretriz para você conferir neste artigo.

Mudança na classificação da pré-hipertensão

Com a nova diretriz, a pressão arterial (PA) antes considerada normal passou a ser considerada ótima e os valores que eram considerados na definição de pré-hipertensão passaram a ser divididos entre PA normal e pré-hipertensão. 

A pré-hipertensão agora é definida por uma pressão arterial sistólica (PAS) entre 130 e 139 mmHg e/ou pressão arterial diastólica (PAD) entre 85 e 89 mmHg.

Portanto, as classificações da pressão arterial de acordo com medição no consultório ficaram:

Classificação

PAS (mmHg)

PAD (mmHg)

PA ótima

<120

<80

PA normal

120-129

80-84

Pré-hipertensão

130-139

85-89

HAS Estágio 1

140-159

90-99

HAS Estágio 2

160-179

100-109

HAS Estágio 3

≥180

≥110

Fonte: Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

É importante ressaltar que a faixa dos valores de PA normal não são considerados ótimos e deve ser acompanhada mais de perto.

Monitorização Residencial da Pressão Arterial (MRPA)

A MRPA é uma modalidade de medição realizada com protocolo específico que consiste na obtenção de três medidas da PA pela manhã (antes do desjejum e antes da tomada da medicação) e três medidas à noite (antes do jantar) durante cinco dias ou na obtenção de duas medidas pela manhã e à noite durante sete dias consecutivos. 

Os valores de referência para MRPA mudaram e a nova diretriz considera hipertensão arterial quando os valores são maiores ou iguais que 130/80 mmHg, enquanto na Diretriz de 2016 os valores de referência eram 135/85 mmHg.

Metas terapêuticas

A nova diretriz enfatiza a importância de determinar o risco cardiovascular do paciente (a partir da estratificação de risco) para estabelecer as metas pressóricas a serem obtidas com o tratamento anti-hipertensivo.

Confira as metas pressóricas de acordo com o risco cardiovascular: 

META

Risco baixo ou moderado

Risco alto

PA sistólica (mmHg)

<140 mmHg

120-129 mmHg

PA diastólica (mmHg)

<90 mmHg

70-79 mmHg

Fonte: Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

Metas pressóricas para idosos

Na nova Diretriz, os idosos são divididos em dois grupos conforme seu estado global de saúde: hígidos e frágeis.

Confira as metas de tratamento para idosos considerando a condição global de seu estado de saúde e a medida da pressão arterial no consultório:

 

PAS de consultório

PAD de consultório

Condição global

Limiar de tratamento

Meta pressórica

Limiar de tratamento

Meta pressórica

Hígidos

≥140

130-139

≥90

70-79

Frágeis

≥160

140-149

≥90

70-79

Fonte: Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

 Tratamento medicamentoso 

Em relação ao tratamento medicamentoso, a monoterapia passou a ser indicada apenas para pré-hipertensos com alto risco cardiovascular, para pacientes muito idosos ou idosos frágeis e para pessoas com HAS estágio 1 com risco cardiovascular baixo.

Dessa maneira, o início do tratamento com terapia combinada é indicado para pacientes com HAS estágio 1 de risco moderado ou alto, pacientes com HAS estágio 2 e 3.

Assista ao nosso Webinar completo de Acompanhamento de Pacientes Hipertensos com a Clinicarx, ministrado pela farmacêutica Fernanda Alcântara.

Que tal aplicar o conhecimento?

Agora que você já leu sobre as mudanças estabelecidas com a nova Diretriz Brasileira de Hipertensão, lembre-se delas no momento em que estiver fazendo o acompanhamento de um paciente hipertenso ou realizando um rastreamento em saúde.

Além disso, você pode marcar um retorno com os pacientes hipertensos, avaliar as metas terapêuticas e acompanhar mais de perto os pré-hipertensos.

Com a plataforma Clinicarx, além de contar com um checklist para seguir a técnica correta, após a avaliação da pressão arterial você pode imprimir a Declaração de Serviço Farmacêutico (DSF) com um design exclusivo que torna o documento muito mais atrativo e intuitivo para o seu paciente.

Quanto cobrar pela aplicação de injetáveis? Uma análise de mercado.

aplicação de injetáveis

Um dos serviços farmacêuticos mais comuns nas farmácias é a aplicação de injetáveis. O procedimento deve ocorrer na farmácia a partir da apresentação de uma prescrição médica pelo paciente. 

As especificações sobre esse serviço estão descritas nas resoluções 499/08 do Conselho Federal de Farmácia e na RDC 44/2009 publicada pela ANVISA. A autorização legal das farmácias aplicarem injetáveis, porém, é muito mais antiga, remontando à Lei 5.991/1973.

O que é a aplicação de injetáveis?

O serviço de aplicação de injetáveis tem por objetivo administrar medicamentos pela via parenteral, solicitados por prescrição médica ou odontológica. É parte essencial de qualquer tratamento com esse tipo de medicamento.

As farmácias prestam esse serviço essencial há décadas, mas ainda há muito espaço para diferenciação. Existem farmácias que prestam esse serviço com má qualidade, de forma gratuita ou sem o devido profissionalismo. Por outro lado, muitas farmácias já entenderam o valor agregado que esse serviço pode trazer, e já faturam com um serviço diferenciado que transmite muito mais segurança para os clientes.

A aplicação de medicamentos injetáveis pode ocorrer por diversos vias de administração, incluindo subcutânea, intramuscular, intravenosa ou intradérmica. O serviço é prestado em uma sala de atendimento com privacidade e segurança para o paciente.

aplicação de injetáveis
Modelo de uma sala de aplicação de injetáveis e serviços farmacêuticos, com maca. Crédito pelo imagem: Aplicar Saúde.

As vacinas também são medicamentos aplicados por via injetável, mediante prescrição médica ou análise da carteira vacinal conforme o caso, mas possuem uma legislação específica (RDC 197/2017 Anvisa), por isso são consideradas um serviço à parte.

Preços praticados para aplicação de injetáveis em farmácias

Analisamos dados de 209.052 aplicações de injetáveis, realizadas durante o ano de 2020, de janeiro a dezembro, por farmácias que utilizam a Plataforma Clinicarx em todo país. Importante lembrar que os dados incluem todo período de tempo da pandemia de Covid-19.

Em todo país, o preço médio praticado por esse serviço é de R$ 11,40, podendo variar desde o preço simbólico de R$ 1,00 até R$ 50,00 por aplicação. A região com maior preço médio é o Sul, com R$ 13,36 por aplicação, seguida pelo Nordeste, com R$ 11,32. A região com menor preço praticado é o Sudeste, com apenas R$ 9,64 por aplicação.

A seguir, confira a tabela nacional contendo preço médio, mínimo e máximo praticados para esses serviços conforme a região do país.

Serviço de aplicação de injetáveis: preços praticados

Região Preço mínimo Preço máximo Preço médio
Centro-Oeste R$ 3,00 R$ 15,00 R$ 9,75
Nordeste R$ 1,00 R$ 50,00 R$ 11,32
Norte R$ 4,99 R$ 15,00 R$ 11,11
Sudeste R$ 2,00 R$ 24,99 R$ 9,64
Sul R$ 1,50 R$ 25,00 R$ 13,36
Total Brasil R$ 1,00 R$ 50,00 R$ 11,40
Preços praticados por farmácias para aplicação de injetáveis no Brasil. Dados considerando 209.052 aplicações por mais de 3 mil farmácias localizadas em todas as regiões do país.

Considerando o preço médio nacional, observou-se um faturamento em 2020 da ordem de 2,3 milhões de reais. Uma farmácia que realiza, por exemplo, 50 aplicações/mês pode faturar apenas com esse serviço simples entorno de R$ 570,00 por mês, podendo chegar a R$ 2.500,00/mês. Portanto, esse faturamento no ano pode variar de R$ 6.000,00 a R$ 30.000,00 por farmácia.

Em uma farmácia que fatura, por exemplo, R$ 50.000,00/mês, a aplicação de injetáveis pode representar entre 1% a 5% do faturamento, dependendo do preço cobrado, com uma margem bruta de 80-90 % sobre esse valor. Quanto maior o preço, maior a margem.

Outro aspecto importante a ser considerado é a contribuição do serviço de aplicação de injetáveis para a margem agregada da venda do produto. Tomando como exemplo o medicamento Disprospan Suspensão Injetável, que possui um preço de varejo próximo a R$ 28,00, a aplicação do medicamento, considerando a média do mercado, eleva o ticket da venda para R$ 39,40, um aumento de 40,7%. Sem contar a contribuição para o lucro líquido da venda, potencializado pela prestação do serviço.

Drogaria Venancio: exemplo de sucesso em injetáveis e serviços

Uma das farmácias que se destacam nacionalmente na prestação de serviços farmacêuticos é a Drogaria Venancio. São vários serviços farmacêutico prestados, como checkups de pressão arterial, prescrição farmacêutica, vacinas, testes rápidos e aplicação de medicamentos injetáveis.

O faturamento da rede com prestação de serviços já era destaque antes da pandemia do Covid-19, tendo a aplicação de injetáveis como um dos carros-chefe, tanto em volume como em valor.

Conforme explica Renane Bernardes, supervisora farmacêutica da rede: “Os serviços farmacêuticos devem ser cobrados. Inclusive o nosso preço no serviço de injetáveis fica acima da média nacional, pois estrategicamente colocamos esse serviço cobrado nas filiais em que nossos clientes percebem mais valor”.

Conclusão: vale a pena fazer esse serviço na farmácia?

Os números mostram que sim. Este é um serviço tradicional, demandado pelas pessoas e que, se bem feito, pode agregar à rentabilidade do estabelecimento. Para valer a pena, farmacêutico e proprietário devem cobrar pelo serviço e entregar uma qualidade de serviço condizente com esse preço.

Além disso, há diversas oportunidades escondidas nesse serviço. Se bem aproveitadas, podem transformar sua farmácia em referência e levar seus ganhos para outro nível. Por exemplo:

  • Aplicação de injetáveis de uso longo ou contínuo, com agendamentos, por exemplo anticoncepcionais hormonais;
  • Atendimento domiciliar, com cobrança de taxa extra;
  • Aplicação de medicamentos de alto custo, que os pacientes tem dificuldades em conseguir;
  • Aplicação por via endovenosa, com valor diferenciado, pois muitas farmácias não prestam mais esse serviço;
  • Serviços especiais para diabéticos, com plano de assinatura para aplicação e acompanhamento do uso de insulinas;
  • Eventos e treinamentos para cuidadores e pacientes que precisam fazer auto-aplicação em casa;
  • Entre outras!

O que você precisa para começar?

Para realizar esse serviço na sua farmácia, você precisa dispor de uma sala de atendimento, deve regularizar esse serviço na licença sanitária e profissional treinado em aplicação de injetáveis. Além disso, todas as aplicações devem ser registradas, você deve fornecer a declaração de serviço farmacêutico (DSF) ao paciente e ter um relatório completo de medicamentos aplicados e prescritores, que será fiscalizado pela vigilância sanitária (VISA).

Confira no vídeo abaixo, uma demonstração de como registrar uma aplicação de medicamento injetável na farmácia.

Se você deseja organizar esse serviço em sua farmácia, a Clinicarx oferece uma plataforma completa que inclui treinamento, software, DSF, relatório automático para VISA, além de outras dezenas de serviços de saúde que podem potencializar as vendas da sua farmácia. E o melhor, você pode começar sem pagar nada! Ative seu Plano Free do Clinicarx agora mesmo.

Aplicar injetáveis na farmácia: vias de administração

injetáveis na farmácia

Um dos serviços mais realizados nas farmácias é a aplicação de injetáveis. O procedimento deve ocorrer na sala de serviços clínicos, a partir da demanda do cliente que chega na farmácia com uma prescrição médica. 

As orientações sobre esse serviço estão descritas nas resoluções 499 do Conselho Federal de Farmácia e na RDC 44/2009 publicada pela ANVISA.

Vamos conhecer um pouco sobre o processo de aplicação de injetáveis e as principais  vias de administração?


eBook Sala Clinica

Aplicação de medicamentos injetáveis nas farmácias

Entre as classes de medicamentos mais administradas na farmácia estão os corticosteróides, vitaminas, anticoncepcionais e antimicrobianos.

É importante ressaltar que os medicamentos injetáveis na farmácia só devem ser administrados pelo  farmacêutico ou por profissional habilitado mediante a presença ou supervisão do farmacêutico

O ambiente destinado ao serviço de aplicação de injetáveis deve ser distinto do local de dispensação e circulação de pessoas, garantindo privacidade e conforto do cliente.

Não se esqueça: a farmácia deve garantir que a sala seja provida de lavatório contendo: água corrente, sabonete líquido, gel bactericida e álcool 70% para antissepsia, toalha de uso individual e descartável, lixeira com pedal e tampa e caixa especial para coleta de material perfurocortante.

Não existe uma lista definindo quais são os medicamentos injetáveis que podem ser administrados nas farmácias. 

Porém, segundo a RDC 44/2009, devemos sempre ficar atentos aos medicamentos que são exclusivamente de uso hospitalar porque esses medicamentos não podem ser administrados nas farmácias

O Plasil® e Kanakion® são exemplos de medicamentos cuja administração é proibida na farmácia. 


10 passos para implantação de serviços

Vias de administração dos injetáveis na farmácia

A administração de medicamentos injetáveis inclui as seguintes vias: 

  • subcutânea;
  • intramuscular;
  • intravenosa;
  • intradérmica.

Na RDC 44/2009 não estão descritas as vias de administração permitidas para aplicação de injetáveis na farmácia, mas as vias mais comuns são: a via intramuscular (IM) e a subcutânea (SC).

Essas duas vias serão abordadas neste artigo.

Cuidados necessários que precedem a injeção

Ao chegar na sua farmácia, o paciente irá entregar a receita médica contendo o medicamento prescrito. 

É importante que seja feita avaliação da prescrição com o propósito de identificar o medicamento prescrito e a via de aplicação indicada para o medicamento, de acordo com o fabricante e informações na literatura científica. 

Existem regiões e vias de administração recomendadas para cada tipo de grupo de medicamentos. 

Adicionalmente, o farmacêutico precisa inspecionar de maneira visual e tátil o local onde será aplicada a injeção. 

É necessária a atenção especial ao local com o propósito de identificar a presença de condições que impedem a aplicação do injetável no local escolhido. 

Não é recomendada injeção nos locais onde são identificados sinais de inflamação (vermelhidão e inchaço), nódulo, cicatriz, implante de silicone (na região do glúteo, por exemplo) e  tatuagem.

 Vamos conhecer sobre as técnicas de aplicação, as vias mais comuns  e suas respectivas particularidades.

Via subcutânea

  • Essa via é utilizada para a administração de alguns injetáveis na farmácia como vacinas, hormônios, insulinas e anticoagulantes.

A via subcutânea comporta pequenos volumes e é indicada para para administração de soluções que necessitam ser absorvidas mais lentamente, garantindo ação contínua do medicamento. 

Essa via é destinada para volume máximo de 1,5 mL  de medicamento que será administrado no tecido conjuntivo, localizado abaixo da derme. 

As agulhas devem preferencialmente ser pequenas (6 mm e 8 mm) para evitar aplicação intramuscular não desejada.

O ângulo de aplicação é determinado pelo comprimento da agulha. Nos casos da agulha 13×4,5 (canetas) o ângulo indicado é de  90º e para a agulha  25×6, o ângulo indicado é de 45º. Quanto maior for o comprimento da agulha, menor será o ângulo para aplicação. 

Os locais mais comuns para injeção pela via subcutânea são:
região do deltóide, no terço proximal ou na face superior externa do braço; face anterior do antebraço; região frontal ou lateral externa da coxa; região lateral direita ou esquerda do abdômen; região superior externa do glúteo. 

Vamos ver o passo a passo do procedimento técnico para administração de injetáveis para essa via:

  • Faça a antissepsia do local utilizando algodão embebido em álcool 70% ou álcool swab;
  • Pince a dobra subcutânea da região com os dedos indicador e polegar, fazendo uma prega;
  • Insira a agulha em um ângulo de 45 ou 90º, dependendo do medicamento e do comprimento da agulha. 
  • Injete o medicamento lentamente e aguarde o tempo de retirada da agulha após o êmbolo ser completamente pressionado (5 segundos para seringas e 10 segundos para canetas);
  • Retire a agulha no mesmo ângulo que foi inserida;
  • Solte a prega cutânea
  • Faça uma leve compressão no local com uma bola de algodão ou gaze seca (sem massagear);
  • Coloque curativo pós-punção ou micropore/esparadrapo + algodão no local de aplicação;
  • Despreze a agulha e a seringa no descarte.

Via intramuscular

A administração pela via intramuscular é a mais comum na farmácia e consiste na aplicação de medicamentos nas camadas musculares. A quantidade máxima de líquido é determinada de acordo com o músculo escolhido para a aplicação

Essa via é utilizada para administrar medicamentos para administração de volumes superiores a 1,5 mL de soluções irritantes (aquosas ou oleosas) que necessitam ser absorvidas rapidamente e também quando efeitos mais rápidos são desejados.

Os locais de administração utilizados são deltóide, vasto lateral da coxa, dorso glúteo ou músculo grande glúteo. É importante aplicar a injeção em local distante dos grandes nervos e dos vasos sanguíneos.

Procedimento técnico – técnica em Z:

Você conhece essa técnica? 

Ela é utilizada para administrar substâncias irritativas e para evitar que ocorra o refluxo do medicamento.

Para aplicação de injetáveis na farmácia com a técnica em Z, escolha músculos grandes, como os da região dorsal e ventroglútea. 

  • Faça a antissepsia do local utilizando algodão embebido em álcool 70% ou álcool swab; 
  • Posicione a mão não dominante logo abaixo do local e puxe a pele aproximadamente 2,5 a 3,5 cm para baixo, ou lateralmente com o lado ulnar da mão.
  • Segurando a pele esticada, introduza a agulha de uma só vez e com firmeza; 
  • Tracione o êmbolo, certificando-se de que o medicamento não será aplicado em um vaso. Se não houver retorno de sangue, injete o medicamento lentamente;
  • Após o medicamento ser completamente injetado, espere 10 segundos e então retire suavemente a agulha no mesmo ângulo que foi inserida; 
  • Coloque bolinha de algodão no local fazendo uma leve compressão (não massagear); 
  • Coloque um curativo pós-punção ou micropore/esparadrapo + algodão sobre o local da injeção; 
  • Despreze a agulha e a seringa no descarte.

Agora você, farmacêutico, já conhece as principais vias de administração e o que precisa saber sobre cada uma delas. Aplique injetáveis na farmácia com mais segurança. 

Na plataforma Clinicarx, você pode anexar a prescrição médica do injetável, colocar os dados do paciente e do médico que prescreveu e emitir sua Declaração de Serviço Farmacêutico para entregar ao seu paciente, conforme exigência da Anvisa

O procedimento, dados e registros do paciente ficam armazenados na plataforma para que você consiga consultar sempre que precisar ou no retorno do paciente para outras aplicações. 

Quer conhecer mais a Clinicarx? Visite nosso site e veja como a gente pode ajudar você a impulsionar sua farmácia com serviços em saúde.

Serviço clínico cresce em farmácias independentes

foto de um serviço farmaceutico

Atenção farmacêutica chega a representar 45% do faturamento da loja

A implementação de salas de assistência clínica, já consolidada em redes grandes e médias do varejo farmacêutico, chega também às farmácias independentes. Os estabelecimentos encontram nesses serviços um caminho para ampliar a rentabilidade e fidelizar consumidores, hoje mais dispostos a frequentar lojas de bairro em função do distanciamento social.

Para colocar em prática esse modelo e garantir a padronização dos serviços, as pequenas farmácias contrataram a plataforma digital da Clinicarx. É o caso da Attive Pharma, farmácia de manipulação localizada em Campo Grande (MS), onde a atenção farmacêutica já totaliza 45% do faturamento.

A farmácia foi a primeira do Brasil a executar a testagem de anticorpos para a detecção da Covid-19 e pioneira no estado a realizar o teste de antígeno, com uma média de 220 atendimentos por dia. “Nosso grande diferencial é a entrega do laudo que explica detalhadamente o resultado, o ciclo da doença e as orientações necessárias caso o teste seja positivo”, afirma a diretora Flavia Buainain.

Outra farmácia que também aderiu a esse modelo foi a PharmaReal, localizada em Conselheiro Lafaiete (MG). A loja mantém serviços de teste glicêmico, aplicação de injetáveis, avaliação antropométrica, distribuição corporal, hábito tabágico, check-up de pressão arterial e teste rápido da Covid-19. “Além de garantir um atendimento personalizado e aumentar a receita, a plataforma ajudou a profissionalizar a operação e valorizar o papel do farmacêutico na atenção primária à saúde”, explica o proprietário Alan Rezende.

E são os farmacêuticos clínicos que também estão descobrindo as vantagens do uso da plataforma. Uma delas é Layz Santos, que possui um consultório em uma clínica de estética no Rio de Janeiro (RJ) e utiliza a solução da Clinicarx para gerenciar os atendimentos de avaliação antropométrica, análise de bioimpedância, índice de massa corporal e aferição de pressão arterial voltada para a área de modificação corporal.

Já para a farmacêutica Daniely Proença, que administra um consultório dentro de uma clínica médica no Mato Grosso do Sul, o uso da plataforma de serviços clínicos contribui para armazenar o histórico de saúde e emitir gráficos e relatórios, que servem de apoio para o paciente e os profissionais de saúde a quem ele recorre.

“O fato de conseguir montar uma rotina de medicação, com um calendário posológico personalizado e que gera resultados a curto prazo, faz com que aquele paciente traga outros membros de sua família, cuidadores e até médicos para conhecerem os serviços que ofereço no meu consultório”, ressalta Daniely.

Farmácias independentes interessadas em implantar os serviços podem acessar o link. Por ele, é possível fazer um agendamento sem compromisso de análise e diagnóstico de sua empresa.

Sobre a Clinicarx

Fundada em 2016, a Clinicarx é a maior plataforma online de serviços de saúde voltados às farmácias e drogarias do Brasil. Esses estabelecimentos encontram um modelo validado de como oferecer serviços clínicos a seus clientes, tornando-se mais rentáveis e competitivos. O software auxilia na implementação de serviços como vacinação, exames rápidos, acompanhamento de pacientes crônicos e no gerenciamento de atividades como o registro eletrônico de atendimentos, treinamento, suporte científico, comercial e financeiro. Está presente em mais de 3 mil pontos de saúde, distribuídos por mais de 600 municípios de 26 estados e no Distrito Federal. Em 2020, a plataforma ultrapassou a marca de 1 milhão de atendimentos.

Texto: Scritta Assessoria de Comunicação

Condições clínicas acentuadas pela Covid-19

Condições clínicas acentuadas pela Covid-19

Os primeiros casos por infecção da COVID-19 aconteceram em Wuhan, província de Hubei (China), em meados de dezembro de 2019, e se espalharam rapidamente pelo mundo. O agente etiológico da doença, SARS-CoV-2, é um beta-coronavírus, do mesmo tipo de vírus que causa a Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS). 

Diversos estudos clínicos com pacientes infectados por SARS-CoV-2 estão em andamento e outros já foram concluídos, com o objetivo de entender as manifestações da doença, seus desdobramentos e possíveis sequelas a longo prazo. 

Grupos de risco foram sinalizados, como portadores de doenças crônicas, incluindo Hipertensão, Diabetes Mellitus, Insuficiência Venosa e Síndromes Respiratórias, demonstrando haver um agravamento destas condições em casos de infecção pelo vírus SARS-CoV-2.

Sintomas da COVID-19

Os sintomas da COVID-19 podem ser leves, acentuados ou graves, além dos casos de pacientes assintomáticos. Clinicamente, consideram-se 3 categorias: portadores assintomáticos, indivíduos com doença respiratória aguda (DRA) ou pacientes com pneumonia em diferentes graus de gravidade.

Os sintomas se manifestam de forma semelhante à síndrome gripal, o que torna necessário o diagnóstico diferencial através da detecção do antígeno em amostra biológica do paciente suspeito da infecção por SARS-CoV-2. 

Em relação aos sintomas, febre, tosse seca e cansaço são mais comuns, seguidos de dificuldade respiratória, coriza, dores musculares e dor de cabeça. Em quadros graves, o paciente pode apresentar insuficiência respiratória e necessitar de internamento em UTI para uso de ventilação mecânica.

SARS – Síndrome Respiratória Aguda Severa 

A Síndrome Respiratória Aguda Severa causada pelo coronavírus (SARS), teve seu surto registrado em 2003, no histórico de uma epidemia que levou 9 meses para ser controlada. O vírus passou a ser identificado pela sigla SARS-CoV e nenhum novo caso foi identificado desde então. 

Em 2019, um segundo coronavírus capaz de provocar estes mesmos sintomas dá início à atual pandemia. O vírus recebe a sigla SARS-CoV-2 e provoca a doença que conhecemos como COVID-19. 

Uma das observações clínicas importantes é o risco de sequelas em pacientes recuperados da COVID-19 que desenvolveram os sintomas da SARS. Em alguns casos, os pacientes apresentaram deficiências pulmonares persistentes, com redução de até 30% na taxa de difusão pulmonar. 

Condições clínicas acentuadas pela Covid-19

Covid-19 e Condições Tromboembólicas – Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar

 

Em casos graves de manifestação da COVID-19, alterações na coagulação do sangue podem desencadear ou acentuar quadros de Trombose Venosa. Segundo pesquisa da SBACV-RJ, há uma predisposição de risco de trombose na doença do coronavírus (SARS-CoV-2) 

Os níveis altos do marcador Dímero D e os resultados anormais na coagulação sanguínea demonstraram relação direta com o agravamento da doença da COVID-19 e pior prognóstico. Fatores de risco devem ser considerados ao analisar esse quadro, como idade, obesidade, tabagismo, além de elevação nos índices de IL-6 e troponina. Alguns pacientes que apresentam risco para TVP desencadearam a doença após infecção por SARS-CoV-2. 

O vírus infecta as células de uma enzima presente em grande número nos pulmões e nas células endoteliais, o que leva à hipercoagulação e induz à trombose pelo aumento da consistência do sangue. 

O quadro de Trombose Venosa Profunda se acentua e pode evoluir para outras condições clínicas, como cianose, que pode comprometer a circulação arterial com risco elevado. A embolia pulmonar também é uma complicação grave da TVP, que bloqueia o fluxo sanguíneo para o pulmão. 

A embolia pulmonar se origina de trombos nas veias profundas. Alguns coágulos sanguíneos podem danificar as válvulas das veias, o que gera insuficiência venosa crônica, uma complicação de quadros de Trombose. 

Mesmo em pacientes sem histórico de coagulação ou trombofilia, o quadro de trombose evoluiu, o que foi associado à infecção da COVID-19 como fator a ser considerado nesse processo. 

Risco da Covid-19 aos pacientes com Diabetes Mellitus

A doença do coronavírus se manifesta de forma mais grave em pacientes com condições clínicas subjacentes como hipertensão, câncer, doença pulmonar crônica, quadro cardiovascular, e diabetes mellitus. O diabetes já foi associado a maiores complicações de outras infecções como a Influenza A (H1NI). 

Estudos clínicos da Primary Care Diabetes, demonstram que a susceptibilidade a infecções virais de pacientes com diabetes é maior, devido ao desempenho da imunidade afetada devido à doença. 

A hiperglicemia afeta a atividade imunológica de neutrófilos e fagófagos, o que impede que o sistema de imunidade atue com a mesma efetividade contra agentes infecciosos, como o coronavírus, além de outras complicações diabéticas como  insuficiência vascular e neuropatia periférica. 

A resistência à insulina da diabetes associada à doença da Covid-19 pode desencadear quadro pró-trombótico hipercoagulável. Essa hipercoagulação possibilita o desenvolvimento da “tempestade de citocinas”, complicação grave da infecção do coronavírus (produção alterada de citocinas como IL-6, IL-10 e TNFa). Em pacientes infectados e com diabetes, os índices de neutrófilos, proteína C reativa (CRP), dímero-D, são mais altos do que em pacientes infectados, mas sem a doença crônica. 

Alterações pulmonares causadas pela infecção também são acentuadas em pacientes com diabetes, devido às condições instáveis dos pulmões que a diabetes pode causar, como estresse oxidativo, micro ou macroangiopatia dos capilares alveolares e arteríolas pulmonares.

Outros fatores de risco sempre devem ser levados em conta, como idade, obesidade e outras condições clínicas. 

Diagnóstico

O diagnóstico da SARS e da COVID-19 se dá por exames laboratoriais específicos que indicam níveis desregulados de linfócitos CD4 e CD8, tempo prolongado de protrombina (PT), LDH, Dímero-D, PCR.

Outra condição clínica, como a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), foi associada à manifestação da infecção do coronavírus. Segundo estudo da ATS Journals, entre os hospitalizados pela COVID-19, 42% manifestam quadros de insuficiência respiratória pela SDRA. 

O diagnóstico clínico decorre da instalação aguda de insuficiência respiratória e da evidência de opacidades alveolares nos quatro quadrantes dos campos pleuropulmonares na radiografia de tórax. 

Em relação à SDRA, os sobreviventes desenvolveram fibrose pulmonar substancial enquanto sequelas, principalmente em pacientes que foram tratados com oxigenação por membrana extracorpórea. 

Assim, em relação aos pacientes que vieram a óbito, segundo o estudo, a imunidade instável e a carga viral nasofaríngea, ou seja, a quantidade de vírus no trato respiratório, podem estar associadas ao agravamento da doença que leva à morte. Já que quantidades diferentes foram encontradas em pacientes recuperados e não recuperados, na qual a infecção e a síndrome respiratória foram mais agressivas. 

Testes Rápidos Clinicarx

A pandemia do coronavírus mudou o cenário da saúde, com isso, as farmácias se transformaram em pontos de saúde acessíveis para rastreamento de testes para Covid-19.

Com o serviço de Testes Rápidos do Clinicarx, você pode realizar Testes Laboratoriais Remotos (TLR), com todo suporte do nosso Laboratório Clínico Central, e assim obter um laudo laboratorial válido para entregar ao seu paciente. Confira como implementar o serviço de testes rápidos em seu consultório.

Você pode encontrar também um curso completo online sobre o assunto em nossa plataforma educacional, ideal para quem está começando no tema.

Clinicarx é a Plataforma Digital que leva serviços básicos de saúde a farmácias e consultórios de todo Brasil. Presente em todos os estados brasileiros, auxilia profissionais a estruturarem seu portfólio de serviços e padronizar protocolos de atendimento.

Se você é proprietário ou profissional da saúde e deseja ampliar seu negócio oferecendo serviços como avaliações de saúde, acompanhamento de pacientes crônicos, vacinação e exames rápidos, embarcados em muita tecnologia, descubra o que o Clinicarx pode fazer por você.

Acompanhamento de pacientes hipertensos com o Clinicarx

pacientes hipertensos

No nosso último CRx Class #3, com a farmacêutica Fernanda Alcantara, abordamos a importância da farmácia no acompanhamento de pacientes hipertensos. Como condição prevalente no país e principal fator de risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, é importante sabermos a importância do farmacêutico nesse cenário.

Por isso, no último webinar do CRx Class, Fernanda contou em detalhes como é possível realizar o acompanhamento ao paciente hipertenso.

Segundo a farmacêutica, cerca de 60% da população idosa tem hipertensão arterial, sendo um fator direto ou indireto para 50% das mortes por doença cardiovascular no Brasil.


Quer conhecer mais a Clinicarx? Clique aqui e fale com um consultor.

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma condição multifatorial caracterizada pela elevação sustentada da pressão arterial a níveis iguais ou superiores a 140 ou 90 mm de mercúrio. Ou seja, uma pressão a partir de 140/90 mmHg merece atenção. Essa condição está frequentemente associada a distúrbios metabólicos, alterações funcionais ou estruturais de órgãos-alvo, e é agravada por fatores de risco como, por exemplo, a dislipidemia, obesidade abdominal, intolerância à glicose e diabetes mellitus (DM). Possui associação independente com morte súbita, acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, doença arterial periférica e doença renal crônica, fatal e não fatal.

  • Fatores de risco de pacientes hipertensos

Para a farmacêutica, conhecer os fatores de risco da hipertensão é essencial para trabalhar com o paciente e gerenciar condições  de forma a tentar diminuir o risco cardiovascular.
Segundo Fernanda, são fatores de risco:

  • Envelhecimento;
  • Sexo feminino;
  • Situação socioeconômica;
  • Excesso de peso e obesidade (fatores muito importantes)

Já com relação à genética, ainda não está completamente estabelecida a contribuição do componente genético ou histórico familiar no desenvolvimento da hipertensão arterial.

Hábitos de vida e comorbidades

Os hábitos de vida, como por exemplo, ingestão excessiva de sódio, ingestão crônica elevada de álcool e sedentarismo são outras condições que colocam em risco o paciente com hipertensão. Além disso, comorbidades como diabetes mellitus e dislipidemias também são considerados fatores de risco que agregam risco cardiovascular ao paciente. Por isso, os profissionais de saúde devem lembrar de avaliar esses dois pontos – hábitos de vida e comorbidades – como fatores de risco importantes, porém gerenciáveis.

  • Órgãos-alvo: o que significa?

No webinar, também foi ressaltada a importância de prestar atenção nos órgãos-alvo do paciente, uma vez que nos casos de  hipertensão arterial, são órgãos que potencialmente podem vir a apresentar alterações funcionais ou estruturais. A lesão de órgãos-alvo alerta para o aumento do risco cardiovascular desse paciente. A farmacêutica, ainda, falou sobre os principais órgãos que são acometidos pela hipertensão arterial e condições clínicas que decorrem desse processo: encefalopatias, convulsões, acometimento renal, insuficiência renal, acometimento ocular, alterações visuais, deficiência hepática, insuficiência miocárdica. 

  • Tratamento e acompanhamento de pacientes hipertensos 

Fernanda também abordou o papel do profissional na prevenção e acompanhamento desse paciente. É importante que o farmacêutico saiba monitorar e identificar os fatores de risco citados acima, além de ser apoio de cuidado a esse paciente.

O tratamento da hipertensão arterial com medidas não farmacológicas incide diretamente nos efeitos cumulativos positivos do controle da pressão arterial, como: controle do peso corporal; recomendações nutricionais e redefinição do padrão alimentar; redução de álcool e alimentos com sódio, como sal de cozinha;  controle da pressão arterial; ingestão de alimentos com gordura insaturada, fibras oleaginosas vitamina B, alho; monitoramento dos hábitos de vida, prática de atividades físicas, cessação tabágica e técnica de respiração lenta, para tranquilizar o paciente no controle pressórico em situações de estresse.

Já os tratamentos farmacológicos, como apontados no webinar, visam à prevenção da morbimortalidade por risco cardiovascular causado pela presença de hipertensão arterial. São medicamentos prescritos geralmente por médicos cardiologistas, que acompanham os nossos pacientes hipertensos. Lembrando que o farmacêutico tem um papel indispensável na adesão ao tratamento farmacológico de prescrição médica.

  • Checklist farmacêutico com pacientes hipertensos

No acompanhamento de pacientes hipertensos, Fernanda apontou quais iniciativas o farmacêutico deve ter para avaliação e auxílio no manejo dessa condição clínica.

Ao receber o paciente na sua farmácia, sempre verifique a pressão arterial, avalie o risco cardiovascular, não esqueça de monitorar e conter fatores de risco e de avaliar os órgãos-alvo. Junto a isso, é papel do farmacêutico orientar para medidas não farmacológicas de controle e prevenção do risco cardiovascular e promover adesão ao tratamento medicamentoso. É importante, como foi destacado no webinar, verificar a efetividade  terapêutica desse tratamento.

Com o calendário posológico, por exemplo, você pode organizar a farmacoterapia desse paciente, registrar todos os medicamentos e horários de tomada. Ao ter registrado, inclusive, quais medicamentos ele comprou na sua farmácia e a duração desse tratamento, você pode agendar o retorno do seu cliente e programar a dispensação dos medicamentos. Além disso, testes de avaliação de triglicerídeos, colesterol e hemoglobina glicada são importantes para o farmacêutico examinar e conseguir realizar o melhor encaminhamento do paciente.

Todas essas ferramentas citadas no webinar do CRx Class #3 são padronizadas e disponibilizadas dentro da nossa plataforma para que você, farmacêutico, possa oferecer o melhor atendimento e fidelizar seus pacientes.

Com o serviço de Testes Rápidos do Clinicarx, você pode realizar Testes Laboratoriais Remotos (TLR), com todo suporte do nosso Laboratório Clínico Central, e assim obter um laudo laboratorial válido para entregar ao seu paciente.

Não deixe de acompanhar nossos próximos CRx Class, fique conectado.

Manejo Clínico e Prescrição: O novo perfil do Farmacêutico

227300932

O farmacêutico é um dos profissionais da saúde que mais teve mudanças no seu campo de atuação durante a história da profissão. Hoje as autoridades em saúde compreendem a relevância do farmacêutico para o manejo clínico e prescrição para diversas condições de saúde.

De acordo com a ONU, o uso inadequado de medicamentos é responsável pela morte de aproximadamente 1 milhão de pessoas ao ano, e é nesta realidade que o farmacêutico torna-se fundamental. 

Os serviços clínicos associados à farmacoterapia não se resumem em garantir um tratamento seguro, mas buscam também a melhora do quadro clínico do paciente. Para que isso ocorra, o farmacêutico deve ter autonomia para conduzir o tratamento dos pacientes atendidos, seja no balcão da farmácia  ou na sala clínica. 

Manejo Clínico e Prescrição Farmacêutica

Com a Resolução CFF 586/2013, a prescrição farmacêutica foi regulamentada e faz parte dos serviços clínicos disponíveis em farmácias e/ou outros estabelecimentos de saúde. Este avanço na legislação farmacêutica também trouxe uma nova necessidade: o preparo e qualificação do farmacêutico que está à frente do atendimento. Mais clientes tornam-se pacientes, e algumas condições clínicas podem ser tratadas com medicamentos prescritos pelo próprio farmacêutico, que também acompanha a farmacoterapia. É uma situação que pede por capacitações além da graduação desses profissionais. 

Além disso, com a pandemia do COVID-19, a ANVISA alterou a RDC 357/2020 e suavizou as regras para dispensação de medicamentos controlados. Assim, cresceu a quantidade máxima de produtos permitida em notificações de receita e receitas de controle especial. Dessa forma, a acessibilidade à medicamentos indicados com orientação e segurança pelos farmacêuticos permite que a farmácia ofereça ainda mais aos pacientes e leve mais saúde à população.

Além disso, a acessibilidade à medicamentos isentos de prescrição médica, indicados com orientação e segurança pelos farmacêuticos permite que a farmácia ofereça ainda mais aos pacientes e leve mais saúde à população.

Mas você, farmacêutico(a), ainda pode estar se perguntando qual o seu papel nisso tudo e qual a importância de estar preparado para receber seus pacientes. Vamos conversar sobre alguns contextos em que você tem uma função ainda mais importante?

Manejo clínico e prescrição para sintomas da primeira infância

No interior do útero, o bebê não tem contato com vírus e bactérias externas com as quais convivemos todos os dias, por isso, é comum que alguns sintomas se manifestem na primeira infância, período em que o organismo está amadurecendo. Os primeiros meses de vida são cheios de fases instáveis e sintomas comuns desse primeiro período, cólicas relacionadas à lactação e digestibilidade, por exemplo, despertam preocupações. 

Doenças prevalentes comuns na infância:

Alergias, infecções no ouvido, refluxo, gripe e resfriados, sintomas respiratórios como rinite, congestão nasal, coriza, tosse, cólicas, desconforto e dores relacionadas ao nascimento da primeira dentição. 

Primeira dentição

Os sintomas mais frequentes da primeira dentição são dor, coceira, inflamação da gengiva, problemas digestivos como diarréia e vômitos, salivação excessiva, otalgia, febre, insônia e irritabilidade. Um episódio de nascimento do primeiro dente de leite dura, em média, 8 dias. Geralmente ocorrem no 3º ou no 33º mês de idade. Geralmente ocorrem entre 3º e 33º mês de idade. 

Resfriados

Já os resfriados mais comuns têm origem viral e atingem o trato respiratório superior, ou seja, o nariz e a garganta. Os sintomas são tosse, coriza, inflamação na mucosa nasal, espirros e dor de garganta. 

Cólicas Infantis

As cólicas infantis vêm com queixas comuns como gases intestinais, espasmos, choro e irritabilidade sem motivos aparentes. Elas geralmente ocorrem nos primeiros três meses de vida do bebê, com seu pico na 6ª semana de vida, onde os sintomas ficam mais frequentes e intensos. 

O atendimento de farmacêuticos às mães ou pais que chegam com queixas de seus filhos pequenos é um tema complexo. Atender crianças pode gerar insegurança nos profissionais da saúde que não se sentem preparados quando não estão atualizados ou capacitados sobre as fases e condições clínicas infantis. Principalmente pelos órgãos dos bebês ainda não estarem completamente desenvolvidos, os efeitos colaterais de medicamentos são mais fáceis de ocorrer. Assim, a mucosa intestinal das crianças é altamente suscetível à atuação de prebióticos e probióticos e essa susceptibilidade tende a decrescer com a idade. 

Os pontos a serem considerados na hora de indicar medicamentos isentos de prescrição são os números de doses ideais, efeitos adversos a serem prevenidos e cuidados, e, principalmente, a fórmula ideal para cada fase da infância. (Os pontos a serem considerados na hora de indicar medicamentos isentos de prescrição são as doses ideais, efeitos adversos a serem prevenidos e cuidados, e, principalmente, a fórmula correta para cada fase da infância.) Nem sempre os medicamentos são seguros ou menos invasivos para o bebê, dessa forma, o papel do farmacêutico é acolher, entender e orientar tratamentos seguros, que aliviam os sintomas com eficácia. 

Conhecimentos rápidos e práticos

Sabemos que conhecimento é empoderamento para atuar de forma segura e suprir as necessidades dos pais que estão preocupados com a saúde do filho e, algumas vezes, não têm acesso à um sistema de saúde adequado. Em nosso microcurso especial sobre a temática, inclusive, você confere maiores informações para o manejo clínico e prescrição farmacêutica dessas condições na sua farmácia. 

A prescrição farmacêutica é um assunto delicado, e, muitas vezes tratado com insegurança pela falta de conhecimento e capacitação específica de profissionais da saúde não médicos. Sua farmácia pode ser o estabelecimento de saúde mais próximo e acessível para orientações, não necessariamente medicamentosas. Sintomas clínicos que podem ocorrer durante o desenvolvimento fisiológico do bebê, eventos e doenças comuns na primeira infância, são temáticas abordadas na nossa qualificação da Clinicarx sobre Sintomas da Primeira Infância, disponível com exclusividade para farmacêuticos e outros profissionais da saúde que utilizam o Clinicarx.

Síndrome gripal em adultos, idosos e gestantes

A gripe ou influenza é uma doença viral respiratória aguda, febril, com sintomas sistêmicos. O comportamento mais comum é a procura por tratamentos rápidos de alívio dos sintomas, assim, o cenário de pacientes que chegam na farmácia buscando manejo clínico e prescrição é recorrente. 

Os sintomas da gripe são: febre, dor de cabeça, dor de garganta, mialgia, coriza, congestão nasal, tosse, rinite, dores oculares (atrás do olho). Porém, o farmacêutico durante a anamnese e exames precisa saber identificar e diferenciar sintomas de gripe ou sintomas graves de condições clínicas respiratórias que necessitam de encaminhamento médico. Os sinais mais importantes são a dispneia, dificuldade para respirar intensa e saturação de O²  menor do que 95%

Resfriados são infecções virais no trato respiratório superior, geralmente os sintomas são sensação de congestão no nariz e fundo da garganta, mucosa nasal vermelha e inchada, dor de cabeça e cansaço generalizado, exaustão, garganta inflamada e rouquidão. 

Ao receber o paciente, o farmacêutico pode prescrever medicamentos não tarjados, fazer o manejo clínico e prescrição de tratamentos, bem como agendar o retorno para o acompanhamento, caso os sintomas persistam. 

  • Para crianças: soluções para irrigação nasal, fórmulas a base de sulfato de zinco, unguentos ou bálsamos para alívio de dores e diminuição de tosse, fitoterápicos para redução de sintomas nas vias aéreas superiores. 
  • Para crianças: soluções para irrigação nasal, fórmulas a base de sulfato de zinco, unguentos ou bálsamos para alívio de dores e diminuição de tosse, fitoterápicos para redução de sintomas nas vias aéreas superiores. 

A prática farmacêutica está evoluindo como todas as outras profissões que se atualizam, acompanhando o fluxo contemporâneo conforme os movimentos tecnológicos e industriais da sociedade. Assim, o farmacêutico está no campo direto de atenção ao paciente, conforme a demanda por serviços em saúde com acesso e qualidade, cresceu. A versatilidade e a qualificação são necessárias para uma prática completa de destaque. 

Conheça nossa plataforma Clinicarx e veja o que podemos oferecer em serviços farmacêuticos e de assistência à saúde para seu estabelecimento de saúde.

Vacinas contra COVID-19: estudos e atualizações

Vacinas na Farmácia

A epidemia da COVID-19 que se disseminou pelo mundo no início de 2020 trouxe mudanças significativas aos setores da saúde. As farmácias passaram a oferecer testes rápidos para triagem da doença, se tornaram ponto de referência para orientação da população.

Com o lançamento das vacina contra Covid-19, devem se preparar para contribuir no processo de imunização em massa. Uma possibilidade real frente aos desdobramentos de novas vacinas contra Covid-19 próximas de chegar ao Brasil.

Conheça alguns tipos de vacinas e as biotecnologias desenvolvidas:

Vacinas de vetor viral 

A proposta inovadora de anticorpos a partir do vetor viral funciona da seguinte maneira: a proteína S do vírus é inserida em outro vírus, modificado em laboratório, que é transportado para o corpo humano impossibilitado de se multiplicar. No corpo, o sistema imunológico identifica a proteína e produz os anticorpos para impedir sua ação quando o vírus da COVID-19 tentar infectar. Alguns projetos, como da organização norte-americana, Janssen, usam adenovírus humanos para transportar a proteína S para o corpo humano. O  Instituto de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, da Rússia, também trabalha com esse método, porém, com dois tipos de adenovírus, um em cada dose da vacina. 

A indústria farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford, junto à Fundação Oswaldo Cruz, estão trabalhando na produção da vacina a partir de engenharia genética, a partir de um vírus respiratório, do tipo adenovírus. Esse vetor viral é largamente utilizado em biotecnologia por ser benigno. O recrutamento de voluntários para a Fase III do estudo já teve início no Reino Unido e no Brasil. 

Vacinas de vírus inativado

Esta vacina contra Covid-19 induz à produção de anticorpos a partir do vírus inativado. Para isso, o vírus SARS-CoV-2 é cultivado em células e inativado com substâncias químicas e biológicas. Quando a vacina é administrada no organismo humano, as proteínas virais conservadas induzem uma resposta imune, e são produzidos anticorpos contra o patógeno. Após esta imunização, o indivíduo não manifesta a doença mesmo quando infectado, pois os vírus são controlados pelos anticorpos de memória. Este tipo de vacina também é utilizada na prevenção de doenças como poliomielite, hepatite A e tétano. Uma das vacinas de SARS-CoV-2 com vírus inativado é do Instituto Butantan (Inovac), com estudo clínico em andamento (Fase III).

Outra iniciativa de pesquisa clínica com vírus inativado é com a vacina do Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan, sob o China National Pharmaceutical Group (Sinopharm), junto ao Instituto de Virologia de Wuhan, sob a Academia Chinesa de Ciências. Ela está na sua terceira fase de testes e a previsão é de pelo menos um ano para que todos os ensaios sejam feitos com segurança e precisão antes da publicação dos resultados de eficácia. 

Vacinas genéticas

Uma tecnologia nunca antes usada em imunização é a de vacinas em RNA ou DNA, com ácidos nucléicos do SARS-CoV-2 inseridos no corpo humano. Até o momento, estas vacinas encontram-se na Fase lll dos ensaios clínicos. Ela funciona a partir da inserção do ácido nucléico do vírus no organismo, que fará com que as células sintetizem a proteína S, induzindo a produção de anticorpos no organismo humano. Caso comprovada sua eficácia, essa estratégia é a mais rápida para se considerar em larga escala mundial, pois utiliza RNA sintético, que dispensa o cultivo do vírus em laboratório. Essa tecnologia também já estava sendo testada para combate à outros vírus, como o ebola. 

Os estudos com vacinas genéticas de RNA atualmente em Fase III são da empresa farmacêutica americana Moderna, em parceria com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, e do grupo de pesquisa que reúne a também americana Pfizer, a alemã Biontech e a chinesa Fosun Pharma.  

Em entrevista à BBC,  BioNTech e a Pfizer anunciaram que conforme os resultados dos testes realizados, a vacina poderia imunizar mais de 90% das pessoas. Nos estudos em andamento da vacina, 43 mil pessoas fazem parte. Quando comprovada precisamente a eficácia da vacina contra Covid-19 da Pfizer, John Bell, professor de medicina da Universidade de Oxford, projeta que a vida deve voltar ao normal no outono/primavera de 2021.     

Vacinas proteicas sub-unitárias 

As vacinas com base nas proteínas sub-unitárias são tecnologias já utilizadas para prevenção e combate ao vírus Influenza e ao Papilomavírus Humano (HPV). O princípio fundamenta-se em levar partículas virais, como fragmentos das proteína S e M do vírus SARS-CoV-2, diretamente para o organismo. Para isso, o vírus da COVID-19 é cultivado e inativado em laboratório, mas apenas seus fragmentos são inoculados no organismo. 

Já a vacina do laboratório norte-americano Novavax, está em fase lll dos estudos que utilizam este tipo de tecnologia. Ela será testada em 10 mil voluntários no Reino Unido, e, após a fase de testes, poderá ser utilizada para imunização na população estadunidense. Esta vacinação segue o protocolo bi-dose, com 21 dias de intervalo entre uma dose e outra.

As possibilidades da vacina BCG 

A fundação Oswaldo Cruz iniciou testes da vacina BCG em profissionais da saúde no Rio de Janeiro (RJ), que visa reduzir os impactos da doença em infectados. A BCG (Bacillus Calmette-Guérin) já é usada para prevenir tuberculose em crianças e tem alto potencial de resposta imunológica contra outras infecções. A proteção contra a COVID-19 pode ser evidente devido à imunidade inata da ação celular contra vírus e bactérias. O ensaio clínico denominado Brace Trial, da Murdoch Children’s Research Institute, entrou na sua fase lll e será testado em diversos países como Austrália, Reino Unido, Espanha, Holanda e Brasil. 

Mesmo com todos esses estudos clínicos em andamento, a liberação de vacinas para imunização em massa contra Covid-19 somente ocorre após a comprovação de sua eficácia, de forma precisa e segura. Continuaremos atentos às notícias sobre os avanços em imunização para o combate à pandemia da COVID-19 para manter você, profissional da saúde, sempre atualizado. 

Últimas notícias da ANVISA

 A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vai conceder autorizações emergenciais para vacinação, mesmo sem registro das imunizações na agência. Essas vacinas emergenciais não poderão ser comercializadas, serão utilizadas para “uso institucional”, em programas do governo, programas específicos de controle, com foco emergencial, prevista em regulamento. Um guia, chamado “Guia sobre Requisitos Mínimos para submissão de Autorização Temporária de Uso Emergencial, em caráter experimental, de vacinas COVID-19”, segundo a agência, será disponibilizado para laboratórios com os procedimentos padrão necessários para obter a autorização. 

As vacinas devem ser armazenadas em geladeiras específicas, a temperatura ideal é entre +2°C e +8°C, sem sofrer perda de potência no armazenamento. Ao sair desse armazenamento, para transporte, devem ficar por no máximo até 1 hora em temperatura ambiente. Essa permissão está direcionada apenas para o setor público, até o registro oficial pela agência. Por enquanto, para 2021, as farmácias contam com a expectativa de colaborar com a campanha de vacinação em massa contra Covid-19.

Mudanças regulatórias nas farmácias durante a epidemia da Covid-19

Corredor de uma farmácia

Confira as principais mudanças regulatórias e políticas afetando as farmácias durante a epidemia do novo coronavírus, causador da Covid-19.

Com a epidemia, diversas mudanças regulatórias estão ocorrendo, afetando a dispensação de medicamentos, o funcionamento das farmácias e os serviços farmacêuticos. 

Abaixo você encontra um resumo dessas mudanças até a data de 18 de Abril de 2020:

AQUI TEM FARMÁCIA POPULAR

As receitas médicas passam a ter validade de 365 dias, inclusive com validade retroativa e os pacientes podem comprar medicamentos para até 90 dias de tratamento.

Pacientes podem enviar um representante em seu lugar, portando uma procuração simples (sem reconhecimento de firma em cartório), contendo todos os dados dos documentos dos envolvidos.

MEDICAMENTOS CONTROLADOS

Entrega remota de medicamentos controlados está permitida, com algumas limitações, como conferir a prescrição antes de concretizar a venda e a entrega.

Prazos de validade das receitas de controlados continua igual.

Receitas médicas digitais para medicamentos controlados e antimicrobianos são aceitas, desde que com assinatura eletrônica, mas não para notificações de receita (azul/amarela).

As receitas de controle especial eletrônicas aceitas são aquelas utilizadas para medicamentos que contenham substâncias das listas C1 e C5 e dos adendos das listas A1, A2 e B1 da Portaria nº 344/ 1998 da Secretaria de Vigilância em Saúde/Ministério da Saúde.

A possibilidade de assinatura eletrônica e receita digital não se aplica a outros receituários eletrônicos de medicamentos controlados, como os talonários de Notificação de Receita A (NRA), Notificação de Receita Especial para Talidomida, Notificação de Receita B e B2 e Notificação de Receita Especial para Retinóides de uso sistêmico.

Pacientes podem adquirir até 6 meses de tratamento para controlados (com algumas especificidade conforme lista em que o medicamento se enquadre).

Venda de controlados por e-commerce / internet continua proibida.

Medicamentos como a cloroquina, hidroxicloroquina e nitazoxanida passaram a ter controle especial, a fim de evitar a compra indiscriminada por conta da possível eficácia contra a Covid-19.

Medicamentos controlados, prazos e quantidades liberadas durante a pandemia

PRESCRIÇÃO ELETRÔNICA E TELEMEDICINA

A farmácia pode aceitar uma receita digital para dispensação de controlados, desde que com assinatura eletrônica certificada. Essa é uma das mudanças regulatórias mais importantes até o momento.

Uma receita digital é um arquivo gerado e mantido digitalmente, com assinatura eletrônica válida, reconhecida pelo ICP Brasil.

A farmácia deve verificar a autenticidade da receita digital recebida pelo paciente, utilizando validadores na internet, antes de proceder a dispensação.

A validação da autenticidade de uma receita digital pode ser feita diretamente no site de plataforma emissoras de receitas digitais (utilizadas pelo médico) ou diretamente no site do ITI, que valida chaves reconhecidas pelo ICP Brasil. Acesse esse site aqui.

Telemedicina foi regulamentada no Brasil. Os médicos podem fazer consultas remotas e emitir receitas digitais. Devemos lembrar que uma consulta médica presencial também pode gerar uma receita digital, portanto a telemedicina depende da prescrição eletrônica para ter efeito, mas a prescrição eletrônica independente da telemedicina.

Outros profissionais da saúde, como psicólogos também estão realizando atendimento remoto.

MUDANÇAS REGULATÓRIAS NOS SERVIÇOS FARMACÊUTICOS

Dispensação. A farmácia deve reorganizar seu fluxo de atendimento, evitando aglomerações e tomando medidas de limpeza, desinfecção e proteção de funcionários e clientes.

Vacinação. Regras para liberar vacinação na farmácia não mudaram. Continua valendo a RDC 197/2017.

Anvisa abriu possibilidade de farmácias sem licença de vacinação poderem aplicar vacinas, desde que em parceria com poder público e com ciência da VISA local. Grandes campanhas de vacinação contra gripe ocorreram nas farmácias privadas, em regiões como Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

Anvisa publicou AIR (Análise de Impacto Regulatório) sobre a revisão da RDC 44/2009 e anunciou que prepara consulta pública para ampliar os serviços de assistência à saúde nas farmácias, seguindo a Lei 13.021/2014.

TESTES RÁPIDOS COVID-19 NAS FARMÁCIAS

A Anvisa liberou a realização de testes rápidos Covid-19 para farmácia, seguindo normas específicas de segurança, uso de EPIs, protocolo de atendimento e fornecimento de laudo.

Para mais informações, criamos um artigo específico sobre o tema: Testes rápidos para coronavírus: o que fazer na farmácia.

Procurando farmácias que fazem o Teste Covid-19? Clique aqui: https://clinicarx.com.br/onde-encontrar/

PROFISSIONAIS FARMACÊUTICOS

Farmacêuticos foram solicitados a se cadastrarem no Ministério da Saúde, sendo facultativo se colocarem como potenciais voluntários do SUS no enfrentamento à epidemia.

Ministério da Saúde lançou curso online sobre protocolo de atendimento a Covid-19, convocando todos os profissionais da saúde do Brasil a fazerem o treinamento. O curso é disponibilizado após o farmacêutico fazer seu cadastramento online.

Serviços Farmacêuticos: A reação das farmácias contra o coronavírus

pharmacy covid

Serviços farmacêuticos podem ajudar milhares de pessoas durante a pandemia

O momento que estamos vivendo é algo que ninguém imaginava até pouco tempo atrás. A crise que o novo coronavírus trouxe a todo o mundo, foi algo inesperado, mas que certamente terá um fim. 


Você presta um serviço essencial à nação, até por isso as mais de 80 mil farmácias espalhadas pelo Brasil não fecharão suas portas. A pergunta que fica é: como superar essa crise e se adaptar ao novo cenário?

É fato que mesmo sendo um serviço essencial, sua farmácia não estará automaticamente imune à crise. Então como se adaptar e ainda ter um modelo de negócios que vá além desse período?

Separamos alguma dicas importantes que com certeza te ajudarão a expandir os horizontes para atender a população e se tornar uma referência no seu bairro ou cidade. 

Serviços farmacêuticos são uma ótima fonte de renda e de credibilidade perante à população.

É importante que a farmácia nesse momento saiba atrair público oferecendo serviços de cuidado farmacêutico que impactem sua comunidade e que sejam essenciais à saúde de todos. Vamos trazer alguns insights que ajudarão sua farmácia a se tornar referência durante e após a pandemia.

Atenção farmacêutica agendada: Avaliações e check-ups podem ser agendados para pacientes crônicos que não podem perder o controle de sua saúde.

Condições crônicas como hipertensão, diabetes, dislipidemias, obesidade, asma, depressão, tabagismo, hipotireoidismo, entre diversas outras, continuam existindo, a despeito da Covid-19. Esses atendimentos devem ser individuais, de preferência com horário agendado, em um ambiente privativo e seguro da farmácia. Também podem ser feitos em domicílio e até remotamente

Dispensação programada, para seu paciente não ficar sem a medicação.

 

Organize a lista de todos os seus pacientes crônicos, principalmente aqueles que frequentam sua farmácia e tomam 5 ou mais medicamentos.

Sincronize o tratamento, para que toda medicação de cada paciente seja dispensada em um único dia. Por último, envie lembretes para seu paciente não esquecer essa data.

A dispensação programada é uma forma avançada de relacionamento e fidelização, capaz de garantir boa parte das suas vendas mensais.

2. Ofereça atendimento remoto, para tratamento de problemas menores e sintomas gripais.

Pessoas que não podem sair de casa podem contar com sua prescrição farmacêutica.

Como atender em tempos de isolamento social? Dê ao seu paciente uma forma de falar com você, sem precisar se deslocar até a farmácia.

As pessoas continuam tendo azia, má digestão, diarreia, constipação intestinal, dores nas costas, problemas de pele, cabelos ou unhas, micoses, dificuldades paras dormir, estresse ou ansiedade.

Já imaginou se você tivesse mais de 500 protocolos prontos para fazer esse tipo de atendimento? Teria mais segurança e agilidade? Acredite, muitas pessoas se interessariam por esse serviço.

Nas últimas semanas, farmácias já preparadas para vacinação tiveram grande repercussão na mídia, inclusive sendo convocadas pelo Ministro da Saúde para acelerar a campanha de gripe. Foram centenas de milhares de vacinas aplicadas em tempo recorde! Essas farmácias garantiram grande movimento de pessoas, com todas as medidas de segurança, e tiveram enorme repercussão na mídia.

O que você está esperando para fazer o mesmo?

3. Monte seu serviço de atendimento domiciliar. Leve tecnologia e protocolos prontos de atendimento para a casa das pessoas.

A assistência farmacêutica domiciliar é prevista em lei desde 2009, quando a Anvisa publicou a RDC 44/2009. Mas o que fazer durante a pandemia do coronavírus? Como cuidar dos idosos, dos acamados, das pessoas com dificuldades de locomoção ou impossibilitadas de ir à farmácia? Para todas você pode oferecer um serviço domiciliar, que pode funcionar, por exemplo, em uma ou duas manhãs da semana. É um serviço especial, para casos especiais. E faz toda diferença.

Essa dicas são apenas um pequeno resumo do que preparamos para você e sua farmácia em nosso mais novo ebook. Lá você encontra todas as soluções de maneira detalhada e terá a oportunidade de seguir estratégias que comprovadamente já foram bem-sucedidas.

A Clinicarx

Saiba que na Clinicarx, trabalhamos todos os dias ajudando farmácias a dar um verdadeiro salto em seu atendimento. Do zero à implantação de serviços farmacêuticos em poucos dias.

Se você já tem uma sala de serviços farmacêuticos, então está um passo à frente dos demais e com o nosso auxílio, você ainda pode contar com: modelo pronto de serviços farmacêuticos, software para farmácias, aplicativo para o paciente, treinamento online para sua equipe e consultoria de implantação com farmacêuticos especializados.

Venha fazer parte da inovação, supere a crise e se torne a referência em atendimento na sua comunidade. 

Covid-19: As farmácias devem suspender seus serviços durante a epidemia?

Injetáveis
Este artigo sobre a Covid-19 pode ser atualizado a qualquer momento. Última versão: 03/04/2020.
 

A epidemia do novo coronavírus, causador da Covid-19, está produzindo profundas mudanças na rotina e hábitos de consumo de milhões de brasileiros. Isso tem gerado muitas dúvidas nas farmácias sobre seu papel durante a epidemia.

Seria o momento de suspender os serviços farmacêuticos? Com certeza não. Observamos que é chegada a hora de não parar e, pelo contrário, ampliar alguns serviços.

Em 20 de Março de 2020, o governo federal publicou medidas para garantir a aquisição de bens e serviços essenciais à população. Foram assinadas a Medida Provisória nº 926/2020 e o Decreto nº 10.282/2020.

As medidas deram segurança às atividades essenciais, consideradas indispensáveis ao atendimento das necessidades da população, que não podem esperar o fim da pandemia.

Entre elas, os serviços de assistência à saúde e assistência farmacêutica devem preservar seu atendimento à população, ajudando a preservar nosso bem mais precioso: a saúde.

Por isso, farmácias, serviços médicos e hospitalares não fecham as portas.

Novo Coronavírus - O que a farmácia precisa saber - Curso
Clique na imagem acima e acesse agora um curso gratuito já feito por mais de 9 mil profissionais!

Como ficam os serviços farmacêuticos na epidemia da Covid-19

Nas farmácias, é essencial que os serviços farmacêuticos continuem, a fim de dar acolhimento aos pacientes e resolutividade a diversos problemas de saúde. Além disso, a farmácia deve tomar as medidas para proteger seus funcionários e pacientes.

Apesar da epidemia da Covid-19, as pessoas continuam cuidando de suas doenças crônicas, medicamentos, e necessitam, mais do que nunca, acolhimento, avaliação e acompanhamento, a fim de evitarem qualquer ida desnecessária a hospitais e unidades de saúde.

Com o isolamento social, as formas remotas de atendimento (por telefone, chat ou vídeo-chamada) ganharam destaque. Mas situações que requerem consulta presencial continuam existindo.

Pessoas com hipertensão, diabetes, obesidade, dislipidemia ou polimedicados continuam em risco de agravamento ou descompensação, e necessitam redobrar os cuidados para controle de suas condições crônicas.

 

Como manter o atendimento, com segurança

Confira algumas medidas para prestação segura de serviços farmacêuticos durante a epidemia da Covid-19:

Divulgue um número de telefone

Um número para onde as pessoas possam ligar, se quiseram falar com o farmacêutico. Se possível, ofereça atendimentos remotos também por vídeo, utilizando serviços gratuitos como Skype, Google Hangouts ou mesmo WhatsApp.

Realize atendimentos presenciais

Faça atendimentos presenciais apenas com segurança, a pessoas que necessitam de procedimentos específicos que não podem esperar, como aplicação de injetáveis, vacinações, procedimentos de exame físico e testes rápidos. Siga os protocolos de higiene e biosegurança.

Trabalhe com horários agendados

A fim de evitar aglomerações, fixe horários para atendimentos de pacientes idosos ou de grupos de risco, reduzindo o número de pessoas que ficam ao mesmo tempo na farmácia.

Na sala de serviços farmacêuticos

Atenda apenas uma pessoa por vez e tome todas as medidas para garantir a segurança do ambiente, com higiene, uso de EPIs e limpeza após cada atendimento. Mantenha a sala limpa e arejada.

No caso de pacientes com sintomas respiratórios

Utilize máscara e luvas durante o atendimento e encaminhe este paciente rapidamente ao serviço médico para avaliação. Todo quadro respiratório pode ser um caso suspeito da Covid-19.

Nas redes sociais da sua empresa

Divulgue as mudanças, incentive as pessoas a continuarem cuidando de seus problemas crônicos de saúde, e a manterem seus tratamentos. Toda ida ao hospital que puder ser evitada, deve ser evitada.

Trabalhe a dispensação programada

Pacientes que utilizam vários medicamentos não podem parar a medicação. Cadastre esses pacientes e combine a melhor data para busca ou envio da medicação, de modo que não parem o tratamento. Uma interrupção abrupta na medicação pode causar crise hipertensiva ou hiperglicêmica, por exemplo.

Maneje problemas menores de saúde

Mais do que nunca, pessoas com sintomas de baixa gravidade devem evitar o serviço médico, seja em hospitais ou unidades de saúde. Farmacêuticos podem atender esses casos, recomendando com segurança tratamentos para sintomas, com medicamentos e produtos isentos de receita médica, e encaminhando casos mais graves.

Divulgue na sua comunidade

Utilize carros de som, panfletos ou outros meios para divulgar os serviços que sua farmácia está prestando durante a epidemia. Mais do que nunca, você deve ir até os pacientes, uma vez que eles não estão vindo até você.

Vacinação

Se você realiza vacinação, esta é a hora de participar ativamente da campanha contra gripe e se aproximar do poder público da sua cidade. Várias farmácias estão participando de campanhas em parceria com as unidades de saúde.

Testes Rápidos

As farmácias, há anos, reivindicam o direito de realizarem testes laboratoriais remotos (TLR). Alguns Estados e Municípios já regulamentaram essa pratica, mas o tema carece de decisão definitiva da Anvisa. O momento é crítico para a expansão desses serviços, pois eles agilizam muito o atendimento de pacientes com problemas.

A Organização Mundial da Saúde vem recomendando fortemente o teste rápido para Covid-19 como ação estratégico no combate à epidemia. É uma oportunidade das farmácias fazerem, ainda mais, a diferença. Nesse caso, dependemos de um posicionamento da Anvisa e Ministério da Saúde para uma solução legal definitiva.

 
eBook Farmacia Contra Ataca 1 min

As empresas estão em risco, cuide do seu negócio

Com a queda no movimento dos estabelecimentos, intensificar a prestação de serviços se mostra uma estratégia inteligente para manter a proximidade com a comunidade e oferecer acolhimento (presencial e remoto) a quem está sozinho, fragilizado ou necessitando de cuidados. Por isso, veja este movimento também do ponto de vista da saúde do seu negócio.

Serviços de assistência farmacêutica são essenciais para a população. São bons também para os negócios e a manutenção de empregos e renda. É um momento crítico em que o posicionamento da sua empresa pode ser decisivo para os resultados em um curto espaço de tempo.

O papel da farmácia durante a epidemia de coronavírus

pharmacist-coronavirus

As farmácias são frequentemente o primeiro ponto de contato com o sistema de saúde para muitas pessoas. Este papel deve ser reforçado durante a epidemia de coronavírus. Então, como a farmácia deve proceder?

Este artigo sobre o novo coronavírus está em constante atualização. Última versão: 15/03/2020.

Caso você ainda não esteja familiarizado com o COVID-19 e quais são as medidas efetivas de prevenção e proteção, sugiro que você faça este curso online gratuito sobre o tema. Será uma forma de se aprofundar após a leitura deste artigo.

Confira agora as principais medidas que a farmácia deve tomar.

Entenda as fases da epidemia de coronavírus

A epidemia de coronavírus, o COVID-19, evolui em “fases epidemiológicas”, sendo três fases iniciais, crescentes de gravidade.

A fase 1 da COVID-19 é de “casos importados”, em que há poucas pessoas acometidas e todas regressaram de países onde há epidemia.

A fase 2 epidemiológica é de transmissão local, quando pessoas que não viajaram para o exterior ficam doentes, mas ainda é possível identificar o paciente que transmitiu o vírus, geralmente parentes ou pessoas de convívio social próximo.

Depois disso, pode ocorrer a fase 3 epidemiológica ou de transmissão comunitária, quando o número de casos aumenta exponencialmente e perdemos a capacidade de identificar a fonte ou pessoa transmissora.

Fases da epidemia de coronavírus
Fases epidemiológicas iniciais da epidemia do coronavírus.

As medidas de prevenção e proteção devem ser intensificadas quando a epidemia chega à fase 3.

Proteja seus funcionários

O primeiro passo é tomar medidas de prevenção dentro da farmácia, pois um funcionário doente não poderá atender outras pessoas e pode passar o vírus adiante.

As principais medidas são de higiene. Lavar as mãos e o rosto ao chegar na empresa. Manter uso de álcool gel 70% nas mãos frequentemente ao longo do dia. Lavar o uniforme ou jaleco a quente pelo menos duas vezes por semana.

No caso de atendentes e farmacêuticos, é recomendável que utilizem máscara quando estiverem em contato com pessoas com sintomas como tosse, espirros e febre.

Mantenha o ambiente seguro

A limpeza e desinfecção do ambiente da loja é fundamental para conter a disseminação do vírus.

Todas as superfícies, balcão, mesas, objetos, equipamentos, corrimões, maçanetas de porta, entre outros, devem ser desinfectados com álcool líquido 70% várias vezes ao dia.

Grandes áreas como chão, banheiros e pias devem ser limpos todos os dias com detergentes, de preferência contendo cloro ativo, ou solução de hipoclorito 1%, pois isso elimina o vírus.

Mantenha o ambiente arejado, deixando janelas abertas ou ligando ventilador no mínimo duas vezes ao dia, por 30 minutos.

Atenção para a proteção da equipe de limpeza, que deve utilizar luva, óculos de proteção e avental ao lidar com esses produtos químicos.

banner testes rapidos

Padronize o atendimento a pessoas doentes

É esperado que pessoas com sintomas respiratórios busquem a farmácia para atendimento ou compra de medicamentos. A equipe deve estar apta a acolher, identificar, avaliar, orientar e encaminhar esse paciente.

É desejável manter álcool gel 70% disponível na entrada da farmácia, para que todas os clientes limpem as mãos na chegada.

Pessoas que vão à farmácia com sintomas como tosse, espirros e febre podem ter coronavírus, portanto devem ser identificadas e encaminhadas para atendimento separado, pelo farmacêutico.

A sala de serviços farmacêuticos é um bom lugar para esse atendimento, mas cuidado para manter a sala bem arejada e ventilada. Durante o atendimento, mantenha uma distância mínima de 1 metro do paciente.

Se o paciente estiver tossindo, espirrando ou com febre, ofereça uma máscara cirúrgica, se disponível, ou pelo menos lenço de papel. Peça que cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Você, farmacêutico(a), deve utilizar máscara durante esse atendimento.

Já existem testes rápidos para detecção de antígenos e/ou anticorpos do coronavírus. Os testes point-of-care tem seu valor, pois podem auxiliar na identificação de pacientes negativos para coronavírus. Essa triagem pode auxiliar a evitar a superlotação dos sistema de saúde em momentos de pico de casos.

Após atendimento do paciente, limpe a mesa, equipamento, maçaneta e demais objetos utilizados com álcool líquido 70%, pois isso evita contaminação. Descarte corretamente os resíduos.

E se o paciente tiver mesmo suspeita de coronavírus?

Em primeiro lugar, você deve seguir as recomendações do Ministério da Saúde. Acompanhe também as recomendações publicadas pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF) e pela Associação Brasileira das Redes de Farmácias (Abrafarma).

Pacientes com sintomas leves de infecção respiratória

Orientar o paciente que vá para casa, permaneça isolado, tomando medidas de autocuidado. Caso ele não possa fazer isso por conta própria, deverá procurar atendimento médico imediatamente para avaliação e obtenção de atestado, a critério médico.

Pacientes acima de 60 anos ou portadores de doenças crônicas.

Mesmo com sintomas leves, devem ser encaminhados para atendimento médico imediatamente. Todos os pacientes devem ser orientados a procurar atendimento médico imediato caso os sintomas persistam ou piorem nas próximas 24 horas.

Pacientes com sintomas moderados e graves de infecção respiratória

Pacientes com sintomas que indiquem maior gravidade, principalmente febre alta persistente há dias e dificuldade em respirar, devem ser encaminhados imediatamente. O Ministério da Saúde mantém uma lista de unidades de referência para este atendimento, geralmente hospitais.

Como você pode se preparar?

Para saber mais, ter acesso a ferramentas e acompanhar o que está acontecendo, acesse nossa página especial sobre coronavírus no Clinicarx clicando na imagem abaixo.

banner coronavirus

Testes rápidos para coronavírus: o que fazer na farmácia

Lanceta de Teste Rápido - Covid-19

Existem diversos testes rápidos para coronavírus no Brasil. Eles identificam o COVID-10 em minutos. Saiba como funcionam.

A COVID-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). O período de incubação varia de 2 a 14 dias, sendo de 5 dias em média. Os sintomas surgem após esse período e geralmente persistem por 5 a 7 dias. Após sete dias, começa o período de maior transmissibilidade, isto é, quando as pessoas podem passar o vírus a outras pessoas.

👉Procurando farmácias que fazem o Teste Covid-19? Clique aqui: https://clinicarx.com.br/onde-encontrar/

O processo imunológico de resposta ao coronavírus

Para entender como funciona o teste rápido, você precisa conhecer a história natural da doença, observando a resposta imunológica. Confira na figura abaixo.

Resposta imunológica esperada após contado com o novo coronavírus e manifestação da doença.

 

Resposta imunológica esperada após contado com o Novo Coronavírus e manifestação da doença. Imagem gentilmente cedida por ECO Diagnóstica.

Após infecção pelo vírus, a carga viral no organismo aumenta rapidamente em poucos dias. Mas o paciente permanece assintomático, pois ainda está no período de incubação. O vírus pode permanecer incubado durante dias.

Após alguns dias de incubação, surgem os primeiros sintomas, como febre alta (acima de 37, 8 graus) e tosse seca. Esses sintomas duram em torno de 1 semana e o maior risco de complicações respiratórias, como pneumonia, ocorre entre 8 a 9 dias.

Neste momento, o organismo inicia a produção de anticorpos, a fim de combater e, na maioria dos casos, vencer a infecção. O primeiro anticorpo a ter seus níveis aumentados é o IgM e, posteriormente, o IgG.

Testes rápidos Covid-19 na farmácia: pode?

Pode sim. A Anvisa aprovou em 28/04 a proposta de realização de testes rápidos (ensaios imunocromatográficos) de anticorpos e antígenos para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em farmácias e drogarias. A medida tem caráter temporário e excepcional e visa ampliar a oferta e a rede de testagem, bem como reduzir a alta demanda em serviços públicos de saúde durante a pandemia.

Acesse os documentos relacionados:

RDC 377, publicada no DOU de 29/04/20. Autoriza, em caráter temporário e excepcional, a utilização de “testes rápidos” (ensaios imunocromatográficos) para a COVID-19 em farmácias, suspende os efeitos do § 2º do art. 69 e do art. 70 da Resolução de Diretoria Colegiada – RDC nº 44, de 17 de agosto de 2009.

Nota técnica nº 06/2021 – Orientação para farmácias durante o período da pandemia da COVID-19.

Nota técnica nº 07/2021 – Orientação para a realização de testes rápidos, do tipo ensaios imunocromatográficos para a investigação da infecção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Teste rápido para detecção de anticorpos

Testes rápidos que detectam a presença de IgG e IgM não são os melhores para a fase aguda da doença, pois é alta a probabilidade de falso negativo. Isto é, o paciente está com COVID-19, mas ainda não produz anticorpos. O teste rápido dá negativo.

Portanto, testes rápidos de IgG e IgM são indicados para:

  • Pessoas com sintomas suspeitos de Covid-19, com início há pelo menos 8 dias. Quanto mais tempo passado do início dos sintomas, melhor a acurácia do teste.
  • Trabalhadores afastados por suspeita de Covid-19, que iniciaram sintomas há 8 dias e já estão assintomáticos a pelo menos 72 horas.
  • Pessoas assintomáticas que tiveram contato próximo com pessoas diagnosticadas ou suspeitas de Covid-19, há pelo menos 20 dias.

Por exemplo, uma pessoa que teve sintomas semelhantes ao COVID-19 e se curou pode fazer o teste para saber se teve realmente a doença e se estão imunizados. Com a ressalva de que a presença de IgG não garante imunidade por toda vida, ainda não se sabe quanto tempo dura a imunidade adquirida.

Conhecer quem são as pessoas imunizadas também pode ser determinante durante a epidemia, pois mostra, por exemplo, quem são os trabalhadores e profissionais da saúde que podem continuar na linha de frente, atendendo a população.

Por outro lado, a vantagem do teste de anticorpos é que ele utiliza amostra de sangue total, em torno de apenas 10 uL, facilitando muito sua execução. A amostra é aplicada no cassete e o resultado é observado 10-15 minutos depois, por meio de linhas nos pontos de “teste” e “controle”. A linha colorida no Controle é obrigatória, para se considerar o teste válido.

Um resultado reagente para IgM significa presença de anticorpos na amostra, que pode estar relacionada a uma infecção recente e ativa pelo SARS-CoV-2. Reagente para IgG significa presença de anticorpos geralmente associados a uma infecção anterior, não necessariamente ativa no momento do exame.

O uso de EPIs para coleta também é fundamental, incluindo máscara cirúrgica, luvas, avental, touca e óculos de proteção (ou protetor facial).

É um teste seguro para o paciente e o profissional, contanto que este siga as recomendações de higiene e biossegurança. Por esses motivos, o teste de coronavírus IgG/IgM é o mais indicado ao serviço de cuidado farmacêutico em uma farmácia.

Teste rápido para detecção de antígeno

O teste rápido que detecta a presença de antígeno é útil na fase aguda da doença. Isto é, podem ser feitos em pacientes que iniciam os primeiros sintomas. Um resultado reagente no teste rápido indica presença do SARS-CoV-2 e precisa ser confirmado no exame laboratorial.

Em laboratórios de referência, a testagem padrão-ouro para confirmar o COVID-10 é feita por biologia molecular, rRT-PCR ou qRT-PCR (Transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase). 

Portanto, o teste rápido de coronavírus antígeno não confirma diagnóstico, sendo válido para triagem de pacientes e correto encaminhamento ao hospital.

O teste tem seu valor na atenção primário à saúde pois ajuda também a identificar casos suspeitos, promovendo rápido isolamento.

A desvantagem está na coleta e na amostra utilizada: swab de nasofaringe ou orofaringe. O processo de coleta é um pouco mais complexo, exige treinamento, e o profissional deve estar paramentado, preferencialmente com máscara N95, luvas, macacão e óculos de proteção ou protetor facial.

É um teste mais complexo, recomendado apenas para farmácias que possuam times experientes de farmacêuticos clínicos ou em campanhas articuladas com o poder público.

Testes rápidos para coronavírus na farmácia

Neste momento de epidemia, é esperado que muitas farmácias ofereçam o teste de coronavírus, especialmente de anticorpos. Os testes rápidos Covid-19 nas farmácias podem ser úteis para evitar buscas desnecessárias das pessoas ao sistema de saúde lotado.

Por outro lado, as farmácias devem montar um serviço sério e seguir as normas de qualidade já aplicadas aos demais testes laboratoriais remotos (TLR). Somente assim, é possível contribuir de forma correta para o controle da epidemia.

👉Procurando farmácias que fazem o Teste Covid-19 com qualidade e segurança?
Clique aqui: https://clinicarx.com.br/onde-encontrar/

Como funciona este serviço na prática?

Quer ver em vídeo como funcionam os testes do coronavírus?

Temos aulas especiais gratuitas neste curso online já feito por mais de 12 mil profissionais!

Mas um aviso importante, se você não dispõe de um serviço farmacêutico estruturado em sua farmácia, iniciar testagem para coronavírus pode ser temerário. É fundamental que você disponha de estrutura para um serviço completo de TLR (teste laboratorial remoto), incluindo espaço privativo de atendimento e, preferencialmente, suporte de um laboratório clínico vinculado, para emissão de laudo válido para exames feitos em tecnologia point-of-care.

Não se aventure com a prestação de testes rápidos sem isso, pois os resultados podem ser desastrosos.

Interessado em levar testes rápidos Covid-19 para sua farmácia. Tire suas dúvidas e entre em contato com a Clinicarx visitando nossa página especial sobre o assunto.

Serviços farmacêuticos: 4 formas da farmácia ganhar dinheiro

dinheiro com serviços farmacêuticos

Serviços de assistência farmacêutica precisam ter alta qualidade e o paciente deve receber bons cuidados em saúde. Isso não se discute. Mas para serem sustentáveis, profissionais e empresas precisam também gerar dinheiro e obter lucro da prestação de serviços farmacêuticos.

Existe um leque amplo de serviços farmacêuticos que podem ser prestados na farmácia e eles não são todos iguais. Por isso, deve-se pensar em “mix de serviços“, numa lógica semelhante ao “mix de produtos” que uma loja possui. Maior mix geralmente significa maior rentabilidade.

Trabalhando há alguns anos com farmácias de todo país, observamos quatro formas pelas quais uma farmácia aumenta seu faturamento com serviços farmacêuticos.

#1 Cobrando pela prestação de serviços

Cobrar pelos serviços é uma fonte de “dinheiro novo” para a farmácia. Isso é fundamental para que não haja aumento nos custos da loja. Investir em tecnologia e plataformas validadas é uma ótima forma de garantir retorno.

Serviços básicos como avaliações de saúde, pequenos check-ups e procedimentos assistenciais possuem alto volume e boa margem. Por isso, são fundamentais para a saúde financeira de um negócio baseado em serviços.

Além deles, serviços avançados como a vacinação e os testes laboratoriais remotos (TLR), possuem ticket-médio mais alto e são atraentes para a população e a farmácia. Por outro lado, possuem volume menor e margem mais apertada.

Combinar esses dois tipos de serviços farmacêuticos geram uma fonte de receita nova e poderosa para a farmácia.

#2 Promovendo as vendas consultivas

Cada atendimento realizado na sala de serviços farmacêuticos é uma oportunidade para novas vendas. Não se trata de “empurrar produtos”, muito pelo contrário. Durante o atendimento, é natural que o paciente relate necessidades de saúde que, eventualmente, podem ser atendidas pelo farmacêutico ou encaminhadas ao médico.

A orientação dos pacientes sobre o melhor uso de produtos como medicamentos isentos de prescrição médica (MIPs), suplementos alimentares, dermocosméticos, nutricosméticos, fitoterápicos e fórmulas magistrais, são uma forma de promover o autocuidado e as vendas.

É mil vezes melhor promover uma venda consultiva, centrada no paciente, do que deixar que o cliente “se vire sozinho”, podendo cometer erros e, muitas vezes, automedicação inadequada.

#3 Garantindo o retorno dos melhores clientes

Todo dia primeiro de cada mês, a farmácia precisa se preocupar em, começando do zero, alcançar sua meta de vendas. É isso ou a empresa fecha as portas. Essa é uma das “principais dores” do varejo farmacêutico.

Os serviços farmacêuticos são uma ferramenta poderosa para “resolver esta dor”. Todos os meses, 25% dos clientes da sua farmácia representam 50% ou mais das suas vendas. São geralmente pacientes crônicos que passam por sua loja. É fundamental saber quem eles são e se estão voltando!

Por isso, deve-se identificar pacientes polimedicados, que utilizam vários medicamentos, e engajá-los de forma a programar sua dispensação todos os meses e acompanhar a evolução de seu tratamento. Esta é uma forma de promover adesão ao tratamento, melhores resultados de saúde, garantir fidelidade e vendas, mês após mês.

#4 Atraindo novos clientes

Transformar sua farmácia de um “ponto de venda (PDV)” em um “ponto de cuidado (PDC)”, sem dúvida, é uma forma de diferenciação em relação à concorrência.

Enxugar custos, dar descontos, reduzir a ruptura e desenvolver categorias de produtos, sem dúvida são ações fundamentais para sobreviver neste mercado. Mas cada vez mais, medicamentos estão se tornando commodities. A concorrência será cada vez maior e as margens cada vez menores. O dinheiro torna-se cada vez mais raro.

Nesse caso, buscar novos negócios e novas fontes de receita são medidas inteligentes (e prudentes).

Por isso, oferecer serviços e vender “soluções completas”, ao invés de apenas produtos é uma forma de atrair novos clientes. Pessoas que sofrem com seus problemas de saúde poderão encontrar respostas no atendimento da sua farmácia, mais do que apenas caixinhas de produtos. E levarão seu dinheiro para ela ao invés da concorrência.

Como a farmácia aumenta seu faturamento com serviços farmacêuticos

como a farmácia ganha dinheiro com serviços farmacêuticos

Os serviços farmacêuticos tem sido uma grande tendência das farmácias e drogarias brasileiras nos últimos anos. Milhares de empresas tem investido em estrutura física, equipamentos e treinamento de profissionais a fim de ofertar novos serviços a seus clientes.

Para que essa tendência se solidifique, porém, é fundamental que os serviços sejam sustentáveis do ponto de vista econômico.

Em outras palavras, serviços de assistência farmacêutica precisam ter alta qualidade e o paciente deve receber bons cuidados em saúde. Isso não se discute. Mas profissionais e empresas precisam também gerar receita e obter lucro dessa operação.

Quais serviços as farmácias estão implantando para aumentar seu faturamento?

Existe um amplo leque de serviços de saúde que podem ser prestados na farmácia e eles não são todos iguais. Por isso, deve-se pensar em “mix de serviços“, numa lógica semelhante ao “mix de produtos” que uma loja possui. Maior mix geralmente significa maior rentabilidade.

A seguir vamos analisar 5 tipos de serviços que estão agregando valor ao negócio de muitas empresas. Para calcular o impacto financeiro dos serviços, vamos considerar uma farmácia que atende 3 mil clientes por mês, com uma meta de conversão de apenas 10% para cada serviço farmacêutico, isto é, 300 pacientes.

#1 Serviços farmacêuticos básicos

São serviços de avaliações de saúde, pequenos check-ups e procedimentos assistenciais básicos. Exemplos incluem a medida da pressão arterial, testes de glicemia, aplicação de injetáveis, colocação de brincos, pequenos curativos, entre outros. São serviços cobrados diretamente do paciente.

Esses serviços geralmente possuem ticket-médio menor (por volta de R$ 9,70) porém maior volume e boa margem (~80%). Por isso, são fundamentais para a saúde financeira de um negócio baseado em serviços. Serviços básicos geram dinheiro novo para a farmácia.

Em uma farmácia que realiza 300 serviços básicos/mês (10% de conversão sobre 3 mil clientes), essa categoria gera um faturamento mensal novo da ordem de R$ 2.910,00, com uma margem em valor de R$ 2.328,00. 

Para ampliar o alcance (e o faturamento), é fundamental ampliar esse leque de serviços básicos, incluindo medidas corporais, bioimpedância, controle da asma, avaliação de saúde mental, avaliação à gestante, controle do tabagismo, entre outros.

Várias dessas avaliações são aplicadas a pacientes crônicos para fim de acompanhamento do tratamento, por isso são um complemento perfeito para os serviços farmacêuticos agregados, como a consulta farmacêutica e a dispensação programada, como veremos a seguir.

#2 Consulta farmacêutica

Na consulta farmacêutica, o objetivo é atender de forma proativa necessidades dos pacientes relativas aos MIPs (Medicamentos Isentos de Prescrição Médica), suplementos alimentares, nutrição, dermocosméticos, nutricosméticos, fitoterápicos e, até mesmo, fórmulas magistrais. Para funcionar, é necessário contar com protocolos que orientem a prescrição farmacêutica.

Segundo números de mercado de 2020, uma venda consultiva de produtos para diversas categorias isentas de receita médica gera um ticket-médio adicional de R$ 14,60 à cesta do paciente, com uma margem de 30%. Com apenas 300 atendimentos/mês, isso significa um faturamento adicional de R$ 4.380,00, com margem em valor de R$ 1.314,00. Importante lembrar que isso é faturamento novo, pois baseia-se em conversões que não aconteceriam se não houvesse a consulta farmacêutica.

#3 Dispensação programada e acompanhamento

Da mesma forma, aumentar a adesão ao tratamento em pacientes que tomam vários medicamentos pode produzir um enorme impacto nas vendas da farmácia. Esse é um raciocínio um pouco mais complexo, por isso acompanhe.

Diversos estudos, no Brasil e no exterior, mostram que a adesão ao tratamento de uso contínuo é da ordem de 50%, um número muito baixo. Isso significa que os pacientes crônicos da sua farmácia não estão retornando e não estão utilizando os medicamentos de forma completa, conforme prescritos.

Para mudar esse número, trabalhamos com a dispensação programada de medicamentos e acompanhamos a evolução do tratamento do paciente.

Em outras palavras, você precisa gerenciar a carteira de pacientes que fazem vários tratamentos, garantindo que eles adquirem a quantidade correta de medicamento todos os meses, e agendar seus retornos, com envio automático de lembretes. Esta é uma forma de promover adesão ao tratamento, melhores resultados de saúde, fidelidade e vendas, mês após mês.

Para calcular o impacto disso no faturamento, vamos considerar uma carteira de apenas 300 pacientes que precisam adquirir 5 medicamentos por mês. Considerando um preço-médio de R$ 32,50 por produto, isso leva a um ticket-médio de R$ 162,50/paciente, um faturamento potencial de R$ 48.750,00/mês. Isso com apenas 10% dos clientes da sua farmácia!

O problema é que esses pacientes não fazem o tratamento completo, tampouco você pode garantir que eles adquirem seu tratamento todos os meses na sua farmácia. Portanto você não tem esse faturamento.

Considerado a adesão média de 50%, é esperado que você esteja atingindo apenas metade disso, isto é, R$ 24.275,00/mês. Você está perdendo metade do seu faturamento potencial.

Com dispensação programa e acompanhamento, porém, você pode aumentar a taxa de adesão nesse grupo especial de clientes, que representam uma grande fatia do faturamento da sua farmácia.

Digamos que você aumente essa adesão apenas de 50% para 75%. Isso gera um ticket-médio adicional de R$ 40,63 por paciente. Em 300 clientes, isso significa um faturamento novo de R$ 12.189,00/mês. Um crescimento de 50% no faturamento dessa carteira.

Somente esse movimento pode trazer um faturamento novo para sua farmácia de mais de R$ 146.000,00/ano. É um mês inteiro de faturamento, na média das independentes, sem precisar adquirir nenhum novo cliente, apenas trabalhando sua base já existente!

Mas isso não para por aí, ainda temos os serviços avançados, como os testes laboratoriais remotos (TLR) e a vacinação.

#4 Testes Rápidos

Os Testes Laboratoriais Remotos, também chamados apenas de “Testes Rápidos”, são exames feitos em dispositivos ou equipamentos portáteis, geralmente utilizando sangue capilar, que fornecem resultados em minutos.

Já existem mais de 30 exames desse tipo que podem ser feitos por farmacêuticos no consultório ou na farmácia. Exemplos incluem o Beta-HCG, perfil lipídico, hemoglobina glicada, PSA, dengue, HIV, entre muitos outros.

Segundo análise de mercado, o ticket-médio de um TLR no Brasil é de R$ 39,00 (dados de 2019), com uma margem média de 40%. Aplicando novamente uma conversão de 10% da sua carteira de clientes, 300 atendimentos, isso significa um faturamento novo de R$ 11.700,00/mês, com margem em valor de R$ 4.680,00/mês.

Além dos TLR, as vacinas também trazem um resultado impactante para a farmácia.

#5 Vacinação

A vacinação nas farmácias agrega valor tanto na venda direta do produto (vacina) como na prestação do serviço (gesto vacinal). É preciso precificar ambos.

Existem dezenas de vacinas no mercado brasileiro, sendo algumas mais acessadas pela população, de todas as idades, por meio dos serviços privados. Os “carros-chefe” da vacinação nas farmácias incluem a influenza (gripe), pneumocócicas, HPV, meningocócicas, hexavalente, entre outras.

Segundo análise de mercado, o ticket-médio da vacinação é de R$ 96,00, com uma margem média de 40%, incluindo o preço da aplicação (gesto vacinal) e a margem do produto.

Sendo um serviço mais específico, vamos considerar apenas 150 aplicações/mês, uma conversão de 5% da sua carteira mensal de clientes. Isso em uma média anual, pois é esperado um maior movimento na época da campanha de vacinação contra gripe e menor nas demais estações.

Dessa forma, a vacinação pode gerar um faturamento novo da ordem de R$ 14.400,00/mês, ou R$ 172.800,00/ano para sua farmácia.

Então, como as farmácias aumentam o faturamento com serviços farmacêuticos?

Entendendo o mix de serviços e o potencial de cada um, vamos reunir as contas e chegar ao faturamento potencial total.

Serviços Básicos – R$ 2.910,00/mês
Consulta Farmacêutica – R$ 4.380,00/mês
Dispensação Programada – R$ 12.189,00/mês
Testes Rápidos – R$ 11.700,00/mês
Vacinação – R$ 14.400,00/mês

Total Mensal – R$ 45.579,00
Total Anual – R$ 546.948,00

Para simular o impacto na sua farmácia, você pode também criar outros cenários. Por exemplo, uma conversão de 2,5%, 5% ou até 15% da sua carteira mensal de clientes.

Observando esses números e calculando o investimento necessário para organizar o espaço físico, ativar uma plataforma digital de serviços e comunicar/divulgar isso aos clientes, você poderá chegar no cálculo do retorno sobre o investimento (ROI).

👉 Pensando em implantar serviços farmacêuticos em sua farmácia? Conheça aqui um passo-a-passo gratuito, simples e objetivo 😍

Conclusões

A concorrência cresce a cada dia. As farmácias estão se reinventando e mudando de forma acelerada. O comportamento do consumidor também está mudando. É preciso inovar.

Como vimos, investir em serviços farmacêuticos é uma tendência que veio para ficar e é uma ótima forma de diferenciar sua farmácia e trazer um novo faturamento.

Portanto, da próxima vez que alguém lhe disser que serviços farmacêuticos possuem um alto investimento e não dão retorno financeiro, mostre esses cálculos. Só você pode tomar a melhor decisão do seu próprio negócio.

Pense nisso. Boa sorte e conte conosco!

 

Conheça os benefícios dos serviços farmacêuticos para a farmácia

serviços farmacêuticos

Os serviços farmacêuticos são uma tendência importante do mercado farmacêutico, que vem crescendo nos últimos anos. Para ficar por dentro desse movimento, é importante conhecer seus benefícios dos serviços e por quê tantas farmácias estão aderindo a este modelo.

O maior valor que uma farmácia pode entregar a seus clientes não são medicamentos ou produtos de higiene e beleza. A simples venda de produtos tem se tornado uma commodity o que leva a uma guerra de preços e torna mais difícil se diferenciar da concorrência. Em resposta a isso, o maior valor que uma farmácia pode entregar é a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida daqueles que buscam seus produtos e serviços. Esses são benefícios dos serviços. Isso muda a experiência do cliente e aumenta a rentabilidade do negócio.

 

“E uma das formas mais poderosas de entregar esse valor para nossos clientes está nos serviços farmacêuticos.”

– Cassyano Correr

A partir de 2014, com a Lei Federal 13.021, as farmácias passaram a ter mais autonomia para fazer atendimentos clínicos específicos em seus estabelecimentos e com isso um novo mercado se abriu diante delas. Além disso, as Resoluções 585/2013 e 586/2013 do Conselho Federal de Farmácia, criaram uma base sólida que ampliou as atribuições clínicas dos farmacêuticos.

 

Além de beneficiar a saúde dos pacientes, os serviços farmacêuticos geram uma nova fonte de receita para a farmácia. Tanto pela cobrança direta pelos serviços, como agregando às vendas, pela fidelização de clientes ou recomendações de produtos e tratamentos, conforme necessidades específicas dos pacientes, são benefícios dos serviços são vários.

 

Mas o que são serviços farmacêuticos?

 

Serviços farmacêuticos são um conjunto de serviços de natureza clínica, prestados pelo farmacêutico na farmácia, capazes de auxiliar as pessoas na promoção e proteção da saúde, detecção de riscos, autocuidado, adesão e acompanhamento dos tratamentos.

 

Em 2019, segundo dados da Associação Brasileira das Redes de Farmácias (Abrafarma), aproximadamente 4 milhões de atendimentos clínicos foram realizados em mais de 2.000 farmácias que já aderiram a este novo modelo. A expectativa para os próximos anos é que este número cresça de forma significativa, com potencial de receita direta que pode se aproximar de 100 milhões de reais. Isso demonstra que a receptividade deste novo modelo tem sido muito boa, tanto por parte das farmácias quanto dos pacientes.

 

Atendimento Farmacêutico na Farmácia. Cortesia da Imagem: Rede Drogal (SP).

 

Atendimento Farmacêutico na Farmácia. Cortesia da Imagem: Rede Drogal (SP).

👉O que mais de 12 mil farmacêuticos do Brasil estão fazendo, menos você? 👀 Descubra aqui.

 

Como a saúde ganha com os serviços farmacêuticos?

 

A saúde continua sendo, ano após ano, uma das maiores demandas da população. A farmácia encontra-se em um ponto estratégico para oferecer soluções nessa área, que vão além da simples entrega de produtos. O sistema de saúde carece cada vez mais de melhores cuidados primários em saúde e as farmácias estão em uma posição estratégica para suprir parte dessa necessidade.

 

Prevenção e Vacinas

 

No campo da prevenção, por exemplo, a oferta de serviços de vacinação nas farmácias pode ampliar a cobertura vacinal dos brasileiros. Estudos mostram que 70% dos adultos relatam não estar com a carteira de vacinação em dia. Os poucos serviços privados existentes atualmente não são capazes de atender a essa demanda. Segundo dados da IQVIA, 90% das aplicações de vacinas em clínicas privadas no Brasil está concentrada em cidades que representam apenas 35% da população.

 

Esse é um exemplo dos benefícios dos serviços farmacêuticos. 👉Confira aqui as farmácias que já estão oferecendo serviço de vacinação no Brasil.

 

Testes Rápidos e seus benefícios

 

Além disso, realização de exames rápidos em farmácias é outra tendência importante, avançando de mãos dadas com a tecnologia. Essas avaliações de saúde permitem a detecção oportuna de riscos, reduzindo o tempo de diagnóstico e início do tratamento, com redução de custos e melhores resultados de saúde. A disponibilidade de dispositivos portáteis já permite a oferta de serviços voltados a condições crônicas, como diabetes, hiperlipidemias e problemas renais, e infecciosas, como HIV, Hepatites, Zika e Chikungunya.

 

Esse é mais um exemplo dos benefícios dos serviços farmacêuticos.

Adesão ao tratamento

 

Para as doenças crônicas, a baixa adesão ao tratamento e mal controle continuam sendo um problema importante, muitas vezes causados por falta de suporte durante o tratamento. Dados globais mostram que 50% dos pacientes chegam a abandonar seus medicamentos apenas 6 meses após o início do tratamento.

 

A farmácia é o lugar onde se ganha a luta para melhorar a adesão ao tratamento, por meio de serviços de aconselhamento e acompanhamento. Nos serviços farmacêuticos, trabalhar a dispensação agendada, gerenciando a quantidade de medicamentos fornecida, e monitorar os resultados desse tratamento são formas poderosas a comprovadas de aumentar a adesão aos medicamentos. Por sua vez, esse aumento na adesão é o mais forte driver de crescimento das vendas de medicamentos.

 

Prescrição Farmacêutica e os benefícios dos serviços

 

Os pacientes também buscam, cada vez mais, assumir práticas de autocuidado e melhor gerenciamento de sintomas de baixa gravidade. O fácil acesso ao farmacêutico e à prescrição farmacêutica tem se mostrado uma solução inteligente, tanto no campos dos MIPs, como dos produtos para saúde, para promover esse autocuidado.

 

Há trabalhos mostrando que a cada 10 recomendações de medicamentos feitas pelo farmacêutico, 9 se convertem na aquisição do produto, revelando a força da autoridade técnica desse profissional em influenciar o comportamento do paciente. A consulta farmacêutica para problemas autolimitados é um serviço de alto valor para a população, ampliando acesso à saúde e promovendo aumento das vendas, porém com qualidade. Esse é outro exemplo dos benefícios dos serviços farmacêuticos.

Dificuldades na implantação

Mas nem tudo são só maravilhas. Implantar todos esses serviços exige mudanças na maneira de ver o seu negócio. Adequar o espaço físico é apenas o primeiro passo nessa jornada. O farmacêutico e o proprietário enfrentarão o desafio de desenvolver uma nova unidade de negócio da empresa, mudar sua mentalidade centrada no produto e passar a enxergar o paciente/consumidor como centro de seu trabalho. É algo geralmente “fácil de falar”, mas “difícil de fazer”.

Por que criamos a Clinicarx

 

Vivenciando as dificuldades da implantação de serviços e o impacto dessas mudanças sobre as farmácias e profissionais, percebemos que era necessário criar um novo modelo de trabalho. Trouxemos a tecnologia como nossa aliada e aplicamos a experiência acumulada de milhares de consultórios farmacêuticos e milhões de atendimentos realizados.

 

Nós criamos uma plataforma que permite desenhar e organizar seus serviços farmacêuticos, ajudando a perceber oportunidades e alcançar resultados. Nós organizamos tudo para que você ofereça serviços de saúde para sua farmácia.

 

Isso inclui um software, mas vai muito além disso. Você terá também um modelo de negócio, ferramentas que auxiliam no treinamento dos farmacêuticos, padronização dos processos, gestão dos resultados financeiros e garantia da qualidade.

 

Com Clinicarx, você recebe uma solução completa que inclui:

 

Soluções Clinicarx farmácias

 

O Clinicarx também permite que os pacientes se conectem com os serviços da sua farmácia por um aplicativo mobile, tendo acesso as suas informações de saúde de forma segura e cumprindo a legislação de proteção de dados. Isso permite que a qualidade da prestação de serviços seja uniforme por toda sua rede e que os pacientes recebam um atendimento rápido e seguro.

 

Ficou interessado(a)? Saiba mais em https://clinicarx.com.br ou fale com a gente e solicite uma demonstração sem compromisso! 

5 formas de perder seus clientes de serviços farmacêuticos (para sempre)

hustle and bustle 1738072 1920 1

As farmácias estão buscando implantar serviços farmacêuticos, gerar novas fontes de receita e aumentar as vendas. Em tempos de concorrência agressiva, a oferta de serviços aos clientes sem mostra como uma grande oportunidade de se diferenciar no mercado.

Mas muitas farmácias e profissionais estão fazendo isso da forma errada.

Se é muito difícil atrair clientes para sua farmácia e para seus serviços farmacêuticos, por outro lado, é muito fácil perdê-los. Segundo Philip Kotler, grande referência do marketing, conquistar um novo cliente custa entre 5 e 7 vezes mais do que manter um atual. Por isso é sábio tomar todas as precauções para atrair e, principalmente, reter seu cliente.

Mas caso você não acredite nesse tipo de crendice, confira abaixo 5 formas brilhantes de afugentar e perder seu cliente de serviços farmacêuticos na sua farmácia.

#1 Receba mal seus clientes que pedem um serviço farmacêutico

Não precisa ser mal educado ou carrancudo para acolher mal seu paciente. Você pode ser mais sutil. Por exemplo, se um cliente seu entra na farmácia passando mal e pede para verificar a pressão arterial, seja rápido em enviá-lo antes ao caixa, na fila, para pagar pelo atendimento. Jamais ofereça uma cadeira ou um copo de água. E jamais, durante a venda de um medicamento, pergunte sobre como anda a saúde do seu cliente!

#2 Faça seu serviço rapidamente, e apenas isso

Se seu cliente pediu por uma glicemia, faça apenas isso. Informe o resultado e despache logo esse chato. E se o serviço for uma medida de pressão arterial, seja mais rápido ainda! Não gaste preciosos 10 minutos com ele, não precisa entregar uma declaração de serviço farmacêutico. Isso seria um desperdício. E nunca, jamais, ofereça uma avaliação complementar de saúde, um outro serviço, para o paciente que buscou apenas aquele serviço simples. Nada de cross-sell. Torne a experiência de atendimento dele a mais “esquecível” possível, esse é seu objetivo.

#3 Deixe a lista de medicamentos dos clientes em branco

Nunca pergunte a seu paciente quais medicamentos ele utiliza, se possui alguma doença crônica. Afinal, não faz diferença atender um paciente que utiliza 5 ou 10 medicamentos e que gasta R$ 250,00 por mês na sua farmácia. Nunca prepare para ele um calendário posológico que leva 2 minutos. Simplesmente faça o seu serviço e deixe ele ir embora. Diretamente para a concorrência.

#4 Mande os clientes embora e não agende retorno

Ah! E não vá cometer a imprudência de agendar um retorno, especialmente se a pressão arterial, colesterol, IMC ou glicemia estiverem nas alturas. Deixe ele ir e quem sabe um dia ele volte, afinal é do interesse dele. Com isso, você construirá uma enorme base de clientes atendidos apenas uma vez, que nunca mais voltaram. Esse é o segredo do não-sucesso da sua farmácia. É o ápice da não-fidelização.

#5 Desconecte o checkup da saúde da dispensação de medicamentos

Se por acaso aquele paciente tomar 5 ou 10 medicamentos todos os dias, jamais tenha a ideia de perguntar como está o tratamento, se está conseguindo fazer bem e se sente que está melhorando. Nunca tenha a ideia insana de perguntar a ele que dia do mês ele compra seus medicamentos e não agende esse retorno, para garantir que ele irá comprar seus medicamentos com você. Promover a adesão ao tratamento, melhor não.

Fuja disso!

Essas são oportunidades de ouro para você elevar seus serviços farmacêuticos ao próximo nível. Se você quer que sua farmácia prospere neste mercado faminto, se quer exercer seu trabalho com cuidado, levando saúde às pessoas, não cometa os erros acima. Pelo contrário:

  1. Acolha e receba bem seu cliente. Ofereça seus serviços sempre.
  2. Agregue vários serviços que o paciente necessita, no mesmo atendimento.
  3. Registre os medicamentos que ele/ela utiliza e suas doenças também.
  4. Agende o retorno do seu paciente, mais perto quanto pior estiver sua saúde.
  5. Agende a dispensação de pacientes polimedicados, promova adesão e aumente suas vendas.

Gerencie sua base de clientes com todo cuidado. Existem 20% dos seus clientes que, provavelmente, estão garantindo 80% das suas receitas. Cuide bem deles. Ofereça produtos e serviços de qualidade para todos e atraia novos clientes pela melhor propaganda do mundo: o boca-a-boca. Faça isso e veja a diferença.