Adesão ao tratamento medicamentoso: como ajudar seus pacientes na farmácia

tratamento medicamentoso

A não adesão ao tratamento medicamentoso é um problema mundial. Entende-se por adesão terapêutica o quanto o paciente compreende, concorda e participa do seu tratamento.

Você sabia que até 50% dos pacientes não mantém boa adesão aos medicamentos após 6 meses do início do tratamento?

Que em pessoas com mais de 40 anos, usando medicamentos contínuos, a taxa de não adesão aos medicamentos é de 63%? Que 1 em cada 3 idosos usa 5 ou mais medicamentos e 82% têm problemas de adesão?

A não adesão dos pacientes ao tratamento medicamentoso é considerada um problema mundial.

Entre as causas comuns de não adesão ao tratamento medicamentoso estão a descontinuidade de acesso, a falta de acompanhamento profissional e ter que usar medicamentos muitas vezes ao dia.

De fato, gerenciar os horários e a tomada de vários medicamentos ao dia é um desafio para qualquer pessoa.

Entende-se por adesão terapêutica o quanto há de concordância entre o comportamento do paciente na utilização de medicamentos ou seguimento de medidas não farmacológicas, e aquelas recomendações feitas pelos profissionais da saúde. A adesão terapêutica é mais do que apenas tomar os comprimidos. Trata-se, afinal, do quanto o paciente compreende, concorda e participa do seu tratamento.

Existe ciência por detrás do conceito de adesão tratamento medicamentoso

Existe muita literatura sobre adesão terapêutica. Afinal, são décadas de pesquisa tentando descobrir formas de aumentar a participação ativa dos pacientes no tratamento medicamentoso.

Confira no vídeo promovido pela Abrafarma, uma revisão dos conceitos básicos sobre o tema, que todo farmacêutico precisa conhecer.

Segundo reportagem do Panorama Farmacêutico, estudos globais indicam que mais da metade dos pacientes crônicos não segue corretamente ou abandona seu tratamento após o sexto mês de terapia.

O índice reforça a importância do acompanhamento farmacoterapêutico para garantir a adesão.

O especialista Rodrigo Moura discute o papel do farmacêutico nesse processo e as oportunidades para o varejo fidelizar clientes por meio de planos de benefícios de medicamentos.

Como aumentar a adesão ao tratamento medicamentoso do seu paciente na farmácia

Redução do custo do tratamento

Necessário no caso de não adesão primária ou dificuldade de acesso. Opções incluem programas de descontos, substituição por genéricos ou encaminhamento ao médico com pedido de troca da medicação por opção terapêutica de menor custo.

Educação do paciente sobre o tratamento

Útil para casos de baixa adesão não intencional, por falha na orientação do paciente. Alguns pacientes não cumprem o tratamento adequadamente porque não entenderam o que devem fazer ou qual sua importância.

Orientação sobre rotina de medicação

Útil para pacientes que se esquecem ou gerenciam múltiplos medicamentos.

Criar uma rotina, deixando os medicamentos à vista no lugar certo, na hora certa, podem ajudar na adesão. Reduzir o número de tomadas ao dia para, no máximo, 3 vezes ao dia, agrupando medicamentos e comprimidos nos mesmos horários.

Organizadores de comprimidos

Útil para quem toma 5 ou mais medicamentos. Tirar os comprimidos da embalagem original e fracionar em organizadores.

Uso de lembretes sonoros no celular

Útil como lembretes da hora de tomar o medicamento. Há diversos aplicativos gratuitos para celular. Pode-se usar também a próprio calendário do celular para criar alertas sonoros.

Envio de alertas pela farmácia

A farmácia pode disparar alertas de SMS ou pelo celular lembrando de medicação que está acabando. Depende de sistema informatizado onde o tratamento e as dispensações estejam registradas.

Dispensação programada

Útil para criar uma rotina de dispensação mensal. Agenda-se o paciente para um dia específico do mês, trazendo os medicamentos que tem em casa para reposição.

Durante a dispensação, o farmacêutico pode verificar comprimidos faltando ou sobrando, avaliar a adesão e repor o tratamento conforme necessidade, até o próximo mês.

Calendário posológico impresso

Útil como lembrete visual que lista todos os medicamentos e horários de tomada, particularmente a pessoas com dificuldade de leitura. Deve-se buscar minimizar o número de tomadas ao dia.

Conheça o calendário posológico da Clinicarx

O calendário posológico é um recurso visual para facilitar a adesão ao tratamento em pacientes polimedicados com dificuldades de leitura/alfabetização ou na organização de sua rotina de medicação.

Como fazer? Para cada medicamento que o paciente utiliza, registre o nome e dosagem, bem como os horários do dia para cada dose, sempre o ligando aos horários principais das refeições que estruturam a rotina.

Ao final você terá uma lista completa e organizada dos medicamentos. Veja na figura abaixo um exemplo de como esse calendário pode ser criado automaticamente com o auxílio do Clinicarx.

Calendário posológico.

Neste exemplo, vemos um regime complexo, em que o paciente toma apenas 4 (quatro) medicamentos, mas precisa se organizar para uma rotina de 5 (cinco) momentos de tomada ao dia.

O objetivo da intervenção seria reduzir para no máximo 2(dois) ou 3 (três) momentos, agrupando doses. Isso pode ser feito de forma fácil e visual no software. Clinicarx® 2019 – todos os direitos reservados.

Dá pra fazer automaticamente?

Dá sim! Na Clinicarx, você pode elaborar o calendário posológico do seu paciente de forma automática e auxiliar no processo de adesão ao tratamento medicamentoso.

Um recurso visual que organiza todos os horários do tratamento. Além disso, o documento terá ainda os dados da sua farmácia/consultório, dados do paciente e será assinado por você.

Este calendário é mais do que um impresso para ser fixado na geladeira. Com ele, o paciente terá uma lista acurada de seus medicamentos e uma rotina de medicação organizada, validada pelo farmacêutico.

Por isso, recomende que seu paciente a carregue consigo sempre, pois é um recurso que pode ser muito valioso em consultas médicas ou atendimentos de urgência. Uma lista acurada de medicamentos em uso pode salvar vidas!

A organização visual ajudará o paciente a se lembrar de tomar seus medicamentos, nos horários corretos, com menor chance de erros.

Você terá também uma visão mais clara do entendimento do paciente e sua capacidade de seguir uma rotina de boa adesão ao tratamento, revelando oportunidades de educação do paciente.

Melhore a adesão aos medicamentos de muitos dos seus pacientes com essa ferramenta simples. Eles vão gostar e sua farmácia vai fidelizar clientes com sucesso.

Como calcular o IMC e o peso ideal para seu paciente na farmácia

Ajude seus pacientes a perder peso

O peso ideal  trata de uma estimativa do peso considerado adequado para prover as necessidades energéticas  basais de acordo com o gênero e altura do paciente. Descubra como calcular e ajudar seu paciente a chegar ao peso ideal neste artigo. 


A obesidade é um problema de saúde pública e está associada ao risco aumentado para uma ampla gama de doenças crônicas, tais como diabetes, hipertensão, dislipidemia, entre outras. 

Mais da metade dos brasileiros está acima do seu peso ideal. São quase 100 milhões de pessoas com índice de massa corporal (IMC) acima de 25 kg/m², e muitas dessas pessoas estão na faixa de obesidade, com IMC acima de 30 kg/m².

Como podemos mudar essa realidade? A resposta é complexa e não depende apenas de uma categoria de profissionais da saúde, como os nutricionistas. 

Na verdade, todos os profissionais têm um papel a cumprir, considerando a sua prática, os respectivos limites e competências técnicas. Por isso, o combate ao sobrepeso e obesidade é uma causa de todos.

A busca pelo peso ideal deve ser adotada com uma rotina de vida saudável e com qualidade para evitar complicações como hipertensão e diabetes.

Neste artigo, vamos destacar ações de rastreamento e gestão em saúde para ajudar a encontrar o peso ideal do seu paciente. Para isso destacamos duas ferramentas simples: O Índice de Massa Corporal e o cálculo da estimativa do peso ideal

O que é o Índice de Massa Corporal (IMC)?

O IMC é a forma mais simples de avaliar a composição corporal de um paciente, apenas pela distribuição de seu peso corporal em relação à sua área (altura ao quadrado). 

Ele é utilizado por farmacêuticos e outros profissionais de saúde para o rastreamento e avaliação clínica de pacientes, a fim de identificar pessoas com baixo peso, peso normal, sobrepeso ou obesidade.

O IMC apresenta algumas limitações por  não distinguir a massa gordurosa da massa magra e não refletir necessariamente a distribuição corporal. Essas limitações devem ser consideradas pelo farmacêutico durante avaliação do paciente. Apesar disso, ele pode ser utilizado para auxiliar em alguns pontos.

O IMC ajuda a:

  • Conscientizar os pacientes sobre os riscos associados ao sobrepeso e a obesidade;
  • Estadiar o paciente quanto ao IMC;
  • Realizar educação em saúde relativa a importância de hábitos de vida saudáveis;
  • Selecionar pacientes para tratamento específico ou programa estruturado de gestão do peso.

Ainda que apresente limitações clínicas bastante conhecidas, o IMC é a forma mais utilizada para avaliação do sobrepeso e obesidade.

O IMC apresenta boa relação com a incidência de doenças cardiovasculares e mortalidade e é recomendado pela Organização Mundial da Saúde e principais instituições reguladoras da obesidade, em todo o mundo, como parâmetro padrão.

Como utilizar o IMC

O IMC é calculado através da seguinte fórmula:

IMC = (Peso corporal em kg) / (altura em metros ao quadrado). 

Como interpretar os resultados

VALORES DE REFERÊNCIA PARA IMC PARA ADULTOS
IMCCLASSIFICAÇÃOINTERPRETAÇÃO
1Menor do 18,5Abaixo do pesoPode ser uma característica pessoal, mas pode ser um sinal de desnutrição. Avaliar individualmente.
2Entre 18,6 e 24,9Peso normalIMC normal. Educar quanto à importância da manutenção de hábitos de vida saudáveis para manutenção do peso.
3Entre 25 e 29,9Sobrepeso / pré-obesidadeRisco um pouco aumentado para doenças cardiometabólicas. Educar sobre a necessidade de mudanças de hábitos de vida (dieta + exercícios) para alcançar peso adequado. Convidar paciente para o programa perda de peso.
4Entre 30 e 34,9Obesidade grau 1Risco aumentado para doenças cardiometabólicas. Frisar a necessidade de mudança imediata, mesmo se exames e/ou parâmetros físicos normais. Educar sobre a necessidade de mudanças de hábitos de vida (dieta + exercícios) para alcançar peso adequado. Indicar programa para perda de peso.
5Entre 35 e 39,9Obesidade grau 2Risco muito alto para doenças cardiometabólicas. Frisar a necessidade de mudança imediata, mesmo se exames e/ou parâmetros físicos normais. Educar sobre a necessidade de mudanças de hábitos de vida (dieta + exercícios) para alcançar peso adequado. Indicar fortemente programa para perda de peso.
6Acima de 40Obesidade grau 3

 

O cálculo do IMC pode ser aplicado tanto em campanhas para rastreamento de pacientes em sobrepeso e obesidade, como em programas estruturados para busca do peso ideal na farmácia – para acompanhar a evolução do paciente ao longo do tempo.

Uma boa maneira de ter uma interpretação mais objetiva do IMC é relacioná-lo com o peso ideal.

O Peso Ideal 

Uma boa maneira de fornecer uma interpretação objetiva da necessidade de perda de peso do paciente é associar a avaliação do IMC com o peso ideal. 

O peso ideal  trata-se de uma estimativa do peso considerado adequado, de acordo com o gênero e altura do paciente, para prover suas necessidades energéticas basais.

cálculo peso ideal

Partindo do cálculo do peso ideal e do IMC, é possível estimar o excesso de peso do paciente.

cálculo peso ideal

Com essa informação você e o paciente podem estabelecer metas para perda de peso em curto, médio e longo prazo, de forma estruturada e factível.

Uma dica: Não se assuste com os resultados de Peso Ideal e Excesso de Peso. Lembrem-se que uma perda de peso possível gira em torno de 5-10% em relação ao peso total.

Na prática, fazendo com a Clinicarx

Na Clinicarx, no procedimento de IMC, após você inserir as informações de peso e altura, o sistema irá identificar sexo e idade do paciente, e calcular automaticamente o IMC, Peso Ideal e a Diferença do Peso Atual para essa meta. 

A interpretação e orientação automáticas ao paciente estarão no software e na declaração de serviço farmacêutico (DSF) ao paciente.

Ainda criamos um protocolo padronizado chamado avaliação antropométrica, que reúne as principais medidas corporais que você pode fazer.

As ferramentas necessárias são uma balança de peso corporal, fita métrica validada e uma régua de medida da altura.

Inserindo as medidas principais de peso, altura, abdômen e quadril, o sistema fornece as interpretações automaticamente, interpretando com base no sexo e idade do paciente e fornecendo uma orientação. 

Essas informações e resultados são impressos em uma Declaração de Serviço Farmacêutico simples e intuitiva. Ela será assinada e entregue por você ao seu paciente.

Como já foi citado, o combate ao sobrepeso e obesidade é uma causa de todos. 

Os farmacêuticos podem auxiliar detectando e acompanhando pacientes, encaminhando ao nutricionista e ao médico quando necessário. É possível obter um resultado muito melhor com o trabalho multiprofissional e, assim, o paciente se beneficia. 

O combate ao sobrepeso e obesidade em termos de saúde pública passa, ainda, pelo acesso a alimentos melhores e menos calóricos, cidades com mais espaços abertos para atividades físicas, mudanças de cultura e muita educação.

Esta causa é também uma questão de cidadania. Vamos fazer nossa parte. Ajude os seus pacientes a encontrar e alcançar o peso ideal para evitar risco aumentado para doenças crônicas. Comece utilizando essas fórmulas simples.

Como fazer gestão de peso na farmácia

gestão de peso

Os serviços de gestão de peso estão entre os mais procurados. Como a farmácia pode ajudar seus clientes que desejam perder peso ou prevenir o sobrepeso e a obesidade? Descubra neste artigo.

O farmacêutico é um profissional da saúde acessível à população principalmente por se encontrar em uma posição estratégica: a farmácia. Nesse contexto, ele pode atender a algumas necessidades de saúde das pessoas, inclusive auxiliar na gestão de peso.

Isso porque na farmácia é possível encontrar serviço de gestão de peso e é um local pelo qual muitas pessoas procuram produtos isentos de prescrição médica usados para emagrecer. 

No entanto, sem uma orientação adequada, as pessoas podem utilizar mal esses produtos e não atingir o objetivo esperado. O serviço de gestão de peso começa na identificação desses clientes.

A identificação desses clientes é um passo importante para trabalhar a perda de peso de uma maneira saudável e combater o sobrepeso e obesidade começando com o compartilhamento de  informações e métodos confiáveis.

A obesidade é uma doença prevalente na população brasileira. Isso reflete na insatisfação da maioria das pessoas que não está satisfeita com seu corpo ou peso. Mais de 50% da população encontra-se em uma faixa de sobrepeso ou obesidade.

Então qual o papel do farmacêutico nesse cenário?

Podemos resumir a atuação do farmacêutico nesses casos em duas palavras: rastreamento e acompanhamento. Ambas ações são respaldadas pela Resolução 585/2013 do Conselho Federal de Farmácia, que define as atribuições clínicas desses profissionais.

Vale lembrar, ainda, que a Lei 13.021/2014 define como uma obrigação do farmacêutico “proceder ao acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes, internados ou não, em estabelecimentos hospitalares ou ambulatoriais, de natureza pública ou privada”.

Como você, farmacêutico(a), pode ajudar os pacientes na gestão de peso? Você está preparado(a) e têm as ferramentas necessárias para oferecer esse serviço?

O objetivo deste artigo é te ajudar nessa jornada de implementação do serviço de gestão de peso ou emagrecimento na sua farmácia. A primeira coisa a ser considerada é a necessidade de implantar um serviço estruturado e com acompanhamento periódico.

Mil dietas e programas radicais são amplamente divulgados e estão disponíveis na internet para gestão de peso. Provavelmente o seu paciente já deve ter tentado algum, e mais ainda, perdido algum peso com algum deles!

Mas o âmago do problema não está em emagrecer, mas na manutenção do peso perdido, já que em dietas muito restritivas a tendência em longo prazo é a recuperação do peso perdido – algumas pessoas até ganham mais peso do que perderam originalmente.

Rastreamento em saúde

Rastrear significa identificar riscos em pessoas aparentemente saudáveis ou assintomáticas. E o serviço de gestão de peso na farmácia também é sobre isso.

São avaliações de saúde que permitem ao paciente conhecer melhor “seus números” ou resultados de parâmetros clínicos e, assim, poder tomar uma atitude mais proativa em busca de mudança de hábitos ou tratamento adequado.

Essas ações podem ser oferecidas de forma permanente, em consultas, ou durante campanhas de saúde. Exemplos de avaliações de saúde simples, não invasivas, que podem ser feitas pelo farmacêutico:

O que você precisa saber para começar a gestão de peso

Comece oferecendo serviços de avaliação e checkup da saúde, que vão ajudar seu paciente a ganhar consciência de sua condição atual.

Isso é necessário porque se o paciente não conhece bem sua condição de peso atual, ele não terá um ponto de partida para iniciar as mudanças.

Procedimentos do serviço de gestão de peso

IMC

É básico e obrigatório. Ter uma balança e uma régua de altura, para determinar o índice de massa corporal do paciente na farmácia. Mesmo um serviço simples como esse pode encantar o paciente, se você puder entregar o resultado de uma forma diferente.

Medidas corporais

Medidas como circunferências (cintura, quadril, braço, panturrilha), juntamente com altura, idade, sexo e peso, permitem calcular parâmetros antropométricos. O investimento em uma fita antropométrica de uso profissional é baixíssimo e faz toda diferença.

Bioimpedância

A análise por bioimpedância permite estimar o percentual de gordura corporal e massa muscular. É uma avaliação essencial para conhecer não apenas o peso, mas a distribuição corporal. 

É útil para pessoas que estão iniciando programas para perda de peso ou ganho de massa muscular.

Existem diversas balanças de bioimpedância no mercado, sendo algumas profissionais, outras nem tanto. Dependendo do modelo é possível obter também a massa óssea ou percentual de água corporal.

Serviço de gestão de peso

A boa notícia para você oferecer esse serviço é a seguinte: padrões de pensamento e comportamento podem ser modificados. Esse é o ponto central que justifica criar serviços de gestão de peso na farmácia. 

Os medicamentos e produtos para emagrecimento podem ajudar, mas é o trabalho do farmacêutico sobre os aspectos comportamentais que podem fazer a diferença e levar ao sucesso do paciente. 

Este trabalho deve acontecer em conjunto com a equipe multiprofissional, sempre que possível, para obtenção de resultados ainda melhores.

Considerando isso, você deve entender que o foco de um programa para perda de peso não deve ser apenas a perda de peso momentânea, mas sim uma mudança comportamental duradoura.

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas para te ajudar, mas antes de começar a oferecer esse serviço, planeje o programa. 

Perguntas que você deve responder para definir para seu planejamento

Como será minha avaliação inicial?

Sua avaliação inicial pode ser abrangente, incluindo antropometria, distribuição corporal, gasto energético total, hábitos de vida, tentativas anteriores e perfil clínico do paciente. Um sistema informatizado pode ajudar a fazer esta avaliação de forma bastante otimizada. 

Você pode ainda recomendar produtos isentos de prescrição que podem ajudar o paciente, mas deve manter seu foco nas mudanças de comportamento. Elabore um plano de ação e metas factíveis.

Qual a periodicidade e o tempo das consultas?

Quando um paciente com sobrepeso ou obesidade inicia acompanhamento na farmácia, nós recomendamos uma periodicidade semanal durante os primeiros 1 ou 2 meses. 

Durante cada consulta seu objetivo é ajudar o paciente a resolver os problemas daquela semana e mantê-lo motivado. Mantenha o foco e procure fazer esse atendimento em 15 a 20 minutos.

As consultas de gestão de peso são sempre presenciais?

É evidente que a primeira consulta, e aquelas em que a avaliação antropométrica está planejada (você que vai definir a frequência, pode ser a cada 30 dias por exemplo) devem ser presenciais. Mas e as demais? 

Será que outros meios de comunicação podem ser utilizados com a sua população? Vários estudos têm demonstrado que a telessaúde pode ajudar a melhorar a perda de peso. 

Que tal tentar criar um grupo motivacional no WhatsApp com seus pacientes ou manter uma comunicação por e-mail?

Qual a duração do acompanhamento?

Um programa que vise perda de peso deve partir do pressuposto de que os pacientes estarão mais motivados e propensos a perda de peso no início (1 a 2 meses). 

Portanto nesse período o paciente deve ser estimulado a estabelecer metas realistas, de 5-10% de perda em relação ao peso corporal inicial, e a se engajar fortemente na reeducação alimentar para isso.

Após esse período o paciente deve ser orientado a manter hábitos de vida saudáveis para não recuperar peso. Nessa etapa, um programa de exercícios é a pedra angular. Recomendamos uma duração mínima de 3 meses e máxima de 1 ano;

Como será a divulgação do serviço de gestão de peso?

Fique atento à divulgação e treine sua equipe para identificar clientes potenciais. Utilize os meios de comunicação a seu favor. 

Você pode organizar campanhas de saúde sobre obesidade em sua farmácia, por exemplo, em parceria com fornecedores de produtos relacionados. É muito importante, não prometa milagres! Seja claro – ofereça um acompanhamento estruturado e não uma pílula mágica;

Quanto irá custar para o paciente obter o serviço de gestão de peso?

É preciso pensar nas fontes de receita, pois isso é o que tornarão esse serviço sustentável. 

Você pode cobrar de várias formas: um valor fixo mensal pelo programa de acompanhamento, apenas pelos procedimentos realizados e produtos adquiridos, ou pelas consultas presenciais realizadas, já incluídos os procedimentos.

Em qualquer desses modelos, portanto, será preciso decidir sobre valores e métodos de pagamento, além de uma análise de seus custos.

Como será o espaço onde você atenderá os seus pacientes?

Você precisa de um ambiente de trabalho. 

Como em outros serviços clínicos de acompanhamento, um ambiente particular, como uma sala destinada a serviços farmacêuticos é fundamental para estabelecer uma relação terapêutica adequada e conduzir uma avaliação antropométrica completa.

Coloque em prática – Mãos à obra! Você pode sentir um pouco de dificuldade no começo, por isso utilize ferramentas e fontes de pesquisa confiáveis para te ajudar! 

E aí farmacêutico, animado para essa nova jornada clínica? Nós estamos torcendo por você!

Na Clinicarx, você tem todos esses procedimentos padronizados, com protocolos automáticos e resultados gerados a partir do cruzamento de dados, de forma rápida e simplificada. 

Além disso, ao final do atendimento, você entrega a Declaração de Serviço Farmacêutico ao paciente com todas as informações necessárias para auxiliar no tratamento.

Como fazer uma anamnese farmacêutica na farmácia

anamnese farmacêutica

A anamnese farmacêutica é indicada para profissionais da saúde, farmacêuticos, para guiar a o atendimento clínico e entrevista do paciente.

A anamnese farmacêutica pode resultar em diversas intervenções, tais como a prescrição de medicamentos, a solicitação de exames ou até mesmo ao encaminhamento para outros profissionais de saúde.

Ao receber o paciente para a consulta na farmácia, o profissional de saúde deve realizar uma anamnese para:

  • Acolher e identificar as necessidades de saúde do paciente;
  • Proceder a avaliação do paciente, identificando eventuais problemas de saúde;
  • Definir a conduta apropriada, fazer a prescrição farmacêutica (quando necessário) para produtos cuja venda é isenta de receita médica, orientar e encaminhar o paciente, conforme o caso;

O que o farmacêutico deve buscar solucionar na consulta

A consulta farmacêutica é o serviço voltado ao acolhimento das necessidades do paciente, sensíveis ao cuidado farmacêutico.

O objetivo deve ser claro: avaliação e recomendação de tratamentos para  problemas de saúde autolimitados, atuando também na prevenção e promoção do bem-estar.

O resultado da consulta farmacêutica pode ser a prescrição de um tratamento ao paciente, bem como seu encaminhamento para assistência médica, nos casos considerados mais graves.

A prescrição farmacêutica pode conter produtos industrializados, formulações magistrais e medidas não farmacológicas.

Os principais objetivos da consulta farmacêutica são:

Alívio de sinais e sintomas para problemas de saúde autolimitados

Promoção do bem-estar e qualidade de vida, observada por relato do paciente

Prevenção de doenças, por meio de melhoria de parâmetros fisiológicos ou de nutrição

Promoção do autocuidado, incluindo uso de dispositivos para automonitorização da saúde

Reconhecimento de situações que requeiram atendimento médico, por meio de sinais de alerta

Identificação de necessidades de saúde que requeiram outros serviços farmacêuticos

A Anamnese Farmacêutica

O paciente, quando procura uma consulta com um profissional de saúde, traz a expectativa de resolver seus problemas e obter melhora do seu estado de saúde geral.

Por isso, normalmente o motivo da consulta gira em torno de um ou dois problemas centrais, que serão identificados durante a anamnese farmacêutica. 

Como, por exemplo: 

“Minha pressão não controla de jeito algum. Acho que esses remédios não estão funcionando”; “depois que troquei meus medicamentos estou com uma tosse danada”; “o que me incomoda muito é meu intestino preso. Você pode me ajudar a resolver?”.

Registre as queixas sempre com uma frase curta que descreva o problema e sua duração, se possível. Por exemplo: “pressão arterial não controlando”, “Tosse com suspeita de reação adversa” ou “intestino preso há meses”.

Perceba que em todas as situações mencionadas a informação inicial apresentada pelo paciente não é suficiente para uma tomada de decisão. Então o que perguntar depois?

Existem perguntas que são direcionadas a condições clínicas específicas, portanto anamneses específicas, mas de um modo geral elas derivam de uma mesma ideia geral: 

  • Caracterizar melhor os problemas, sinais e sintomas de um paciente, a fim de estabelecer um plano de cuidado factível e individualizado para resolvê-los da melhor forma possível.

Existem diversos métodos descritos na literatura para estruturar o atendimento clínico. 

Apesar das diferenças terminológicas e organização dos dados, todas elas partem de um raciocínio em comum: é necessário coletar dados do paciente, de uma maneira estruturada, a fim de definir os problemas a serem resolvidos e estabelecer um plano de cuidado em conjunto com o paciente.

Após isso, é necessário acompanhar a evolução clínica geral do paciente. Perceba que se trata de um ciclo, que se reinicia a cada consulta.

anamnese farmacêutica

Para fazer a anamnese farmacêutica dos problemas expostos pelo paciente durante a avaliação, sugerimos que você avalie sete postos-chave, derivados do processo semiológico para conduzir o levantamento da história da doença atual. 

Eles vão te ajudar a entender o que está acontecendo com o paciente para que, assim, vocês possam estabelecer um plano de cuidado eficaz.

Fazendo uma anamnese farmacêutica com a Clinicarx

Na Clinicarx você pode registrar sua anamnese para problemas menores de dois modos diferentes. 

É possível escolher uma anamnese recomendada pela Clinicarx, pelo administrador da rede ou você ainda pode criar uma nova anamnese, que poderá ser salva e utilizada futuramente

As respostas para as perguntas exibidas pela seleção da anamnese ficam salvas no histórico do paciente. Essa anamnese pode ou não gerar uma DSF a ser entregue ao paciente, mediante geração intencional do documento.

Ainda é possível utilizar dados coletados na consulta para realizar uma prescrição farmacêutica: digite o motivo da consulta, sinais e sintomas relatados pelo paciente, para que o software indique tratamentos que você pode recomendar, já prontos para serem prescritos. É a tecnologia SmartRx.

Na tela de encerramento do atendimento existe um campo de texto livre para que você, se desejar, registre informações importantes antes de encerrar o atendimento. Essas informações também ficarão salvas no histórico de atendimentos.

7 pontos chave da anamnese farmacêutica: história da doença atual (HDA)

  1. Tempo: início, duração e frequência dos sinais ou sintomas.
  2. Localização: área precisa dos sintomas.
  3. Qualidade ou característica: termos descritivos específicos sobre os sintomas (exemplo: dor “aguda”, “em pontadas”).
  4. Quantidade ou gravidade: grau de impacto dos sintomas sobre o paciente, considerando bem-estar, comprometimento das atividades diárias, nível da dor  (leve, moderado ou grave).
  5. Ambiente: o que o paciente estava fazendo quando os sintomas começaram? Algo mudou na rotina? (exemplo: o paciente começou a sentir dor no peito durante o exercício ou “essa dor de cabeça começou desde que mudei de emprego”)
  6. Fatores que agravam ou que aliviam: fatores que fazem com que o sintoma piore ou que o alivie (por exemplo, dor de cabeça que piora com a luz; tosse que piora ao deitar; dor no peito que melhora com repouso)
  7. Sintomas associados: outros sintomas que ocorrem com os sintomas primários (por exemplo, dor no peito que é acompanhada por dor no braço; diarreia acompanhada por dor abdominal; dor de cabeça acompanhada de náuseas)

Motivo da consulta e anamnese são para qualquer tipo de atendimento?

Na verdade sim, mas muda o modelo de anamnese. O uso mais comum desta ferramenta é quando o paciente informa uma queixa, como um sinal, um sintoma, algum problema de saúde que requer cuidados. 

Mas a técnica também se aplica a atendimento para outros motivos de consulta, por exemplo: “revisão dos medicamentos”, “Aconselhamento sobre tabagismo” ou “Avaliação da carteira de vacinação”.

Nos casos em que o motivo da consulta não é propriamente uma queixa, a anamnese deverá sofrer adaptações, e diferentes ferramentas podem ser usadas para “compor” essa anamnese sob medida para o caso.

Por exemplo, em consultas para revisão dos medicamentos,  sua anamnese será mais focada no perfil farmacoterapêutico do paciente, isto é, nas doenças e medicamentos.  

No aconselhamento sobre tabagismo, sua anamnese irá se apoiar em avaliação da dependência nicotínica, razões para fumar, tentativas de cessação, etc. 

No caso da vacinação, a anamnese irá resgatar vacinas tomadas, doses esquecidas, situação vacinal atual. E assim por diante.

anamnese farmacêutica

Diferente de outras ferramentas, no caso da anamnese de um sinal ou sintoma não existe uma interpretação única, “como uma receita de bolo”.

Ela vai depender do raciocínio, do conhecimento clínico do profissional  e das informações fornecidas pelo paciente. 

A anamnese farmacêutica deve terminar com a definição de uma possível causa, evidência ou tratamento que será fundamental para a definição de um plano de cuidado adequado ao paciente.

Ofereça um atendimento completo com serviços de atenção farmacêutica aos seus clientes.

Com a Clinicarx, ainda é possível imprimir documentos importantes como Declaração de Serviço Farmacêutico (DSF), relatórios de acompanhamento e avaliação para entregar ao paciente. 

 

*Esse artigo foi revisado pelo corpo técnico da Clinicarx.

 

Acompanhamento de gestante na farmácia

acompanhamento de gestante na farmácia

O acompanhamento de gestante na farmácia é um serviço que os farmacêuticos podem oferecer para garantir ainda mais segurança na monitorização da saúde da gestante.

A gestação pode durar até 42 semanas e provoca dezenas de mudanças, decorrentes de causa multifatorial, no corpo de uma mulher. Tudo com um único objetivo: gerar um novo ser humano. 

A dúvida sobre a gravidez geralmente está associada ao atraso menstrual, mas algumas mulheres podem apresentar alguns sintomas como: sensibilidade ou dor nas mamas, náusea, fadiga, sonolência, entre outros.

O diagnóstico clínico da gravidez é feito pelo médico e consiste na associação entre a história clínica da paciente, anamnese e os resultados laboratoriais confirmatórios. Para rastreamento, existe o teste de urina e testes rápidos de β-HCG – ambos podem ser encontrados na farmácia.

O farmacêutico que realiza os testes rápidos de β-HCG oferece uma opção altamente vantajosa para quem busca atendimento de saúde de qualidade e segurança, e ganha potenciais pacientes para o serviço de acompanhamento de gestante na farmácia. 

Por que oferecer acompanhamento de gestante na farmácia?

A grande transformação pela qual a mulher passa durante a gestação implica na necessidade de diferentes acompanhamentos. O trabalho multiprofissional é fundamental para garantir que a gestante receba  cuidados integrais.

Isso porque as mudanças no organismo de uma gestante podem provocar alguns distúrbios que resultam em doenças ou risco de vida para a mãe e para o feto. 

Exemplos: os distúrbios hipertensivos da gestação constituem algumas das principais causas de mortalidade materna e perinatal em todo o mundo e o Diabetes Mellitus (DM) pode acometer até 25% das gestantes

Além disso, existe uma alta taxa de mulheres grávidas que relatam enjoos, azia e constipação durante o período gestacional. Esses desconfortos podem ser fontes para automedicação.

Neste contexto, o farmacêutico pode ser um profissional chave para alertar quanto à segurança do uso dos medicamentos e fazer orientações adequadas para as gestantes.

Esses fatos destacam a importância do acompanhamento de gestante na farmácia. O serviço colabora com o trabalho médico, mas não substitui o pré-natal e tem por objetivo acompanhar a gestação do início ao fim, considerando condições clínicas presentes na paciente antes da gestação e condições que possam surgir durante a gestação.

Acompanhamento dos valores glicêmicos

Devido à alta taxa de DM na gravidez e às complicações que a descompensação da glicemia pode causar, o acompanhamento de gestante na farmácia junto à avaliação glicêmica é indispensável e favorece a diminuição do risco de malformação fetal.

De modo geral, a DMG é detectada entre a 24ª e a 28ª semanas de gestação, a partir da realização do teste oral de tolerância à glicose (TOTG) quando o resultado revela resultados anormais.

Esse teste é recomendado para toda mulher sem diagnóstico prévio de DM  ou de DMG no período gestacional citado anteriormente.

O diagnóstico de diabetes gestacional estabelecido se dá quando no mínimo um dos valores a seguir encontrar-se alterado:

  • Glicemia em jejum ≥ 92 mg/dL;
  • Glicemia 1 hora após sobrecarga ≥ 180 mg/dL;
  • Glicemia 2 horas após sobrecarga ≥ 153 mg/dL.

As gestantes que não conseguem controlar os valores glicêmicos adequadamente com dieta e atividade física têm indicação para uso de insulinoterapia.

Esse é um ponto de atenção para o acompanhamento de gestante na farmácia: educação sobre o uso de insulina e o rodízio dos locais de aplicação. 

Fatores de risco para DMG

• Idade materna avançada;
• Sobrepeso, obesidade ou ganho excessivo de peso na gravidez atual;
• Deposição central excessiva de gordura corporal;
• História familiar de diabetes em parentes de primeiro grau;
• Crescimento fetal excessivo, polidrâmnio, hipertensão ou pré-eclâmpsia na gravidez atual;
• Antecedentes obstétricos de abortamentos de repetição, malformações, morte fetal ou neonatal, macrossomia ou DMG;
• Síndrome de ovários policísticos;
• Baixa estatura (inferior a 1,5 m).

As mulheres com DM pré-gestacional, tanto tipo 1 como tipo 2, devem ser alertadas sobre a importância de um controle glicêmico estreito antes da concepção. 

Recomenda-se, ainda, HbA1c < 6,5% para menor risco de anomalias congênitas e a HbA1c deve ser medida pelo menos uma vez a cada trimestre. 

A avaliação e reavaliação de pacientes gestantes é relevante ao passo em que durante a gestação as inúmeras mudanças podem levar ao desenvolvimento de comorbidades e ao agravo de condições pré-existentes, o que pode requerer novas e diferentes intervenções em saúde.

Para mulheres que desenvolveram DM na gestação, a monitorização da glicemia capilar é recomendada quatro vezes ao dia: em jejum e após as três principais refeições (desjejum, almoço e jantar). 

Segundo as Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes, as metas dos níveis glicêmicos para glicemia capilar na gestante são:

  •  Jejum < 95 mg/dL.
  • 1 hora pós-prandial < 140 mg/dL.
  •  2 horas pós-prandial < 120 mg/dL.

Testes rápidos e checkups de glicemia capilar são ferramentas essenciais para o acompanhamento de gestante na farmácia.

Acompanhamento dos valores da pressão arterial 

O acompanhamento dos valores da pressão arterial é fundamental porque estima-se que a pré-eclâmpsia (PE) complica de 2 a 8% das gestações globalmente.

Define-se hipertensão gestacional a pressão arterial sistólica (PAS) ≥140 mmHg e/ou pressão arterial diastólica (PAD) ≥90 mmHg em mulher com PA previamente normal, após 20 semanas de gestação, medida em duas ocasiões com pelo menos 4 horas de intervalo.

De acordo com as Diretrizes Brasileiras de Hipertensão, a meta do controle da hipertensão arterial na gestação deve ser a PAS > 120 e < 160 mmHg, e  PAD > 80 e < 110 mmHg, já que tanto a hipertensão quanto a hipotensão induzida podem prejudicar a perfusão placentária e, consequentemente, o crescimento fetal.

O serviço de medida da pressão arterial é um serviço farmacêutico básico, mas com grande poder de impactar a saúde das gestantes.  

Medicamentos na gestação

A automedicação na gestação deve ser fortemente desencorajada uma vez que o risco-benefício deve sempre ser avaliado por um profissional habilitado. 

É necessário analisar a segurança para a mulher e para o feto porque existe alta probabilidade de danos como, por exemplo, malformação congênita  e aborto.

Algumas medidas não-farmacológicas que podem ser úteis para o manejo de alguns sintomas:

  1. Enjoo: alimentar-se em pequenas quantidades, a cada 2 ou 3 horas e dar preferência para alimentos frios e secos, especialmente pela manhã.
  2. Azia: fazer refeições pequenas e com baixo teor de gordura; evitar cafeína e bebidas gasosas.
  3. Constipação intestinal: ingerir de 2 a 3 litros de água diariamente e alimentos ricos em fibras.

Para mulheres que necessitam fazer o uso de medicamentos, a análise da segurança é imprescindível. 

A Food and Drug Administration (FDA) classifica os medicamentos em 5 categorias de acordo com o risco do uso na gravidez. As categorias de risco são A, B, C, D e X.

Classificação do uso de medicamentos durante a gestação e as características da segurança do medicamento

  • A: em estudos controlados em mulheres grávidas, o fármaco não demonstrou risco para o feto no primeiro trimestre de gravidez. Não há evidências de risco nos trimestres posteriores, sendo remota a possibilidade de dano fetal;
  • B: os estudos em animais não demonstraram risco fetal, mas também não há estudos controlados em mulheres grávidas; ou os estudos em animais revelaram riscos, mas não foram confirmados em estudos controlados em mulheres grávidas;
  • C: não foram realizados estudos em animais e nem em mulheres grávidas; ou os estudos em animais revelaram risco, mas não existem estudos disponíveis realizados em mulheres grávidas.
  • D: o fármaco demonstrou evidências positivas de risco fetal humano. No entanto, os benefícios potenciais para a mulher podem, eventualmente, justificar o risco, como, por exemplo, em casos de doenças graves ou que ameaçam a vida, e para as quais não existam outras drogas mais seguras;
  • X: em estudos em animais e mulheres grávidas, o fármaco provocou anomalias fetais, havendo clara evidência de que o risco para o feto é maior do que qualquer benefício possível para a paciente.

Atenção: a dipirona, medicamento muito conhecido e amplamente utilizado, encontra-se na categoria D, devendo ser evitada em gestantes. Isso demonstra a necessidade do cuidado quando o tema é medicamentos e gestantes.

Serviço de acompanhamento de gestantes na farmácia com a Clinicarx

A Clinicarx tem o serviço de acompanhamento de gestantes padronizado na plataforma para ajudar o farmacêutico a prestar assistência com qualidade e segurança.

Com a funcionalidade, além da medida da pressão arterial e glicemia (teste rápido de glicemia, glicemia capilar e teste rápido de HbA1c), é possível realizar e registrar o cálculo da idade gestacional, Índice de Massa Corporal (IMC), visualizar o calendário vacinal de gestantes e, assim, analisar o estado vacinal da mulher e necessidade da aplicação de vacinas de rotina.

Primeira avaliação

A primeira avaliação tem como objetivo identificar a etapa da gestação e orientar sobre os exames, vacinas, acompanhamentos e produtos recomendados à gestante.

Para isso, a plataforma tem maneiras de calcular o período de gestação. Caso a mulher tenha feito ultrassonografia, o farmacêutico pode registrar a idade do embrião e a plataforma informa a provável data da concepção e a data provável para o parto.

O objetivo da avaliação também é identificar condições clínicas presentes antes da gestação para que o farmacêutico seja capaz de conhecer o quadro clínico da gestante e traçar um plano de cuidado e acompanhamento. 

Consultas de retorno

As avaliações de retorno visam acompanhar a evolução da gravidez, incluindo parâmetros como peso, pressão arterial, frequência cardíaca e glicemia.

Além disso, as consultas de retorno destinam-se a auxiliar na resolução de sintomas de baixa gravidade que possam ocorrer até a data do parto.

Com a Clinicarx, todos os registros, avaliações e informações são impressas na Declaração de Serviço Farmacêutico (DSF) e podem apoiar o acompanhamento médico de pré-natal com relatórios de saúde.

Conheça os nossos planos e ofereça serviços com a qualidade que os seus clientes merecem.



Como implementar e vender serviços de atenção farmacêutica com baixo investimento

serviços de atenção farmacêutica

5 passos básicos e práticos para você implementar e vender serviços de atenção farmacêutica com baixo investimento.

Os serviços de atenção farmacêutica tornaram-se uma tendência para as farmácias devido os benefícios de sua implementação

Entre vários motivos que levam a escolha de uma farmácia em detrimento de outra, um dos principais é a oferta dos serviços, que podem ser desde aqueles mais básicos como aplicação de injetáveis ou teste de glicemia, até serviços farmacêuticos mais elaborados.

Existem diversos tipos de serviços que podem ajudar a farmácia. 

Para facilitar tanto a implantação de serviços farmacêuticos nos pontos de saúde, quanto a acessibilidade a esses serviços pela população, o plano Free Clinicarx oferece os principais serviços para farmácias de forma gratuita e por tempo ilimitado.

Você pode implementar serviços de atenção farmacêutica e vendê-los com baixo investimento na sua farmácia através do nosso plano Free. Quer saber como? 

Confira nosso checklist com 5 passos básicos!

1. Conheça os serviços de atenção farmacêutica que você pode oferecer

No plano Free da Clinicarx, os serviços padronizados disponíveis para atendimento e registro são:

  • Triagem de COVID-19;
  • Principais Testes Rápidos (COVID-19, Perfil lipídico, Glicemia, Hemoglobina glicada e Dengue);
  • Prescrição farmacêutica;
  • Pressão arterial;
  • Glicemia capilar;
  • Aplicação de injetáveis;
  • Perfuração de lóbulo auricular.

Além disso, a Clinicarx disponibiliza a emissão do laudo laboratorial de testes rápidos e a Declaração de Serviços Farmacêuticos (DSF), documentos que devem obrigatoriamente ser entregues ao paciente após prestação dos serviços de saúde.

2. Prepare sua farmácia e sua equipe

Organize a sua farmácia, prepare e treine a sua equipe para atender os clientes e oferecer todos os serviços disponíveis. 

A Clinicarx disponibiliza treinamentos gratuitos para clientes, de forma rápida e prática, para que você e outros profissionais da sua farmácia estejam preparados.

Esse trabalho em equipe é fundamental para que as pessoas que visitam a sua farmácia saibam quais são os serviços que agregam valor e a diferenciam dos concorrentes. 

Uma farmácia referência, seja no seu bairro ou na cidade, começa pela oferta de serviços de atenção farmacêutica que interessam aos clientes com uma variedade de procedimentos. 

Além da equipe preparada e treinada para oferecer os seus serviços, o marketing digital  pode ser mais uma ferramenta para ajudar na divulgação dos serviços da sua farmácia de baixo investimento, uma vez que não envolve custos com impressão e produção.

Ações e promoções nas redes sociais podem atrair mais clientes de forma prática, além de criar um relacionamento mais próximo com clientes.

4. Ofereça os seus serviços de forma integrada

É fundamental oferecer os serviços de saúde da farmácia no balcão para todos os clientes que têm o perfil para ser atendido e beneficiado pelos seus serviços.

Oferecer serviços de forma integrada diminui os custos para captação de clientes, e mais do que isso aumenta o ticket médio da farmácia.

Você pode fazer a integração de serviços ao perceber, durante a anamnese do seu paciente, que outros procedimentos são necessários para obter mais informações, estruturar um plano de cuidado e orientá-lo com mais assertividade.

Vamos ver um exemplo prático?

Se um paciente chega na farmácia com sintomas de gripe ou suspeita de COVID-19, você pode oferecer os seus serviços começando pela  triagem COVID-19, padronizada na plataforma com questionário baseado em recomendações do Ministério da Saúde. 

Ao finalizar o questionário, o algoritmo informará o resultado, se o seu cliente é uma caso suspeito, provável, não suspeito, de acordo com as respostas e você terá em mãos mais dados para ajudar no cuidado ao paciente.

Na triagem, você pode acrescentar os dados da medida de pressão arterial do paciente, saturação de oxigênio e outras informações que ajudarão a entender o quadro clínico do paciente e agregar valor ao atendimento prestado.

Além da triagem, você pode oferecer o teste para COVID-19, que auxilia no processo de rastreamento e acrescenta mais informações sobre a condição do paciente. 

Adicionalmente, como os testes têm preço mais alto, a oferta de testes rápidos garantem um maior ticket-médio para a sua farmácia. 

Ao final desse atendimento, você também pode orientar o seu paciente com a prescrição farmacêutica, que é um grande diferencial de atenção e cuidado. 

É possível prescrever medidas de cuidado e, caso o paciente apresente sintomas, uma prescrição medicamentosa pode ser realizada para aliviar o desconforto. 

*Em casos de positivação para COVID-19, o paciente deverá ser encaminhado corretamente conforme orientações do Ministério da Saúde e as medidas de isolamento social deverão ser fortemente recomendadas.

5. Cobre pelos seus serviços de atenção farmacêutica

Você precisa rentabilizar e dar o devido valor ao atendimento que você oferece. Ao cobrar corretamente pelos seus serviços de atenção farmacêutica, você garante a sustentabilidade da sua farmácia. 

Um modelo viável que vai além da atuação farmacêutica no balcão, e é pensado para os serviços clínicos, transforma a farmácia e o trabalho do profissional da saúde, ajuda a diminuir os custos e investimento feito para oferecer os serviços.

*Esse artigo foi revisado pelo corpo técnico da Clinicarx.

LGPD para farmácias: tudo o que farmacêuticos e proprietários precisam saber

lgpd

Há anos as farmácias participam e oferecem programas de benefícios e descontos aos consumidores. 

Não havia obrigações legais como a Lei de Proteção de Dados (LGPD), aprovada em 2018, sobre a solicitação de CPF na Nota Fiscal e dos programas de benefícios das grandes redes de mercado.

Com o tempo, solicitar o CPF na farmácia se tornou algo rotineiro, não havia a preocupação em solicitar do consumidor (titular do dado) a autorização para a obtenção do dado e como o dado será utilizado.

Porém, agora isso mudou.

A LGPD entrou de fato em vigor em agosto de 2020 e transformou a forma como são recebidos e tratados os dados de clientes de vários setores, inclusive da saúde. 

Seu elemento principal é o consentimento. A aceitação por parte da pessoa física em oferecer seus dados é o primeiro ponto para que esses dados sejam colhidos e tratados pela empresa ou organização. 

Ainda, a LGPD estabelece que a lei vale para qualquer cidadão em território nacional, seja ele brasileiro ou não, sendo a sede da empresa no Brasil ou não.

A área da saúde, certamente, é o setor que mais trata os dados pessoais considerados sensíveis pela LGPD e, inevitavelmente, traz grandes desafios aos profissionais e organizações de saúde. 

O que é a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)?

A LGPD é a lei que estabelece regras sobre como os dados pessoais (de pessoa física) devem ser tratados nos meios físicos e digitais. 

A Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, Lei nº 13.709/2018 segue a tendência europeia General Data Protection Regulation e surge com o propósito de garantir a privacidade de dados pessoais e regulamentar o controle sobre eles.

O objetivo da Lei é proteger os direitos de liberdade e privacidade dos titulares de dados pessoais, isto é: pessoas que podem ser os pacientes e usuários dos serviços de saúde. 

A Lei afeta a rotina de administradores e gestores de saúde, uma vez que cria a figura do operador e controlador de dados, que fica responsável pela guarda e sigilo de informação dos pacientes e  medidas que garantam essa privacidade.

O que muda com a Lei Geral de Proteção de Dados?


A LGPD determina que qualquer atividade de tratamento de dados pessoais deve respeitar a privacidade do titular envolvido. Dessa forma, a atividade deve trazer informações claras, precisas e de fácil acesso sobre:

    • Como os dados pessoais serão tratados;
    • Para qual finalidade esses dados serão usados;
    • Quais são as medidas aplicadas para a segurança dessas informações;
    • Quais são os direitos que o titular envolvido tem sobre os seus dados pessoais.

Definições e nomenclaturas importantes

  • Titular: pessoa natural a quem se referem os dados pessoais que são objeto de tratamento;
  • Controlador: pessoa natural ou jurídica, de direito público ou privado, a quem competem as decisões referentes ao tratamento de dados pessoais;
  • Operador: pessoa natural ou jurídica, de direito público ou privado, que realiza o tratamento de dados pessoais em nome do controlador;
  • Tratamento: toda operação realizada com dados pessoais, como as que se referem a coleta, produção, recepção, classificação, utilização, acesso, reprodução, transmissão, distribuição, processamento, arquivamento, armazenamento, eliminação, avaliação ou controle da informação, modificação, comunicação, transferência, difusão ou extração;
  • Anonimização: utilização de meios técnicos razoáveis e disponíveis no momento do tratamento, por meio dos quais um dado perde a possibilidade de associação, direta ou indireta, a um indivíduo.

O controlador é a pessoa física ou jurídica que decide a forma como os dados pessoais serão tratados.

O operador é a pessoa física ou jurídica que trata os dados dos titulares a partir das ordens recebidas pelo controlador.

O tratamento dos dados

É tudo que o controlador e/ou o operador fazem com o dado pessoal do titular desde a sua coleta até a sua eliminação.

O armazenamento de dados, por exemplo, durante um atendimento farmacêutico em que o paciente fornece dados pessoais e dados sensíveis, motivo da consulta, necessidades, é um tratamento de dados pelo controlador. 

Cuidados com formulários e recebimento de dados de pacientes em farmácias ou clínicas

Quando o cliente recebe um formulário impresso para preencher, é importante certificar-se de:

    • Destinar de forma segura esse documento;
    • Selecionar quem terá acesso e especificar somente pessoas necessárias;
    • Destruir o documento impresso, caso ele seja digitalizado posteriormente.

Para clínicas e consultórios com base de dados de pacientes em computadores:

    • Deve-se ter senha em cada terminal/unidade para acessar o banco de dados;
    • Programa antivírus atualizado;
    • Rede segura e protegida contra invasão.

A Clinicarx, prezando pela segurança de seus pacientes, clientes e fornecedores, adotou procedimentos internos para atender a todas as exigências da LGPD. 

Desde a segurança de dados na nuvem, controles de acesso, criptografia, até processos de atendimento ao usuário e ao paciente. 

Todos os dados, prontuários dos pacientes, informações clínicas e documentos ficam armazenados em servidor na nuvem, localizado nos EUA, com sistemas de backup e segurança de dados, dando a tranquilidade de que nada pode ser perdido. 

Além disso, as informações continuam sendo protegidas pelo período exigido legalmente, mesmo em caso de encerramento do contrato entre a farmácia e a Clinicarx. 

Criamos uma série de políticas e processos internos que buscam atender ao máximo a LGPD e as legislações sanitárias pertinentes à área da saúde, dando todo suporte técnico nessa questão aos nossos clientes.

Se você é cliente da Clinicarx ou foi atendido(a) em uma clínica ou farmácia associada à Clinicarx, temos um canal de atendimento específico para questões da LGPD.

Saiba como a Clinicarx cuida tratamento de dados pessoais e sensíveis aqui.   

Futuro da farmácia independente no Brasil: tendências e transformações no PDV

farmácia independente
Tendências para o contexto da saúde no Brasil apontam para o protagonismo da farmácia independente com serviços de atenção farmacêutica no mercado. 

Apesar  das diversas mudanças que permearam os últimos meses, o varejo farmacêutico, como farmácia independente e associadas, foi um dos poucos segmentos que apresentaram um crescimento considerável no ano de 2020. 

Esse crescimento somado aos possíveis cenários e tendências que vêm se desenhando colocaram a farmácia independente em um lugar de destaque.

Farmácias independentes ou de redes associativistas cresceram cerca de 26%, segundo a FEBRAFAR. 

Uma análise do IQVIA demonstrou faturamento de R$ 139,37 bilhões no ano de 2020 nas farmácias no mundo. A demanda de medicamentos, em especial a procura por suplementos vitamínicos, foi o principal motivo de disparo nas vendas. 

O cenário no Brasil: a farmácia independente e o varejo

O Brasil ocupa uma posição importante no ramo farmacêutico: no ranking dos países com maior percentual de faturamento, o  país ocupa o 7º lugar, segundo estudo da Interfarma.

Esses dados podem ser justificados por fatores como a taxa populacional, já que o Brasil é o 6º país com maior população do mundo, e o crescente índice do envelhecimento populacional, haja vista que esse grupo tende a consumir mais medicamentos.

Com o cenário da pandemia, enquanto diversos setores entraram em crise, o mercado farmacêutico cresceu e disparou no faturamento, principalmente com os testes rápidos para rastreamento da Covid-19.

Medicamentos mais vendidos nas farmácias

Ainda segundo o estudo da IQVIA, Xarelto e Dorflex lideram o ranking de medicamentos que mais  vendidos nas farmácias. 

Glifage XR também está entre os medicamentos mais prescritos e vendidos  para tratamento de Diabetes Mellitus. 

Confira os 10 mais vendidos nas farmácias:

medicamentos 1

Acompanhamento e venda consultiva nas farmácias independentes

As condições crônicas no paciente idoso gera uma rotina de acompanhamento por profissionais de diferentes especialidades. 

Nessa situação, os pacientes podem receber várias prescrições e, devido à falta de comunicação entre os profissionais, pode ocorrer a sobreposição de tratamentos e eventuais interações medicamentosas. 

Nesse caso, o farmacêutico pode conciliar os medicamentos prescritos pelos diferentes profissionais, evitando que os tratamentos sejam sobrepostos e que venham causar consequentes danos à saúde do paciente.

Ou seja, o farmacêutico tem grande importância no cuidado ao tratamento medicamentoso dos pacientes.

A dispensação farmacêutica de medicamentos isentos de prescrição também demonstra forte tendência da necessidade de uma prescrição eletrônica na farmácia

A prescrição por escrito ocasiona  um dos  mais importantes erros de dispensação na farmácia e de administração de medicamentos por parte dos pacientes. Isso gera danos, mortes e elevados custos para a saúde. 

A prescrição farmacêutica para medicamentos isentos de prescrição médica vem se consolidando no Brasil. 

O papel do farmacêutico na indicação e recomendação de tratamentos é cultural e histórico, mas a novidade é que isso hoje está sendo feito de uma forma muito mais profissional e confiável: dentro do consultório e por escrito. 

Adquirir medicamentos desse modo se mostra mais seguro para o paciente.

Promover a consulta farmacêutica para problemas de saúde autolimitados gera uma venda qualificada e consultiva dentro da farmácia. Isso já vem sendo propagado como importante estratégia no setor e é uma forte tendência para os próximos anos. 

Transformações no PDV

Segundo especialistas do setor, a tendência central no varejo é a transformação do Ponto de Venda (PDV). 

Nessa mudança, definida como PDX (ponto de experiências), o varejo incorpora funções e atividades para além da venda de produtos

Nesse sentido, um cliente mais informado e com muito mais opções terá menos interesse em entrar em uma loja tradicional de produtos porque ele buscará algo a mais.

Serviços como medida da pressão arterial, teste de glicemia, aplicação de injetáveis e colocação de brincos formam a base dos serviços ofertados por muitas farmácias independentes. 

Observa-se uma tendência em ampliar o leque desses serviços básicos, adicionando novos checkups e avaliações de saúde, como medidas corporais, bioimpedância, avaliações de saúde, avaliação e acompanhamento das gestantes, entre outros. 

O objetivo é diversificar a oferta, atendendo as necessidades dos diferentes públicos e fornecer procedimentos para acompanhamento de diferentes doenças.

Confira nossa análise de mercado completa no eBook Desafios, Tendências e Oportunidades para pequenas redes de Farmácias. 

Serviços de atenção farmacêutica nas pequenas farmácias

Imagine que na esquina da rua onde você mora há uma farmácia. Nessa farmácia, hoje você apenas compra medicamentos e alguns produtos de conveniência. 

Em breve você poderá também fazer exames para colesterol e diabetes, se engajar em programas de saúde para parar de fumar ou perder peso, levar sua família para tomar vacinas e se aconselhar com o farmacêutico sempre que surgir um problema de saúde. 

Os serviços farmacêuticos são a porta de entrada desse movimento que está mudando a história da farmácia no Brasil, assim como em outros países. A história da evolução das farmácias levará esse estabelecimento de saúde a ser parte ativa no sistema de saúde. 

A tendência é que as empresas incorporem essa nova filosofia à sua missão e reorganizem os seus negócios, de modo que o farmacêutico e seus serviços passem a ser parte do centro de receitas das farmácias e não mais centro de custos.

A farmácia clínica irá fortalecer a importância da farmácia independente, de bairro, na saúde da família brasileira. 

Sua farmácia independente pode começar agora a oferecer os principais serviços de atenção farmacêutica com nenhum custo! Conheça nosso plano Free agora.

Seja o farmacêutico de referência dos seus clientes

farmacêutico

No último domingo, dia 16 de maio,  o Fantástico exibiu uma reportagem sobre “empurroterapia” nas farmácias do Brasil.

 A “empurroterapia”, infelizmente, é uma prática antiga de muitas farmácias, em que atendentes sem preparo técnico recomendam produtos aos clientes, baseados apenas em incentivos comerciais, como comissões por vendas. 

Sabemos que essa prática é perigosa, promove o uso inadequado de medicamentos e pode trazer danos aos pacientes.

Após essa reportagem, a ABRAFARMA divulgou uma nota esclarecendo algumas informações e o Conselho Federal de Farmácia propôs um pacto contra a empurroterapia, frisando que o os farmacêuticos têm responsabilidade ética, legal e sanitária de coibir qualquer atividade em desacordo com as boas práticas que regem o uso seguro e racional de medicamento.

Isso me lembrou algumas situações que passei e clientes que conheci enquanto trabalhava em uma grande rede de farmácias. Uma, em especial, aconteceu em 2018 e vou relatar neste artigo.

Certa vez, um cliente que sempre atendia no balcão da farmácia (que ainda não tinha consultório farmacêutico) levou os pais até a farmácia para comprar alguns medicamentos e me apresentou dizendo “essa é a minha farmacêutica”.

Sorri e me apresentei.

No mesmo momento, eu lembrei que esse mesmo cliente tinha levado também a filha dele para eu atender.

Quando ainda estava na graduação, talvez  até um pouco depois da metade do curso, não me imaginava trabalhando em farmácia porque durante os estágios obrigatórios tive contato com pouquíssimos preceptores que realmente gostavam do que faziam e inspiravam os estagiários.

Por isso, eu pensava que os farmacêuticos estavam na farmácia, assim como outros funcionários, para vender caixinhas de medicamentos que as pessoas compram não conhecendo os perigos e adquirem mesmo assim para aliviar algo ou porque a vizinha indicou.

Depois de terminar a graduação e começar a trabalhar como farmacêutica em uma farmácia, comecei a notar que existem pessoas que entram na farmácia sem entender os efeitos dos medicamentos e por isso fazem escolhas erradas.

Mas com o tempo também percebi muitas pessoas que faziam essas escolhas porque não conhecem alguém para orientar sobre uso de medicamentos e quando me dispunha a ajudar sempre tinha alguém para ouvir e agradecer.

Isso me fez pensar que podemos ser os profissionais que aspiramos ser em qualquer local de trabalho e a farmácia é um ótimo lugar para o farmacêutico ser o profissional de saúde de referência dos clientes e se apropriar disso porque a farmácia muitas vezes é o primeiro contato que as pessoas têm com um profissional de saúde e é o estabelecimento de saúde mais acessível para muitas pessoas. 

Os clientes não têm obrigação alguma de saber sobre medicamentos, mas nós, farmacêuticos, temos obrigação de saber e orientar todos sempre que possível.

Dessa maneira, segui  conversando e orientando os clientes que estavam comprando medicamentos. Foi assim que eu descobri que eu era a farmacêutica de confiança de alguém que tinha levado pessoas importantes para eu atender.

Eu garanto: ter o trabalho reconhecido não tem preço.


Hoje, três anos depois, percebemos que a farmácia está caminhando para ser reconhecida como o estabelecimento de saúde que é.

Existem consultórios dentro das farmácias e diversos serviços farmacêuticos que destacam o farmacêutico cada vez mais como o profissional de saúde da farmácia.

Ainda, cabe destacar que legalmente, segundo a RDC 44/2009, os farmacêuticos têm obrigação de prover as condições necessárias para capacitação e treinamento de todos os profissionais envolvidos nas atividades da farmácia.

Espero que sigamos trabalhando para  tornar a farmácia cada vez mais reconhecida e respeitada como estabelecimento de saúde que é e que os farmacêuticos, colegas de profissão se apropriem da função e sigam comprometidos com a saúde da população.

Conte com a Clinicarx para ajudar na missão de levar e possibilitar serviços de saúde acessíveis a todos.

A Clinicarx

Nossa missão é promover serviços de saúde acessíveis, convenientes, contínuos e de qualidade a todos, de forma integrada ao sistema de saúde, tendo o paciente no centro de todo processo.

Desenvolvemos uma plataforma para esses locais e profissionais, que padroniza os processos de como implantar e gerir serviços de saúde inovadores, atuando como um hub de conexões entre fornecedores, indústria, estabelecimentos, profissionais da saúde e pacientes.

“Nós organizamos tudo para que você ofereça serviços de saúde em sua farmácia.”

Prescrição farmacêutica: como fazer com a Clinicarx

prescrição farmacêutica

A prescrição farmacêutica é uma das maiores revoluções da profissão dos últimos anos. Ela vem se convertendo em realidade dia após dia, com milhares de profissionais aderindo a esta prática. Na sua farmácia, você faz prescrição farmacêutica?

Com a Resolução CFF 586/2013, a prescrição farmacêutica foi regulamentada e faz parte dos serviços clínicos disponíveis em farmácias e outros estabelecimentos de saúde. 

Este marco na legislação farmacêutica também trouxe uma nova necessidade: o preparo e a qualificação do farmacêutico que está à frente do atendimento. 

Algumas condições clínicas podem ser tratadas com medicamentos prescritos pelo próprio farmacêutico, que também acompanha a farmacoterapia. É uma situação que pede por capacitações além da graduação desses profissionais. 

Quando uma pessoa se sente mal, com algum sintoma, o que ela faz? Você talvez imagine que ela vá ao médico ou tome algum medicamento por conta própria, mas a realidade é outra. 

Um estudo publicado no Brasil revelou que a maioria (60%) das pessoas não faz algo em relação aos sintomas, apenas espera passar. Cerca de 32% se automedicam e apenas 8% procuram auxílio médico. Portanto, a automedicação é uma abordagem mais utilizada que a prescrição médica como conduta terapêutica pelos pacientes.

Segundo uma revisão sistemática publicada em 2015, 35% dos adultos brasileiros utilizaram algum medicamento por conta própria nos últimos 15 dias. 

É uma das taxas de automedicação mais altas do mundo. Os analgésicos, relaxantes musculares e anti-inflamatórios são os medicamentos mais usados.

Neste artigo, vamos abordar as temáticas referentes ao autocuidado e como o farmacêutico pode fazer uma prescrição farmacêutica com segurança através da Clinicarx.

Automedicação e o Autocuidado

Podemos dizer que a automedicação é ruim, mas o autocuidado é bom. Autocuidado significa tomar atitudes para melhor cuidar de si mesmo, seguindo algumas regras que maximizem os benefícios e reduzam os riscos. 

A recente reportagem sobre casos de “empurroterapia”, em que balconistas de farmácias são pagos para recomendar medicamentos sem necessidade aos clientes da farmácia alerta para a importância do farmacêutico e da orientação por um profissional da saúde. 

A obrigatoriedade do farmacêutico presente em farmácias e drogarias foi reiterada pela Lei 13.021/14 e determina, ainda, o farmacêutico como único responsável técnico do estabelecimento.

Dessa forma, o paciente pode receber orientações em saúde e prescrições de acordo com a real necessidade e de maneira segura.

Tomar medicamentos isentos de prescrição médica (MIPs) para cuidar de sinais e sintomas menores, seguindo algumas precauções básicas, é autocuidado. Aqui começa o papel do farmacêutico. 

Segundo dados da Abrafarma, cada farmacêutico atende, em média, 10 pessoas por dia que solicitam indicação de medicamentos. 

Portanto, são 18 milhões de atendimentos desse tipo por mês, apenas nas maiores redes de farmácias.

Segundo estudo do IBOPE/Interfarma publicado em 2011, 69% das pessoas procuram pelo farmacêutico quando decidem comprar medicamentos sem receita médica.

Troque sua indicação informal por uma prescrição farmacêutica

A maioria das indicações de medicamentos feitas por farmacêuticos nas farmácias não gera uma prescrição por escrito.

Isso é ruim, pois passa a ideia de que aquele atendimento é informal e não é um atendimento de saúde, mas apenas uma venda simples. Isso desvaloriza o profissional e pode prejudicar o paciente.

Uma prescrição por escrito, clara e legível, aumenta a segurança do paciente e, portanto, as chances de sucesso do tratamento. 

É direito do consumidor receber a informação completa sobre o produto que compra, especialmente quando esse produto foi recomendado por um profissional da saúde no próprio lugar dessa compra, a farmácia.

Além disso, é uma questão de marketing do serviço. Entregar uma prescrição escrita significa tangibilizar o serviço e melhorar a experiência do paciente. Isso transmite credibilidade e gera mais confiança e fidelização.

Entregue uma prescrição farmacêutica segura e de qualidade

Nós temos uma preocupação especial com a forma como o farmacêutico irá elaborar sua prescrição. Por isso, a Clinicarx possui prescrições automáticas cadastradas na plataforma para a autonomia do farmacêutico e segurança ao prescrever.

    • Inserimos na plataforma apenas produtos isentos de receita médica, a fim de que o profissional emita prescrições apenas para produtos isentos de receita médica, a fim de evitar erros de legalidade;
    • São diversas categorias de produtos que um farmacêutico pode prescrever: MIPs, dermocosméticos, nutricosméticos, suplementos alimentares, fórmulas magistrais, entre diversas outras;
    • Fornecemos uma ampla biblioteca com mais de 500 prescrições farmacêuticas prontas, para uma série de sinais e sintomas comuns, sensíveis ao cuidado farmacêutico;
    • A prescrição gerada tem um design único, personalizado e intuitivo, que vai reforçar a autoridade e profissionalismo daquele atendimento. Com isso, aumentam as chances de sucesso do tratamento.

Passo a passo para prescrever com a Clinicarx

Durante um atendimento, com a aba “Procedimentos” aberta, clique no botão “Prescrição” Farmacêutica”:

Buscar prescrições prontas

    1. Caso já tenha criado anteriormente uma prescrição para determinados sinais/sintomas ou queira usar uma das Sugestões Clinicarx ou as Sugestões da  Rede, pesquise pelos Sinais e Sintomas que este paciente apresenta.
    2. Ao pesquisar por sinais e sintomas, nosso sistema retornará com os tratamentos sugeridos, já incluindo a posologia e orientações ao paciente. Basta selecionar uma ou mais prescrições de medicamentos e clicar em “Adicionar” para adicioná-la ao atendimento.
    3. A prescrição adicionada aparecerá no lado direito no box “Sua prescrição”, permitindo que remova se necessário, clicando no ícone de 3 barras.

Para editar as prescrições, você deve clicar na aba “Condições e Tratamentos”, procurar pela prescrição que deseja editar e clicar no ícone de 3 barras.

prescrição farmacêutica

Criar uma nova prescrição

Selecionando a opção Produto: 

    1. Inicie indicando se sua prescrição será de um produto (para produtos comerciais), fórmula (produtos magistrais) ou outros tipos de tratamento (não-farmacológicos).
    2. Caso opte por prescrever um produto, pesquise pelo nome do produto na barra de busca, que inclui pesquisa pelo nome da marca e do princípio ativo.
    3. Em seguida, selecione a apresentação.
    4. Informe a forma farmacêutica e o número de unidades na caixa. Caso você selecione uma forma farmacêutica que não seja possível contabilizar as unidades contidas na caixa (ex: bisnaga, frasco, gotas, jatos, medida), tente estimar quantas doses aquela embalagem possui, baseando-se na posologia do tratamento.
    5. Informe ainda a frequência e a duração do tratamento. Caso o tratamento seja de uso ocasional, lembre-se de informar qual é a duração do tratamento em dias.
    6. Organize os horários de medicação deste paciente, escolhendo a quantidade a ser utilizada em cada dose e o período (refeição ou horário) .  
    7. Caso seja necessário, acrescente orientações extras ao seu paciente e clique em adicionar Instruções adicionais.
    8. Vincule sinais e sintomas que te auxiliarão a localizar esta prescrição futuramente.
    9. Clique em adicionar ao concluir o preenchimento de todas as informações e pronto! Sua prescrição está salva e você poderá utilizá-la futuramente.  
prescrição farmacêutica

Selecionando a opção Fórmula:

    1. Inicie indicando se seu tratamento será um produto, fórmula ou outros tipos de tratamento.
    2. Caso opte por prescrever uma fórmula magistral, inicie atribuindo um nome para a sua fórmula no campo Nome da fórmula.
    3. Em seguida, utilize o campo Formulação para digitar a fórmula que deseja prescrever ao paciente utilizando até 100 caracteres. 
    4. Informe a forma farmacêutica e a quantidade de unidades prescritas.
    5. Informe ainda a frequência e a duração do tratamento. Caso o tratamento seja de uso ocasional, lembre-se de informar qual é a duração do tratamento em dias.
    6. Organize os horários de medicação deste paciente, escolhendo a quantidade de unidades a serem utilizadas em cada dose e o período.  
    7. Caso seja necessário, acrescente orientações extras ao seu paciente clicando em Adicionar Instrução adicional.
    8. Vincule sinais e sintomas que te auxiliarão a localizar esta prescrição futuramente.
    9. Ao concluir o preenchimento de todas as informações, clique em adicionar e pronto! Sua prescrição está salva e você poderá utilizá-la futuramente.

Selecionando a opção outros: 

    1. Inicie indicando se seu tratamento será um produto, fórmula ou outros tipos de tratamento.
    2. Caso opte por prescrever um tratamento do tipo outro, inicie atribuindo um nome para o seu tratamento no campo Nome do tratamento.
    3. Em seguida, utilize o campo Descrição do tratamento para digitar os dados que deseja disponibilizar aos paciente utilizando até 100 caracteres.
    4. Vincule sinais e sintomas que te auxiliarão a localizar esta prescrição futuramente.
    5. Clique em adicionar ao concluir o preenchimento de todas as informações e pronto! Sua prescrição está salva e você poderá utilizá-la futuramente.  

Quanto mais prescrições farmacêuticas você fizer, maior será seu banco de prescrições sugeridas. Lembre-se de sempre vincular Sinais e sintomas às suas prescrições para que nas próximas vezes você possa encontrá-las mais facilmente e rapidamente através da busca por prescrições prontas. 

É um imenso potencial. Nós temos uma base estruturada com mais de 15 mil produtos que um farmacêutico pode prescrever!

Com o plano Free da Clinicarx você tem acesso à prescrições personalizadas e automatizadas dentro da Clinicarx, são mais de 500 protocolos cadastrados na nossa Base de Prescrição Smart Rx.

A Smart RX: Base de Prescrições Padronizadas

Criamos uma base com mais de 500 protocolos prontos de prescrição farmacêutica, indexados em um sistema inteligente que chamamos de SmartRx®.

Se o paciente apresenta uma condição para a qual você não tem segurança sobre o que recomendar, o sistema irá te apoiar nessa tomada de decisão. 

Cada sugestão Clinicarx traz o produto, apresentação e posologia corretos, já selecionados conforme idade e sexo do paciente.

É um sistema rápido e seguro para você consultar e fazer prescrições farmacêuticas visando um maior benefício dos seus pacientes. 

E um bônus: para diversos protocolos e produtos sugeridos, a Clinicarx University oferece cursos online de curta duração gratuitos, focados em prescrição farmacêutica, para que o profissional se desenvolva ainda mais.

Mude sua prática, seja no balcão ou no consultório farmacêutico. Forneça uma prescrição farmacêutica na próxima vez que um paciente lhe solicitar uma recomendação de tratamento.

Seus resultados profissionais nunca mais serão os mesmos!

 

*Este artigo foi revisado pelo corpo técnico da Clinicarx.



Home care: como farmacêuticos podem oferecer esse serviço

home care

A assistência domiciliar ganhou ainda mais espaço no último ano, em especial para farmacêuticos que trabalham com serviços de home care.  

O termo home care se refere ao ato de prestar serviços de saúde em domicílio e é praticado por profissionais da saúde devidamente habilitados. 

Esse serviço pode ser realizado como um conjunto de atividades de caráter ambulatorial e como ações de promoção à saúde, prevenção, tratamento de doenças e reabilitação. As atividades têm caráter contínuo e programado.

No último ano, com a pandemia da COVID-19, a procura por esse serviço aumentou cerca de 35%.  

Esse aumento está relacionado com alguns motivos: 

  • Necessidade de suprir demandas de hospitais que estavam lotados devido às internações pela COVID-19, 
  • Necessidade de acompanhamento de pacientes com doenças crônicas que demandam assistência periódica,
  • Acompanhamento na recuperação de pacientes que tiveram sequelas pós-COVID.

Na maioria dos casos, o atendimento domiciliar é indicado por um médico, que opta por dar mais conforto ao paciente durante seu tratamento. 

O serviço geralmente é prestado por uma equipe multidisciplinar, que pode variar de acordo com as necessidades individuais da pessoa que necessita desse atendimento. 

Neste artigo, vamos entender o papel do farmacêutico no serviço de  home care, a sua participação em equipes multidisciplinares e atendimentos domiciliares que as farmácias podem oferecer

O que é necessário para oferecer serviço home care?

Primeiramente, é necessário que o profissional esteja vinculado a um estabelecimento de saúde autorizado a prestar esse tipo de serviço. 

A RDC 11/2006 dispõe  sobre o Regulamento Técnico de Funcionamento de Serviços que prestam Atenção Domiciliar, propondo os requisitos mínimos de segurança para o funcionamento e oferecimento desse atendimento no setor público ou privado.

Caso você esteja interessado e queira oferecer esse tipo de serviço, listamos alguns itens que instituição deve seguir:

  1. A instituição pública ou privada responsável pelo gerenciamento e operacionalização de assistência e/ou internação domiciliar deve possuir alvará expedido pelo órgão sanitário competente.
  2. Deve possuir como responsável técnico um profissional de nível superior da área da saúde, habilitado junto ao respectivo conselho profissional.
  3. Deve estar inscrito no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES.
  4. Deve possuir um regimento interno que defina o tipo de atenção domiciliar prestada e as diretrizes básicas que norteiam seu funcionamento.
  5. Deve elaborar manual e normas técnicas de procedimentos para a atenção domiciliar, de acordo com a especificidade da assistência a ser prestada.

Em relação ao atendimento, é importante destacar que:

  • O profissional de saúde que acompanha o paciente deve encaminhar à instituição um relatório detalhado sobre as condições de saúde e doença do paciente contendo histórico, prescrições, exames e intercorrências.
  • A equipe da instituição deve elaborar um Plano de Atendimento Domiciliar (PAD) que deve contemplar todas as atividades relacionadas ao paciente e  deve ser revisado de acordo com a evolução, acompanhamento do paciente e a gravidade do caso.

Outras recomendações a respeito do plano de cuidado e obrigatoriedades da instituição podem ser consultadas na RDC 11/2006.

O papel do farmacêutico em equipe multidisciplinar

A Resolução 386/2002 do CFF dispõe sobre as atribuições do farmacêutico no âmbito da assistência domiciliar em equipes multidisciplinares, como:

  1. Prestar orientações quanto ao uso, administração e descarte de medicamentos e correlatos, com vistas à promoção do uso racional de medicamentos;
  2. Participar ativamente nas equipes multidisciplinares de terapia nutricional e equipes multidisciplinares de assistência domiciliar diversas
  3. Acompanhar os pacientes com suporte nutricional domiciliar, terapia oncológica e outras que requerem a prestação de cuidados farmacêuticos;
  4. Diluir e preparar soluções de medicamentos de uso intravenoso para administração no domicílio do paciente;
  5. Monitorar as terapias com antiagregantes plaquetários, anticoagulantes, bem como os parâmetros bioquímicos;
  6. Prestar informações sobre os medicamentos e problemas relacionados aos mesmos, propondo aos demais membros da equipe de saúde as mudanças necessárias à obtenção do resultado desejado;
  7. Realizar levantamento de indicadores relacionados ao uso de medicamentos e correlatos;

Outras atividades que podem ser consultadas na Resolução 386/2002 do CFF.

As farmácias podem oferecer atendimento domiciliar?

Sim, a atenção farmacêutica domiciliar está prevista na RDC 44/2009.

Segundo essa RDC, o atendimento domiciliar consiste no serviço de atenção farmacêutica disponibilizado pelo estabelecimento farmacêutico no domicílio do cliente. 

Todos os serviços que uma farmácia presta, de forma regular, também podem ser prestados pelo farmacêutico na casa do paciente. 

Isso vale para serviços farmacêuticos como medida da pressão arterial, teste de glicemia, aplicação de injetáveis, colocação de brincos, aplicação de vacinas, prescrição farmacêutica, entre outros. 

No entanto, é preciso ficar atento: a prestação de atendimento domiciliar por farmácias somente é permitida a estabelecimentos devidamente licenciados e autorizados pelos órgãos sanitários competentes.

Além disso, as farmácias devem ter, obrigatoriamente, a assistência do farmacêutico responsável técnico ou do seu substituto durante todo o horário de funcionamento do estabelecimento. Isso significa que a farmácia precisa garantir a presença de um farmacêutico no estabelecimento enquanto o outro profissional se ausenta para realizar o atendimento domiciliar.

Como oferecer o serviço de home care com a Clinicarx?

A Clinicarx é uma plataforma online de serviços de saúde, líder de mercado, que auxilia farmácias e consultórios no processo de implantar, atender e gerenciar serviços farmacêuticos.

A plataforma oferece desde registro e procedimento de avaliação de saúde como pressão arterial e teste de glicemia, até o registro de procedimentos básicos como perfuração de lóbulo auricular e aplicação de injetáveis.

Além disso, ela também oferece recursos para acompanhamento de pacientes com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, asma e depressão; ou acompanhamento de gestantes, pessoas que desejam cuidar do peso ou parar de fumar, entre outros procedimentos. 

Ela pode ser utilizada no âmbito domiciliar para registrar as consultas, o histórico de saúde do paciente e para seguir um protocolo de atendimento padronizado. 

Além disso, possibilita a emissão do laudo de testes rápidos e a Declaração de Serviços Farmacêuticos (DSF), documentos que devem ser entregues ao paciente após prestação do serviço farmacêutico.

Vamos aos procedimentos e documentos que o farmacêutico pode realizar e emitir com a Clinicarx?

Relatórios e acompanhamento

A Clinicarx viabiliza a emissão de relatórios completos e informações que auxiliam os profissionais a tomarem decisões mais assertivas no tratamento do paciente.

Relatório ao médico

O relatório ao médico resume todos os tratamentos medicamentosos e dados sobre a condição clínica do paciente na farmácia,  assim como pacientes atendidos pelo serviço de home care.

Esse relatório agrega informações importantes sobre a saúde do paciente que poderão auxiliar na tomada de decisão e na elaboração do plano de cuidado.

Para saber como emitir o relatório através da plataforma, acesse aqui.

Relatório de evolução de glicemia 

Durante um atendimento e procedimento do teste de glicemia, o farmacêutico pode acessar e gerar diversos documentos com dados que podem ser impressos aos clientes (incluindo a DSF).

Nesse relatório, constarão as informações:

  • O diagnóstico do seu paciente e o tipo de diabetes (se for o caso);
  • O estado alimentar do paciente no momento do teste;
  • Resultados do teste de glicemia.

Relatório de evolução da Pressão Arterial

Durante o atendimento, com a Clinicarx, o profissional também pode emitir o relatório de pressão arterial do paciente com:

  • Um gráfico com os resultados do acompanhamento dos valores de PAS e PAD;
  • Uma tabela com a data da aferição e os respectivos valores de PAS, PAD e frequência cardíaca.

Além desses documentos, também é possível controlar e emitir um relatório dos medicamentos injetáveis aplicados no seu paciente de home care

O Índice de Controle do Paciente na Clinicarx

Ao lado do nome de alguns dos seus pacientes, durante o atendimento, você verá um indicador chamado índice de controle, expresso em porcentagem (%). 

O que é este índice de controle?

O Índice de Controle é uma ferramenta para acompanhamento do estado de saúde do paciente e surge a partir do momento em que o profissional cadastra as condições clínicas no perfil dele. 

Ele indica o percentual (%) dos parâmetros estabelecidos de acordo com as condições clínicas do paciente em acompanhamento. O percentual é calculado a partir dos resultados dos procedimentos realizados e da meta terapêutica definida. 

Portanto, o índice de controle funciona como um indicador geral do grau de controle clínico do seu paciente, e depende das doenças em acompanhamento e das metas estabelecidas.

Esse índice é um parâmetro simples e útil para que o profissional consiga visualizar a evolução do seu paciente frente às condições clínicas e, assim, traçar planos para que os objetivos sejam alcançados. 

 

Aproveite e obtenha cada vez mais melhores resultados para a saúde dos seus pacientes! 

Como fidelizar clientes na farmácia com essas ferramentas simples

fidelizar clientes

Sabemos que ao implementar serviços farmacêuticos, sua prioridade é fidelizar clientes e garantir o sucesso da sua farmácia e a rentabilidade para manter a vida financeira do seu negócio saudável. 

Um dos primeiros contatos que você, farmacêutico, tem com seu cliente é no balcão, seja para vender um medicamento ou dar orientações. Por isso, é fundamental oferecer os serviços de saúde da farmácia no balcão.

Por exemplo, se você executa procedimentos básicos, então pacientes que comprar anti-hipertensivos, antidiabéticos ou medicamentos injetáveis são seu público-alvo preferencial.

Além disso, existem ferramentas que podem agregar e fidelizar clientes, trazer valor para seu atendimento e garantir o retorno dos pacientes à sua farmácia. 

  • São elas: Calendário posológico e dispensação programada de medicamentos. 

Neste artigo, vamos entender como fidelizar clientes com essas duas ferramentas que você encontra na plataforma Clinicarx.

Como fidelizar clientes na minha farmácia?

Não existe fórmula mágica, mas aqui estão algumas dicas práticas para você fidelizar clientes com recursos disponíveis na Clinicarx!

  • Acolha e receba bem seu cliente. Escute as queixas, entenda a demanda do paciente e ofereça seus serviços sempre;
  • Agregue vários serviços que o paciente necessita, no mesmo atendimento;
  • Registre os medicamentos que ele/ela utiliza e suas doenças também;
  • Agende o retorno do seu paciente de acordo com o serviço que está sendo oferecido. Lembre-se de programar um retorno com intervalo menor para pacientes que precisam de mais cuidado;
  • Ofereça um calendário posológico digital ou impresso;
  • Agende a dispensação de pacientes polimedicados, promova adesão e aumente suas vendas.

     

    Gerencie sua base de clientes com todo cuidado. Cerca de 20% dos seus clientes provavelmente está garantindo 80% das suas receitas. Cuide bem deles. 

Ofereça produtos e serviços de qualidade para todos e atraia novos clientes pela melhor propaganda do mundo: o boca-a-boca. Faça isso e veja a diferença.

Já conhece o novo plano gratuito e por tempo ilimitado da Clinicarx? Acesse nosso plano Free e comece hoje a experimentar a plataforma.

banner blog free

O Calendário Posológico

O calendário posológico é um recurso visual para facilitar a adesão ao tratamento em pacientes polimedicados com dificuldades de leitura/alfabetização ou na organização de sua rotina de medicação.

Como fazer? 

Para cada medicamento que o paciente utiliza, registre o nome e dosagem, bem como os horários do dia para cada dose, sempre ligado aos horários principais das refeições que estruturam a rotina. 

Ao final você terá uma lista completa e organizada dos medicamentos, com uma rotina de medicação organizada, validada pelo farmacêutico. 

Como criar um calendário posológico na Clinicarx


Para clientes Clinicarx, funcionalidades de atenção farmacêutica que agregam no atendimento de qualidade ao paciente, estão padronizadas de forma intuitiva e otimizada. 

Você que é nosso parceiro, pode criar o calendário posológico da seguinte forma:

Ao realizar a prescrição de um medicamento ou adicionar um tratamento no perfil do paciente, você poderá criar o calendário posológico com estes tratamentos.

  • Durante um atendimento, vá até a aba de CONDIÇÕES E TRATAMENTOS;
  • No lado direito você verá “Tratamentos atuais”, lá você encontra tratamentos adicionados através da prescrição farmacêutica ou poderá registrar novos;
  • Na área de Tratamentos atuais, você pode mudar de ordem de exibição dos tratamentos, clique, segure e arraste para ordenar na posição desejada;
  • Para imprimir Calendário Posológico de todos os tratamentos, vá até a página “Documentos” e selecione a opção “Calendário posológico”;
  • Esse será o Calendário Posológico gerado (com os dados da farmácia e do paciente, de acordo com os padrões de impressões da Clinicarx). 

Melhore a adesão aos medicamentos de muitos dos seus pacientes com essa ferramenta simples. Eles vão gostar.

A Dispensação Programada

A dispensação programada consiste na entrega de medicamentos e orientação ao paciente sobre como utilizá-los, geralmente mediante uma prescrição médica.

Dispensação programada é uma estratégia de fornecimento de medicamentos cujo objetivo é garantir que o paciente obtenha toda quantidade de medicamentos necessária, com a periodicidade necessária.

Nesse serviço, o farmacêutico irá cadastrar todos os medicamentos utilizados pelo paciente, posologia e horários de uso, fornecendo uma certa quantidade de “dias de tratamento” sincronizados para todos os medicamentos. 

Dessa forma, sabe-se com precisão a data em que os medicamentos irão terminar e é agendado retorno do paciente para uma “dispensação programada”.

O farmacêutico auxilia o paciente no gerenciamento de seu tratamento, evita rupturas de estoque, interrupções de tratamento, melhorando a adesão ao tratamento e os resultados de saúde.

Você pode oferecer esse serviço para pacientes com doenças crônicas que fazem uso contínuo de medicamentos e que poderão voltar à sua farmácia para  comprá-los novamente . Você também poderá realizar uma avaliação em saúde para verificar a efetividade do tratamento.

Como fazer a dispensação programada de medicamentos

Vamos entender como você, farmacêutico, pode realizar o serviço de dispensação programada para seu paciente.

Construção da lista de produtos do paciente

Todos os medicamentos e produtos utilizados pelo paciente são identificados e cadastrados, juntamente com informações de posologia (dose, frequência e duração), instruções adicionais de uso e prescritor.

O objetivo é construir a lista de medicamentos e produtos mais completa possível, utilizando como fontes de informação o próprio paciente, caixas de produtos, receitas médicas, entre outras.

Revisão da medicação com foco na adesão ao tratamento

Cuide do seu paciente com atenção e cuidado, para uma melhor adesão ao tratamento, não deixe de conversar com ele sobre as medicações e possíveis dificuldades.

Tendo a lista de medicamentos construída, revisar com o paciente alguns pontos sobre cada tratamento, com base em uma anamnese estruturada:

  • Como está indo seu tratamento com medicamentos?
  • Como você utiliza cada um de seus medicamentos?
  • Está tendo algum problema ou preocupação com relação a eles?
  • Você acha que seus medicamentos estão funcionando?
  • Você acha que está tendo algum efeito colateral ou inesperado?
  • Você já esqueceu de tomar alguma dose? Quando foi a última vez?
  • Teria algo mais que você gostaria de saber sobre seus medicamentos?

 

O objetivo é ter no máximo 3 (três) momentos de medicação ao dia. A rotina de medicação pode ser organizada de acordo com as refeições ou em horários específicos.

Dispensação dos produtos

Os medicamentos e produtos que o paciente leva da farmácia são registrados, informando a quantidade de caixas de cada item. 

Considerando a posologia informada e a quantidade de produto em cada caixa, o sistema irá calcular a data de fim para cada tratamento, indicando a melhor data de retorno, de modo que todos os tratamentos fiquem sincronizados.

Sincronizar os medicamentos do paciente significa alinhar uma única data na qual o paciente leva quantidade suficiente para cumprir todo tratamento, até a data de retorno à farmácia.

Agendamento do retorno

É marcada uma data de retorno, geralmente 2-3 dias antes da data de fim dos medicamentos do paciente. O produto cujo tratamento irá acabar antes é usado como referência para a marcação desta data.

Na data marcada, os tratamentos do paciente são atualizados, caso tenha havido mudanças de produtos ou posologia. Com os dados atualizados, uma nova dispensação é realizada e nova data de retorno agendada.

Pronto! Agora você tem em mãos ferramentas valiosas e que são simples para sua atenção farmacêutica se tornar referência no bairro e na cidade.

Fidelizar clientes na farmácia se torna rotina quando você integra no seu dia a dia a missão de encantar e cuidar dos seus pacientes. 

*Esse conteúdo foi aprovado pelo corpo técnico da Clinicarx.

Hormônio Luteinizante (LH) no ciclo menstrual: dúvidas e orientações

hormônio luteinizante

O Hormônio Luteinizante (LH) é produzido pela hipófise e é responsável pela ovulação e produção de progesterona. É o preditor clinicamente mais útil da aproximação da ovulação.

Mulheres que desejam conhecer seu período de ovulação através dos níveis do Hormônio Luteinizante, encontram em farmácias e clínicas um teste rápido que ajuda a identificar esse período. 

Neste artigo vamos abordar:

  • O Hormônio Luteinizante no ciclo menstrual;
  • Valores de referência;
  • As fases ovulatórias, lúteas e folicular;
  • Orientações farmacêuticas às pacientes.

O LH no ciclo menstrual e valores de referência

Durante o ciclo menstrual, a concentração do hormônio LH varia, mas está presente em todas as fases.  A sua concentração aumenta durante o período fértil.

O LH no ciclo menstrual tem papel importante para a mulher, pois ele é um marcador para diagnosticar infertilidade, identificar a menopausa, entender causas de ausência de menstruação e liberação de óvulos.

Os valores de referência do LH são:

  • Fase folicular: 2,4 – 12,6 mUI/mL;
  • Pico ovulatório: entre 14 – 95,6 mUI/mL;
  • Fase lútea: 1 – 11,4 mUI/mL;

     

  • Menopausa: 7,7 – 58,5 mUI/mL.

Há diversas causas e condições clínicas associadas aos valores baixos ou altos do LH, vamos conhecer?

Para valores de referência de LH abaixo do normal, os indicativos são:

  • Problemas na hipófise;
  • Deficiência da produção do hormônio GnRH, que estimula a hipófise para produzir LH;
  • Síndrome de Kallmann, doença genética pela ausência da produção de GnRH;
  • Hiperprolactinemia.

Consequências:

Ausência de menstruação nas mulheres. É indicado procurar um médico para tratamento. 

Para valores de referência de LH acima do normal, os indicativos são:

  • Fase de ovulação;
  • Tumor na hipófise;
  • Puberdade precoce;
  • Menopausa precoce;
  • Síndrome do Ovário Policístico. 
hormônio luteinizante (LH)
MANUAL MSD - Versão para Profissionais de Saúde/reprodução

O Hormônio Luteinizante nas fases do ciclo

Os níveis de hormônio luteinizante (LH) estão diretamente relacionados ao ciclo ovulatório feminino. Nas mulheres, o aumento agudo de LH estimula a ovulação e o desenvolvimento do corpo lúteo. 

Com este resultado é possível estimar se a mulher encontra-se próxima da ovulação, período em que existe propensão para engravidar.

Os sintomas mais comumente associados ao período de ovulação são:

  • Mudanças na secreção vaginal, 
  • Aumento na temperatura do corpo, 
  • Dor abdominal de um lado da pélvis, 
  • Sangramento mínimo, 
  • Maior sensibilidade nos seios, 
  • Aumento da libido, 
  • Variações de humor, enxaqueca e náuseas.

Fase folicular 

A fase folicular do ciclo menstrual começa com o início da menstruação e termina no dia do pico de LH.

Nessa fase, os níveis de FSH aumentam, o que induz o recrutamento de um pequeno número de folículos. Mais tarde, entre os dias 5 e 7, um desses folículos se torna dominante. 

O folículo dominante se desenvolve e no meio do ciclo menstrual a hipófise libera uma onda de LH que estimula os estágios finais da maturação folicular e a ovulação.

Ovulação

A ovulação ocorre após o LH ser liberado em quantidades maiores, geralmente nas próximas 36 a 40 horas.

Dessa maneira, o pico de LH é responsável pela ruptura da parede do folículo e a liberação do óvulo maduro.

Fase lútea

A fase lútea se estende do dia do pico de LH até o início da próxima menstruação.

Com duração de 14 dias, o folículo se transforma em um corpo lúteo depois de liberar o óvulo. 

Primeiro, esse corpo lúteo estimula a produção de progesterona em quantidades aumentadas, chegando a uma média de 25 mg/dia, 6 a 8 dias após a ovulação. 

Nessa primeira fase lútea o estradiol também se encontra em níveis altos. Esse aumento de estradiol e progesterona aumentam a proliferação celular e a vascularização do endométrio para otimizar a fixação do óvulo fecundado.

Caso não ocorra fixação do óvulo no endométrio, na fase lútea tardia acontece a diminuição da síntese de estradiol e de progesterona e isso resulta no início do fluxo menstrual, que marca o início de um novo ciclo.

Hormônio Luteinizante (LH) e seu papel da fertilização

A duração média do ciclo menstrual é 28 dias (variando de 21 a 40 dias). O primeiro dia da menstruação é o dia 1 e a ovulação geralmente ocorre no dia 14.

Para acontecer a fecundação do óvulo nas tubas uterinas, o hormônio luteinizante provoca o rompimento da parede folicular que ocasiona a liberação do óvulo.  

Esse período em que o óvulo está disponível para ser fecundado é o que é chamado de período fértil de uma mulher.

Após a ovulação, se ocorrer a fecundação, o óvulo fecundado migra até o útero e se fixa no endométrio.

A gravidez ocorre quando esse óvulo consegue se fixar no endométrio. Para isso acontecer, o endométrio precisa estar saudável e com a vascularização adequada.

Os hormônios da gravidez ou hormônios placentários são produzidos no primeiro trimestre após a formação do corpo lúteo.

O estrógeno, a progesterona, o hormônio lactogênio placentário e hCG começam a ser produzidos nesse primeiro momento.

O hCG produzido pela placenta é o hormônio mais conhecido nessa fase da gravidez, ele é divido entre alfa e beta

A subunidade alfa do hCG é muito parecida às subunidades alfa hormônios hipofisários TSH, FSH e o Hormônio Luteinizante, produzidos pela hipófise.

Por esse motivo, o hormônio luteinizante na gravidez também pode aparecer em níveis mais altos

Como esses hormônios podem se confundir por serem semelhantes, no teste laboratorial de gravidez, analisa-se o beta do hCG, ou β-hCG, para garantir que não seja dosado um desses outros hormônios produzidos. 

O teste rápido de LH

Para quem é este teste?


O teste rápido para dosagem de LH é indicado principalmente para:

  • Mulheres que desejam identificar o período de ovulação;
  • Homens, para rastreamento de problemas de fertilidade;
  • Crianças, sob pedido médico, para rastreamento de puberdade precoce.

O teste rápido para dosagem de LH atende o interesse de mulheres que desejam a gestação, figurando como aliado para melhor previsão do período fértil ao longo do ciclo menstrual.

Dessa maneira, o teste rápido do LH pode ser feito por mulheres, por exemplo, que estão fazendo tratamento de fertilidade e precisam identificar o melhor momento para engravidar,aumentando as chances de sucesso do tratamento.

O resultado é mostrado no painel do equipamento em mUI/mL. Esse é o valor que deve ser inserido no laudo.

Monitorar níveis hormonais até o pico da liberação hormonal, a partir do qual se espera a ovulação em 36 a 40h.

Espera-se níveis de LH entre 14 – 95,6 mUI/mL durante a fase de ovulação, que equivale aos dias férteis da mulher. 

  • Outros valores são esperados para outras fases do ciclo ovulatório:

Valores fora do intervalo entre 14 – 95,6 mUI/mL e/ou redução nos níveis de LH em medidas sequenciais indica a ausência de ovulação ou que a ovulação já aconteceu. 

Para este último caso, aguarde o próximo ciclo e inicie o acompanhamento 2 dias antes da data provável da ovulação.

Testes Rápidos Clinicarx

Com o serviço de Testes Rápidos da Clinicarx, você pode implementar TLR na sua farmácia ou clínica, com todo suporte do nosso Laboratório Clínico Central, e emitir laudo laboratorial válido para entregar ao seu paciente. 

Você pode encontrar também um curso completo online sobre o assunto em nossa plataforma educacional, ideal para quem está começando no tema.

Aproveite nosso plano Free e utilize gratuitamente a plataforma, oferecendo testes rápidos na sua farmácia e mais valor em saúde às suas pacientes. 

 

*Esse conteúdo foi aprovado pelo corpo técnico da Clinicarx.

Clinicarx lança plano Free para farmácias implementarem serviços de saúde

plano Free

A missão que movimenta a Clinicarx é levar mais saúde ao maior número de pessoas, atender a população através de pontos de saúde estruturados e preparados para oferecer alta qualidade de atendimento e tornar o paciente protagonista da sua saúde. 

Como caminhamos para alcançar esse objetivo? Proporcionando ferramentas para que nossos clientes se empoderem, cresçam e impulsionem seus pontos de saúde. O plano Free é uma delas!

Ouça o que nossos clientes têm para contar 

O farmacêutico Alan Rezende, da PharmaReal, aumentou em pelo menos 40% seu faturamento mensal na farmácia com a oferta de serviços em saúde pela Clinicarx. 

Com os rastreamentos em saúde, avaliações e acompanhamento dos pacientes crônicos que ele consegue realizar pela plataforma, a fidelização de pacientes veio como consequência junto com o retorno financeiro.

Assista ao webinar completo!

A Attive Pharma, a primeira farmácia a realizar testes rápidos para Covid-19 em Mato Grosso do Sul, conseguiu aumentar sua renda em 300% no ano de 2020. A gerente Flávia T. França, conta um pouco desse processo aqui.

“A Clinicarx oferece o auxílio que você precisa para oferecer serviços em sua farmácia, como App para pacientes, menu de serviços, gerenciamento de resultados e muito mais”.

A farmacêutica Daniely Proença também turbinou seu faturamento com a oferta de serviços farmacêuticos mais variados, principalmente com os procedimentos de controle e rastreamento em saúde, como exame de glicemia e pressão arterial. 

Screenshot 1 1

O Plano Free Clinicarx nasceu embasado nesse propósito. Para facilitar tanto a implantação de serviços farmacêuticos nos pontos de saúde, quanto a acessibilidade a esses serviços pela população.

E você pode ser um dos mais de 14.000 mil profissionais do Brasil que utilizam nossa plataforma.

A plataforma Clinicarx em sua versão gratuita e por tempo ilimitado possui um algoritmo inteligente baseado diretrizes e protocolos clínicos atualizados para você realizar o atendimento farmacêutico

É possível orientar o paciente com toda a segurança, emitir relatórios de saúde completos e ajudar outros profissionais de saúde a tomar decisões mais assertivas no tratamento do paciente.

Além disso, o plano Free proporciona:

  • implantação dos serviços básicos e mais procurados nas farmácias como pressão arterial, injetáveis, exame de glicemia, perfuração de lóbulo e os testes rápidos;
  • rentabilizar e analisar custos, número de procedimentos, para pensar na saúde financeira da sua farmácia ou clínica;
  • realizar prescrições farmacêuticas orientadas com uma base de medicamentos que o farmacêutico pode prescrever já cadastrada através da SmartRx;
  • acesso a cursos exclusivos com certificações da plataforma EAD Clinicarx University;
  • aplicativo mobile para pacientes com acesso aos dados da consulta;
  • documentação e sistema de POP’s cumprindo a legislação e de acordo com a vigilância sanitária;
  • Declaração de Serviço Farmacêutico automatizada e personalizada.

A Clinicarx oferece e organiza tudo o que você precisa para começar a oferecer os principais serviços de saúde! 

Com o plano gratuito, é possível começar a entregar mais aos seus clientes, sabendo que os serviços cumprem a legislação vigente e têm todas as orientações necessárias para um atendimento diferenciado.

Para quem é o plano Free?

O plano gratuito da Clinicarx engloba diversos nichos farmacêuticos, seja para farmácias que estão começando ou querem começar a ofertar serviços de saúde, como para farmácias comunitárias e independentes. 

Para quem já oferece serviços básicos e quer avançar, implantar novos serviços mais especializados, como prescrição farmacêutica, aplicação de injetáveis, teste de glicemia, testes rápidos.

Para quem quer começar a visualizar melhor seu escopo de serviços farmacêuticos, aumentar sua gama de ofertas e, principalmente, precificar para cobrar e analisar seus custos.

Para todos os tipos de farmácias ou clínicas, o plano Free é uma ótima oportunidade para quem está começando ou quer avançar no processo de serviços farmacêuticos, pois possibilita explorar as ferramentas e entender o momento do seu negócio. 

Além de proporcionar suporte técnico, seguir as legislações vigentes e garantir vínculo aos laboratórios clínicos para laudagem de testes. Assim, o farmacêutico pode focar no atendimento à população e no empoderamento da sua prática. 

Por onde começar?

Para começar a utilizar o plano Free, basta você iniciar seu cadastro, você precisa ter em mãos: seus dados pessoais, dados da sua empresa como CPNJ, seu registro profissional. 

Habilite sua unidade com as informações necessárias no primeiro acesso, e depois é só explorar as funcionalidades, escolher os serviços que a farmácia ou clínica quer oferecer, atender seus pacientes e começar a rentabilizá-los.

Esses são os primeiros passos que o profissional da saúde precisa para utilizar a plataforma gratuitamente. 

  • No cadastro, não é necessário registrar cartão de crédito ou pagar alguma taxa. 
Tela plataforma Clinicarx

Quais serviços implementar?

Bom, para responder a essa pergunta, vamos aos serviços de saúde que estão disponíveis na versão gratuita:
  • Pressão Arterial: Exame de medição da pressão arterial, um dos serviços mais procurados na farmácia, para que você avalie seu paciente e realizar um rastreamento em saúde ou ajudar a acompanhar um paciente hipertenso.
  • Exame de Glicemia: Controle e investigação a respeito do equilíbrio metabólico do paciente, rastreamento e auxílio na prevenção do diabetes.
  • Aplicação de injetáveis: Aplicação de medicamentos injetáveis com prescrição médica, amplamente procurado nas farmácias.
  • Perfuração de lóbulo: Perfuração do lóbulo do paciente para a colocação de brincos. É comum que os pacientes que realizam este serviço sejam bebês.
  • Testes rápidos: Exames padronizados dos melhores fornecedores do país, com protocolos clínicos de atendimento que guiam o farmacêutico em relação à indicação, realização, interpretação de resultados, notificações ao Ministério da Saúde e entrega do laudo ao paciente. Os testes disponíveis são: Covid-19, Glicemia, Perfil Lipídico, Hemoglobina Glicada e Dengue.
  • Triagem para Covid-19: Triagem clínica de pacientes com sintomas de síndrome gripal, suspeitos de Covid-19, incluindo avaliação de alguns sinais vitais, oximetria e sintomas.
  • Prescrição farmacêutica: Base completa com todos os produtos isentos de prescrição médica, com orientações, apresentação e posologia corretos, para elaboração da prescrição em segundos, cumprindo a legislação.

Os serviços de saúde possuem uma ordem de complexidade, relativa à prática e experiência clínica que determinado serviço desempenha, alguns são básicos e outros já são procedimentos avançados na atuação farmacêutica. 

Por exemplo, os testes rápidos são um dos serviços que mais cresceram no último ano, e seu papel no rastreamento em saúde tem relevância no valor do atendimento, gera informações importantes para o paciente que podem agregar em relatórios ao médico. 

  • São diversos testes rápidos cadastrados na plataforma, com Laboratório Clínico de Apoio, responsável pela realização e assinatura do laudo de todos os testes rápidos realizados. 

  • Esse laboratório cuida da garantia da qualidade, integrado ao Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ), e fornece todo suporte para o ponto de saúde que realiza testes rápidos. 

  • Além disso, a plataforma Clinicarx conta com Painel de gerenciamento de lotes para laudagem personalizada

Escolher quais oferecer depende de alguns fatores, como sua experiência prévia em atendimento de pacientes, o tipo de paciente que você deseja atingir e quais são seus objetivos em relação ao negócio da farmácia. 

As dúvidas podem ser várias, mas com clareza de objetivos e pesquisa, é possível visualizar quais serviços mais rentabilizam e que seus pacientes precisam.

Pensando nessa jornada, também, a Clinicarx desenvolve cursos de capacitação para profissionais da saúde que oferecem ou desejam oferecer mais serviços avançados, para que o empoderamento do conhecimento se alie à prática. 

Esses cursos estão disponíveis no plano Free e contemplam diversos assuntos.

Para cada um dos serviços existe um modelo pronto aliado à plataforma, ou seja, mesmo sem experiência prévia, o software disponibiliza POP’s automáticos para implementação, cursos exclusivos e muito mais para o farmacêutico começar a trabalhar e evoluir.

  • Quanto mais amplo for o portfólio de serviços, maior potencial financeiro e mais rapidamente você alcançará a sustentabilidade de seu negócio baseado em serviços.

Quanto cobrar pelos serviços?

O plano Free contempla a gestão financeira da clínica ou farmácia, por isso, através do painel gerenciador, é possível analisar e calcular seus custos por procedimento e número de atendimentos realizados. 

Além disso, a plataforma possui sugestões de preços integrados aos serviços oferecidos, com base em pesquisa de cálculos e médias de valores de mercado, ainda, é possível cadastrar o procedimento de forma personalizada com o valor desejado.

A Clinicarx permite que sejam criadas metas ou comissões diferentes para os seus funcionários. 

Ou seja, todos os atendimentos são conectados com seu checkout de serviços, com diversos relatórios financeiros e de produtividade para que exista um controle sobre os resultados e planejamento financeiro.

Nesse processo, o farmacêutico consegue fazer a precificação adequada dos seus serviços, cobrar por procedimento de forma autônoma e organizar o orçamento para que possa ampliar sua atuação.

  • Quer saber tudo sobre como precificar cada um dos seus serviços? Baixe nosso eBook gratuito.  

Analise com cuidado com seus custos, para que possa alcançar um preço final que traga sustentabilidade ao seu negócio baseado em serviços. Para alcançar uma precificação justa e competitiva, você deve considerar também os preços médios do mercado. 

Quanto posso faturar com serviços farmacêuticos?

Essa é a pergunta chave que com certeza todos querem a resposta! Já no primeiro mês de uso da plataforma no plano gratuito, você consegue começar a analisar seus números e visualizar quanto de renda seus serviços podem agregar. 

É claro que demanda mais tempo para ter uma base sólida de rentabilidade, pois você precisa planejar, implementar um modelo sustentável e fidelizar seus pacientes. Com o plano Free, o farmacêutico percorre esse caminho mais rápido e de graça. 

Existe um amplo leque de serviços de saúde que podem ser prestados na farmácia e eles não são todos iguais. 

Por isso, deve-se pensar em “mix de serviços“, numa lógica semelhante ao “mix de produtos” que uma loja possui. Maior variedade de oferta de serviços significa maior rentabilidade.

Serviços farmacêuticos básicos, como pressão arterial, testes de glicemia, aplicação de injetáveis, geralmente possuem ticket-médio menor (por volta de R$ 9,70) porém maior volume e boa margem (~80%). 

Por isso, são fundamentais para a saúde financeira de um negócio baseado em serviços. Serviços básicos geram dinheiro novo para a farmácia.

Então, o novo plano gratuito da Clinicarx atende todos os tipos de farmácias e clínicas que estejam começando a ofertar serviços farmacêuticos ou que querem entrar nesse movimento pela saúde e atender à população com qualidade. 

Agora é a hora de colocar a mão na massa e experimentar na prática, afinal, é de graça!   👉🏽 Acesse e comece hoje.

7 dúvidas mais comuns sobre serviços de saúde em farmácias

serviços de saúde em farmácias
Este artigo é para você que tem dúvidas sobre serviços de saúde em farmácias. Iremos abordar:
 
  • o que são serviços de saúde;
  • como são esses serviços nas farmácias;
  • como oferecê-los na sua farmácia.

 

Hoje em dia as pessoas buscam cuidar da saúde de forma ágil, prática e conveniente, e os serviços de saúde em farmácias se tornaram essenciais nesse movimento.

Os serviços farmacêuticos cresceram exponencialmente nos últimos anos e a sua necessidade se fez notável, em especial com a oferta de testes rápidos e vacinação.

Você, farmacêutico, que quer começar a oferecer mais aos seus clientes, têm dúvidas?

Nós esclarecemos para você as principais perguntas sobre os serviços de saúde em farmácias

Entendendo o que são e quais são os serviços de saúde em farmácias

1. O que são os serviços farmacêuticos?

Serviços farmacêuticos são aqueles serviços de cuidado à saúde, prestados por farmacêuticos aos pacientes em farmácias ou consultórios particulares.

O modelo de prática no qual os serviços farmacêuticos se fundamentam é chamado de “cuidado farmacêutico” ou “atenção farmacêutica”.

Os serviços farmacêuticos tornaram-se uma tendência para as farmácias nos últimos anos, devido aos benefícios de sua implementação, como maior valor ao atendimento, entrega de saúde de qualidade ao paciente, rentabilidade e destaque no mercado para a farmácia.

Existem diversos tipos de serviços que podem ajudar a farmácia e beneficiar a saúde dos clientes.

2. Que serviços clínicos o farmacêutico está autorizado a oferecer?

As atribuições do farmacêutico no campo da farmácia clínica e dos serviços farmacêuticos avançaram muito na última década, e isso começa pela própria formação na graduação.

Estão entre as competências desse profissional ligadas à prestação de serviços de cuidado em saúde, destacam-se:

    • Rastreamento em saúde; 
    • Educação em saúde; 
    • Manejo de problemas de saúde autolimitados;
    • Revisão da farmacoterapia;
    • Gestão  da condição clínica;
    • Entre outros serviços de saúde como: testes rápidos e vacinação. 

Dentre as atribuições clínicas do farmacêutico, na assistência à saúde, destacam-se:

    • Estabelecer e conduzir uma relação de cuidado centrada no paciente;
    • Desenvolver, em colaboração com outros profissionais de saúde, ações para a promoção, proteção e recuperação da saúde, e a prevenção de doenças e de outros problemas de saúde;
    • Realizar intervenções farmacêuticas e emitir parecer farmacêutico a outros profissionais de saúde, com o propósito de auxiliar na seleção, adição, substituição, ajuste ou interrupção da farmacoterapia do paciente;
    • Prover a consulta farmacêutica em consultório farmacêutico ou em outro ambiente adequado que garanta a privacidade do atendimento;
    • Fazer a anamnese farmacêutica, bem como verificar sinais e sintomas, com o propósito de prover cuidado ao paciente;
    • Solicitar exames laboratoriais, no âmbito de sua competência profissional, com a finalidade de monitorar os resultados da farmacoterapia;
    • Avaliar resultados de exames clínico-laboratoriais do paciente, como instrumento para individualização da farmacoterapia;
    • Determinar parâmetros bioquímicos e fisiológicos do paciente, para fins de acompanhamento da farmacoterapia e rastreamento em saúde;
    • Realizar ações de rastreamento em saúde baseadas em evidências técnico-científicas e em consonância com as políticas de saúde vigentes; 
    • Informar, orientar e educar os pacientes, a família, os cuidadores e a sociedade sobre temas relacionados à saúde, ao uso racional de medicamentos e a outras tecnologias em saúde.

3. Que tipos de clientes a farmácia atende com esses serviços?

Com a variedade de serviços de saúde em farmácias, podemos dizer que toda a população pode se beneficiar em diferentes momentos do ciclo de vida (criança, adolescente, adulto e idoso) ou da história natural de doenças.

    • Serviços como procedimentos básicos e avançados podem auxiliar na avaliação de sintomas e fatores de risco, servindo tanto para detecção precoce de doenças, como parâmetros de saúde no acompanhamento de doenças crônicas. 
    • O paciente crônico pode ter na farmácia seu ponto de apoio de acompanhamento da doença, levando relatórios de evolução e avaliação farmacêutica ao médico, agilizando e otimizando o ajuste contínuo do tratamento. 
    • A maioria das vacinas do calendário nacional do setor público e privado podem ser encontradas na farmácia, incluindo vacinas para meningites, HPV, hepatites, influenza, herpes zoster, pneumonias, entre outras. 
    • Serviços de testes rápidos são um recurso importante para detecção precoce de várias doenças, possibilitando encaminhamento rápido e informação acurada para o médico realizar o diagnóstico e prescrever um tratamento. 

Na Clinicarx, o profissional de saúde conta com todos esses serviços padronizados e com algoritmos inteligentes que vão ajudar a guiar o atendimento e dar mais segurança ao farmacêutico.


4. Quanto tempo leva um atendimento na farmácia?

O tempo médio por atendimento fica entre 10 e 15 minutos, dependendo do serviço prestado na sua drogaria ou farmácia.

Na Clinicarx, analisando os mais de 2,8 milhões de atendimentos feitos entre janeiro/2020 e fevereiro/2021, o tempo médio por atendimento no software foi de 13 minutos. Na configuração padrão da agenda da clínica, reservamos 20 minutos para cada atendimento.

Alguns serviços de saúde, como testes rápidos, exigem que o paciente aguarde pelo resultado do exame no equipamento ou cassete, o que pode levar cerca de 15 minutos em alguns casos. 

Por isso, esse tipo de atendimento geralmente vai consumir 20 a 30 minutos da agenda.  Outros serviços, como procedimentos básicos, são mais ágeis e podem levar apenas 5 a 10 minutos.

No acompanhamento de pacientes crônicos, principalmente aqueles que utilizam muitos medicamentos, o farmacêutico pode ficar tentado a passar muito tempo com o paciente, em consultas longas de 30 a 60 minutos, mas esse não é o formato recomendado. 

É preferível que o profissional limite o tempo de consulta, investindo em mais retornos do paciente, abordando os problemas de saúde aos poucos e priorizando as situações mais graves e urgentes.

5. Quais testes rápidos podem ser realizados nas farmácias?

Os testes rápidos podem ser realizados hoje em ambientes como consultórios privados, unidades básicas de saúde, pronto atendimento, empresas, farmácias e até mesmo na casa do paciente. 

São também chamados de “point-of-care testing”.

Os testes rápidos mais procurados em farmácias, são:

Covid-19 IgG/IgM

Covid-19 Antígeno

Beta-HCG (Gravidez)

Glicemia

Hemoglobina Glicada A1c

Perfil Lipídico

Dengue (DUO; IgG/IgM; NS1)

Ácido Úrico

Antígeno Prostático Específico (PSA)

Chikungunya

Covid/Flu A/B Ag

Dímero-D

Estreptococos Grupo A

H. Pylori

Hemoglobina (Hematócrito)

Hepatite B

Hepatite C

Hormônio Luteinizante (LH)

HIV

HIV/Sífilis

Influenza A/B (Gripe)

Malária

Lactato

Proteína C Reativa (PCR)

Rubéola

Sífilis

Toxoplasmose

Vírus Sincicial Respiratório (VSR)

Zika

 

6. Qual o investimento necessário para começar a oferecer?

O investimento depende dos serviços que serão prestados e dos materiais e infraestrutura que você precisará adquirir para iniciar seus serviços.

Sala de Atendimento

Depende muito da necessidade de reforma e do padrão de acabamento desejado. Uma sala básica com divisórias pode sair por menos de R$ 5.000,00. 

A aquisição de móveis e equipamentos básicos, como computador e impressora, pode ficar em torno de R$ 7.000,00.

Além da estrutura física e mobiliário, o investimento em insumos é marginal, pois são itens como álcool 70%, algodão, stopper, papel toalha, entre outros itens normais de consultório.

Procedimentos Básicos e Avançados

Os equipamentos e insumos necessários para esses serviços costumam ter baixo custo. O investimento para adquirir equipamento de pressão, glicosímetro, fita antropométrica e balança gira em torno de  R$ 1.000,00.

Confira mais sobre investimentos pontuais sobre cada serviço aqui.

7. Serviços de saúde em farmácias aumentam as vendas?

Sim, e isso acontece de duas formas diferentes. Uma delas é pela criação de novas oportunidades de vendas geradas pela prestação de serviços.

Um paciente vai a farmácia para receber um serviço e pode adquirir algum medicamento ou produto destinado a melhorar sua saúde, receitados pelo médico ou para problemas detectados pela própria prestação do serviço. 

Falando em números, com a Clinicarx, o farmacêutico Alan Rezende, da PharmaReal, aumentou em aproximadamente 40% seu faturamento

Além de garantir um atendimento personalizado e aumentar a receita, a plataforma ajudou a profissionalizar a operação e valorizar o papel do farmacêutico na atenção primária à saúde.

Existem muitas oportunidades de vendas agregadas para uma série de categorias de produtos de prescrição e isentos de receita médica.

Outra forma de aumentar as vendas é pela fidelização do cliente. Todos os meses, são alguns clientes que compram muitos medicamentos e representam uma parte substancial do seu faturamento. São clientes que “garantem a meta” das vendas da farmácia.

Agora que você já tirou as principais dúvidas que podem surgir na hora de desenhar os seus serviços de saúde em farmácias, não deixe de experimentar gratuitamente a plataforma mais utilizada por farmacêuticos.

Conheça e acesse o plano Free da Clinicarx e comece a oferecer serviços farmacêuticos!

Nova Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial

A nova  Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial é fruto de um trabalho conjunto entre  a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), o Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia (DHA-SBC) e a Sociedade Brasileira de Nefrologia.

A publicação traz novas recomendações para o diagnóstico e tratamento da hipertensão arterial sistêmica.

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença com alta prevalência em todo o mundo e está fortemente associada a mortes por doenças cardíacas.

No Brasil, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte, hospitalizações e atendimentos ambulatoriais.

Apesar de fácil diagnóstico e tratamento eficaz com diversas possibilidades terapêuticas, a doença frequentemente assintomática dificulta a adesão aos cuidados, tornando o controle da HAS difícil em todo o mundo. 

A pressão arterial deve ser medida em toda avaliação por profissionais da saúde capacitados.

Nesse contexto, o farmacêutico, como um profissional de saúde habilitado e capacitado, pode oferecer esse serviço na farmácia e fazer o acompanhamento de pacientes hipertensos.

Para isso, ele deve sempre estar atento às novas recomendações divulgadas em publicações de referência, como é o caso da Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial.

Pensando nisso, destacamos as mudanças da nova diretriz para você conferir neste artigo.

Mudança na classificação da pré-hipertensão

Com a nova diretriz, a pressão arterial (PA) antes considerada normal passou a ser considerada ótima e os valores que eram considerados na definição de pré-hipertensão passaram a ser divididos entre PA normal e pré-hipertensão. 

A pré-hipertensão agora é definida por uma pressão arterial sistólica (PAS) entre 130 e 139 mmHg e/ou pressão arterial diastólica (PAD) entre 85 e 89 mmHg.

Portanto, as classificações da pressão arterial de acordo com medição no consultório ficaram:

Classificação

PAS (mmHg)

PAD (mmHg)

PA ótima

<120

<80

PA normal

120-129

80-84

Pré-hipertensão

130-139

85-89

HAS Estágio 1

140-159

90-99

HAS Estágio 2

160-179

100-109

HAS Estágio 3

≥180

≥110

Fonte: Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

É importante ressaltar que a faixa dos valores de PA normal não são considerados ótimos e deve ser acompanhada mais de perto.

Monitorização Residencial da Pressão Arterial (MRPA)

A MRPA é uma modalidade de medição realizada com protocolo específico que consiste na obtenção de três medidas da PA pela manhã (antes do desjejum e antes da tomada da medicação) e três medidas à noite (antes do jantar) durante cinco dias ou na obtenção de duas medidas pela manhã e à noite durante sete dias consecutivos. 

Os valores de referência para MRPA mudaram e a nova diretriz considera hipertensão arterial quando os valores são maiores ou iguais que 130/80 mmHg, enquanto na Diretriz de 2016 os valores de referência eram 135/85 mmHg.

Metas terapêuticas

A nova diretriz enfatiza a importância de determinar o risco cardiovascular do paciente (a partir da estratificação de risco) para estabelecer as metas pressóricas a serem obtidas com o tratamento anti-hipertensivo.

Confira as metas pressóricas de acordo com o risco cardiovascular: 

META

Risco baixo ou moderado

Risco alto

PA sistólica (mmHg)

<140 mmHg

120-129 mmHg

PA diastólica (mmHg)

<90 mmHg

70-79 mmHg

Fonte: Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

Metas pressóricas para idosos

Na nova Diretriz, os idosos são divididos em dois grupos conforme seu estado global de saúde: hígidos e frágeis.

Confira as metas de tratamento para idosos considerando a condição global de seu estado de saúde e a medida da pressão arterial no consultório:

 

PAS de consultório

PAD de consultório

Condição global

Limiar de tratamento

Meta pressórica

Limiar de tratamento

Meta pressórica

Hígidos

≥140

130-139

≥90

70-79

Frágeis

≥160

140-149

≥90

70-79

Fonte: Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2020)

 Tratamento medicamentoso 

Em relação ao tratamento medicamentoso, a monoterapia passou a ser indicada apenas para pré-hipertensos com alto risco cardiovascular, para pacientes muito idosos ou idosos frágeis e para pessoas com HAS estágio 1 com risco cardiovascular baixo.

Dessa maneira, o início do tratamento com terapia combinada é indicado para pacientes com HAS estágio 1 de risco moderado ou alto, pacientes com HAS estágio 2 e 3.

Assista ao nosso Webinar completo de Acompanhamento de Pacientes Hipertensos com a Clinicarx, ministrado pela farmacêutica Fernanda Alcântara.

Que tal aplicar o conhecimento?

Agora que você já leu sobre as mudanças estabelecidas com a nova Diretriz Brasileira de Hipertensão, lembre-se delas no momento em que estiver fazendo o acompanhamento de um paciente hipertenso ou realizando um rastreamento em saúde.

Além disso, você pode marcar um retorno com os pacientes hipertensos, avaliar as metas terapêuticas e acompanhar mais de perto os pré-hipertensos.

Com a plataforma Clinicarx, além de contar com um checklist para seguir a técnica correta, após a avaliação da pressão arterial você pode imprimir a Declaração de Serviço Farmacêutico (DSF) com um design exclusivo que torna o documento muito mais atrativo e intuitivo para o seu paciente.

Quanto cobrar pela aplicação de injetáveis? Uma análise de mercado.

aplicação de injetáveis

Um dos serviços farmacêuticos mais comuns nas farmácias é a aplicação de injetáveis. O procedimento deve ocorrer na farmácia a partir da apresentação de uma prescrição médica pelo paciente. 

As especificações sobre esse serviço estão descritas nas resoluções 499/08 do Conselho Federal de Farmácia e na RDC 44/2009 publicada pela ANVISA. A autorização legal das farmácias aplicarem injetáveis, porém, é muito mais antiga, remontando à Lei 5.991/1973.

O que é a aplicação de injetáveis?

O serviço de aplicação de injetáveis tem por objetivo administrar medicamentos pela via parenteral, solicitados por prescrição médica ou odontológica. É parte essencial de qualquer tratamento com esse tipo de medicamento.

As farmácias prestam esse serviço essencial há décadas, mas ainda há muito espaço para diferenciação. Existem farmácias que prestam esse serviço com má qualidade, de forma gratuita ou sem o devido profissionalismo. Por outro lado, muitas farmácias já entenderam o valor agregado que esse serviço pode trazer, e já faturam com um serviço diferenciado que transmite muito mais segurança para os clientes.

A aplicação de medicamentos injetáveis pode ocorrer por diversos vias de administração, incluindo subcutânea, intramuscular, intravenosa ou intradérmica. O serviço é prestado em uma sala de atendimento com privacidade e segurança para o paciente.

aplicação de injetáveis
Modelo de uma sala de aplicação de injetáveis e serviços farmacêuticos, com maca. Crédito pelo imagem: Aplicar Saúde.

As vacinas também são medicamentos aplicados por via injetável, mediante prescrição médica ou análise da carteira vacinal conforme o caso, mas possuem uma legislação específica (RDC 197/2017 Anvisa), por isso são consideradas um serviço à parte.

Preços praticados para aplicação de injetáveis em farmácias

Analisamos dados de 209.052 aplicações de injetáveis, realizadas durante o ano de 2020, de janeiro a dezembro, por farmácias que utilizam a Plataforma Clinicarx em todo país. Importante lembrar que os dados incluem todo período de tempo da pandemia de Covid-19.

Em todo país, o preço médio praticado por esse serviço é de R$ 11,40, podendo variar desde o preço simbólico de R$ 1,00 até R$ 50,00 por aplicação. A região com maior preço médio é o Sul, com R$ 13,36 por aplicação, seguida pelo Nordeste, com R$ 11,32. A região com menor preço praticado é o Sudeste, com apenas R$ 9,64 por aplicação.

A seguir, confira a tabela nacional contendo preço médio, mínimo e máximo praticados para esses serviços conforme a região do país.

Serviço de aplicação de injetáveis: preços praticados

Região Preço mínimo Preço máximo Preço médio
Centro-Oeste R$ 3,00 R$ 15,00 R$ 9,75
Nordeste R$ 1,00 R$ 50,00 R$ 11,32
Norte R$ 4,99 R$ 15,00 R$ 11,11
Sudeste R$ 2,00 R$ 24,99 R$ 9,64
Sul R$ 1,50 R$ 25,00 R$ 13,36
Total Brasil R$ 1,00 R$ 50,00 R$ 11,40
Preços praticados por farmácias para aplicação de injetáveis no Brasil. Dados considerando 209.052 aplicações por mais de 3 mil farmácias localizadas em todas as regiões do país.

Considerando o preço médio nacional, observou-se um faturamento em 2020 da ordem de 2,3 milhões de reais. Uma farmácia que realiza, por exemplo, 50 aplicações/mês pode faturar apenas com esse serviço simples entorno de R$ 570,00 por mês, podendo chegar a R$ 2.500,00/mês. Portanto, esse faturamento no ano pode variar de R$ 6.000,00 a R$ 30.000,00 por farmácia.

Em uma farmácia que fatura, por exemplo, R$ 50.000,00/mês, a aplicação de injetáveis pode representar entre 1% a 5% do faturamento, dependendo do preço cobrado, com uma margem bruta de 80-90 % sobre esse valor. Quanto maior o preço, maior a margem.

Outro aspecto importante a ser considerado é a contribuição do serviço de aplicação de injetáveis para a margem agregada da venda do produto. Tomando como exemplo o medicamento Disprospan Suspensão Injetável, que possui um preço de varejo próximo a R$ 28,00, a aplicação do medicamento, considerando a média do mercado, eleva o ticket da venda para R$ 39,40, um aumento de 40,7%. Sem contar a contribuição para o lucro líquido da venda, potencializado pela prestação do serviço.

Drogaria Venancio: exemplo de sucesso em injetáveis e serviços

Uma das farmácias que se destacam nacionalmente na prestação de serviços farmacêuticos é a Drogaria Venancio. São vários serviços farmacêutico prestados, como checkups de pressão arterial, prescrição farmacêutica, vacinas, testes rápidos e aplicação de medicamentos injetáveis.

O faturamento da rede com prestação de serviços já era destaque antes da pandemia do Covid-19, tendo a aplicação de injetáveis como um dos carros-chefe, tanto em volume como em valor.

Conforme explica Renane Bernardes, supervisora farmacêutica da rede: “Os serviços farmacêuticos devem ser cobrados. Inclusive o nosso preço no serviço de injetáveis fica acima da média nacional, pois estrategicamente colocamos esse serviço cobrado nas filiais em que nossos clientes percebem mais valor”.

Conclusão: vale a pena fazer esse serviço na farmácia?

Os números mostram que sim. Este é um serviço tradicional, demandado pelas pessoas e que, se bem feito, pode agregar à rentabilidade do estabelecimento. Para valer a pena, farmacêutico e proprietário devem cobrar pelo serviço e entregar uma qualidade de serviço condizente com esse preço.

Além disso, há diversas oportunidades escondidas nesse serviço. Se bem aproveitadas, podem transformar sua farmácia em referência e levar seus ganhos para outro nível. Por exemplo:

  • Aplicação de injetáveis de uso longo ou contínuo, com agendamentos, por exemplo anticoncepcionais hormonais;
  • Atendimento domiciliar, com cobrança de taxa extra;
  • Aplicação de medicamentos de alto custo, que os pacientes tem dificuldades em conseguir;
  • Aplicação por via endovenosa, com valor diferenciado, pois muitas farmácias não prestam mais esse serviço;
  • Serviços especiais para diabéticos, com plano de assinatura para aplicação e acompanhamento do uso de insulinas;
  • Eventos e treinamentos para cuidadores e pacientes que precisam fazer auto-aplicação em casa;
  • Entre outras!

O que você precisa para começar?

Para realizar esse serviço na sua farmácia, você precisa dispor de uma sala de atendimento, deve regularizar esse serviço na licença sanitária e profissional treinado em aplicação de injetáveis. Além disso, todas as aplicações devem ser registradas, você deve fornecer a declaração de serviço farmacêutico (DSF) ao paciente e ter um relatório completo de medicamentos aplicados e prescritores, que será fiscalizado pela vigilância sanitária (VISA).

Confira no vídeo abaixo, uma demonstração de como registrar uma aplicação de medicamento injetável na farmácia.

Se você deseja organizar esse serviço em sua farmácia, a Clinicarx oferece uma plataforma completa que inclui treinamento, software, DSF, relatório automático para VISA, além de outras dezenas de serviços de saúde que podem potencializar as vendas da sua farmácia. E o melhor, você pode começar sem pagar nada! Ative seu Plano Free do Clinicarx agora mesmo.

Aplicar injetáveis na farmácia: vias de administração

injetáveis na farmácia

Um dos serviços mais realizados nas farmácias é a aplicação de injetáveis. O procedimento deve ocorrer na sala de serviços clínicos, a partir da demanda do cliente que chega na farmácia com uma prescrição médica.  

As orientações sobre esse serviço estão descritas nas resoluções 499 do Conselho Federal de Farmácia e na RDC 44/2009 publicada pela ANVISA.

Vamos conhecer um pouco sobre o processo de aplicação de injetáveis e as principais  vias de administração?

Aplicação de medicamentos injetáveis nas farmácias

Entre as classes de medicamentos mais administradas na farmácia estão os corticosteróides, vitaminas, anticoncepcionais e antimicrobianos.

É importante ressaltar que os medicamentos injetáveis na farmácia só devem ser administrados pelo  farmacêutico ou por profissional habilitado mediante a presença ou supervisão do farmacêutico

O ambiente destinado ao serviço de aplicação de injetáveis deve ser distinto do local de dispensação e circulação de pessoas, garantindo privacidade e conforto do cliente.

Não se esqueça: a farmácia deve garantir que a sala seja provida de lavatório contendo: água corrente, sabonete líquido, gel bactericida e álcool 70% para antissepsia, toalha de uso individual e descartável, lixeira com pedal e tampa e caixa especial para coleta de material perfurocortante.

Não existe uma lista definindo quais são os medicamentos injetáveis que podem ser administrados nas farmácias. 

Porém, segundo a RDC 44/2009, devemos sempre ficar atentos aos medicamentos que são exclusivamente de uso hospitalar porque esses medicamentos não podem ser administrados nas farmácias

O Plasil® e Kanakion® são exemplos de medicamentos cuja administração é proibida na farmácia. 

Vias de administração dos injetáveis na farmácia

A administração de medicamentos injetáveis inclui as seguintes vias: 

  • subcutânea;
  • intramuscular;
  • intravenosa;
  • intradérmica.

     

Na RDC 44/2009 não estão descritas as vias de administração permitidas para aplicação de injetáveis na farmácia, mas as vias mais comuns são: a via intramuscular (IM) e a subcutânea (SC).

Essas duas vias serão abordadas neste artigo.

Cuidados necessários que precedem a injeção

 

Ao chegar na sua farmácia, o paciente irá entregar a receita médica contendo o medicamento prescrito. 

É importante que seja feita avaliação da prescrição com o propósito de identificar o medicamento prescrito e a via de aplicação indicada para o medicamento, de acordo com o fabricante e informações na literatura científica. 

Existem regiões e vias de administração recomendadas para cada tipo de grupo de medicamentos. 

Adicionalmente, o farmacêutico precisa inspecionar de maneira visual e tátil o local onde será aplicada a injeção. 

É necessária a atenção especial ao local com o propósito de identificar a presença de condições que impedem a aplicação do injetável no local escolhido. 

Não é recomendada injeção nos locais onde são identificados sinais de inflamação (vermelhidão e inchaço), nódulo, cicatriz, implante de silicone (na região do glúteo, por exemplo) e  tatuagem.

 Vamos conhecer sobre as técnicas de aplicação, as vias mais comuns  e suas respectivas particularidades.

Via subcutânea

  • Essa via é utilizada para a administração de alguns injetáveis na farmácia como vacinas, hormônios, insulinas e anticoagulantes.

A via subcutânea comporta pequenos volumes e é indicada para para administração de soluções que necessitam ser absorvidas mais lentamente, garantindo ação contínua do medicamento. 

Essa via é destinada para volume máximo de 1,5 mL  de medicamento que será administrado no tecido conjuntivo, localizado abaixo da derme. 

As agulhas devem preferencialmente ser pequenas (6 mm e 8 mm) para evitar aplicação intramuscular não desejada.

O ângulo de aplicação é determinado pelo comprimento da agulha. Nos casos da agulha 13×4,5 (canetas) o ângulo indicado é de  90º e para a agulha  25×6, o ângulo indicado é de 45º. Quanto maior for o comprimento da agulha, menor será o ângulo para aplicação. 

Os locais mais comuns para injeção pela via subcutânea são:
região do deltóide, no terço proximal ou na face superior externa do braço; face anterior do antebraço; região frontal ou lateral externa da coxa; região lateral direita ou esquerda do abdômen; região superior externa do glúteo. 

Vamos ver o passo a passo do procedimento técnico para administração de injetáveis para essa via:

  • Faça a antissepsia do local utilizando algodão embebido em álcool 70% ou álcool swab;
  • Pince a dobra subcutânea da região com os dedos indicador e polegar, fazendo uma prega;
  • Insira a agulha em um ângulo de 45 ou 90º, dependendo do medicamento e do comprimento da agulha. 
  • Injete o medicamento lentamente e aguarde o tempo de retirada da agulha após o êmbolo ser completamente pressionado (5 segundos para seringas e 10 segundos para canetas);
  • Retire a agulha no mesmo ângulo que foi inserida;
  • Solte a prega cutânea
  • Faça uma leve compressão no local com uma bola de algodão ou gaze seca (sem massagear);
  • Coloque curativo pós-punção ou micropore/esparadrapo + algodão no local de aplicação;
  • Despreze a agulha e a seringa no descarte.

Via intramuscular

A administração pela via intramuscular é a mais comum na farmácia e consiste na aplicação de medicamentos nas camadas musculares. A quantidade máxima de líquido é determinada de acordo com o músculo escolhido para a aplicação

Essa via é utilizada para administrar medicamentos para administração de volumes superiores a 1,5 mL de soluções irritantes (aquosas ou oleosas) que necessitam ser absorvidas rapidamente e também quando efeitos mais rápidos são desejados.

Os locais de administração utilizados são deltóide, vasto lateral da coxa, dorso glúteo ou músculo grande glúteo. É importante aplicar a injeção em local distante dos grandes nervos e dos vasos sanguíneos.

Procedimento técnico – técnica em Z:

Você conhece essa técnica? 

Ela é utilizada para administrar substâncias irritativas e para evitar que ocorra o refluxo do medicamento.

Para aplicação de injetáveis na farmácia com a técnica em Z, escolha músculos grandes, como os da região dorsal e ventroglútea. 

  • Faça a antissepsia do local utilizando algodão embebido em álcool 70% ou álcool swab; 
  • Posicione a mão não dominante logo abaixo do local e puxe a pele aproximadamente 2,5 a 3,5 cm para baixo, ou lateralmente com o lado ulnar da mão.
  • Segurando a pele esticada, introduza a agulha de uma só vez e com firmeza; 
  • Tracione o êmbolo, certificando-se de que o medicamento não será aplicado em um vaso. Se não houver retorno de sangue, injete o medicamento lentamente;
  • Após o medicamento ser completamente injetado, espere 10 segundos e então retire suavemente a agulha no mesmo ângulo que foi inserida; 
  • Coloque bolinha de algodão no local fazendo uma leve compressão (não massagear); 
  • Coloque um curativo pós-punção ou micropore/esparadrapo + algodão sobre o local da injeção; 
  • Despreze a agulha e a seringa no descarte.

 

Agora você, farmacêutico, já conhece as principais vias de administração e o que precisa saber sobre cada uma delas. Aplique injetáveis na farmácia com mais segurança. 

Na plataforma Clinicarx, você pode anexar a prescrição médica do injetável, colocar os dados do paciente e do médico que prescreveu e emitir sua Declaração de Serviço Farmacêutico para entregar ao seu paciente, conforme exigência da Anvisa

O procedimento, dados e registros do paciente ficam armazenados na plataforma para que você consiga consultar sempre que precisar ou no retorno do paciente para outras aplicações. 

Quer conhecer mais a Clinicarx? Visite nosso site e veja como a gente pode ajudar você a impulsionar sua farmácia com serviços em saúde.

Serviço clínico cresce em farmácias independentes

foto de um serviço farmaceutico

Atenção farmacêutica chega a representar 45% do faturamento da loja

A implementação de salas de assistência clínica, já consolidada em redes grandes e médias do varejo farmacêutico, chega também às farmácias independentes. Os estabelecimentos encontram nesses serviços um caminho para ampliar a rentabilidade e fidelizar consumidores, hoje mais dispostos a frequentar lojas de bairro em função do distanciamento social.

Para colocar em prática esse modelo e garantir a padronização dos serviços, as pequenas farmácias contrataram a plataforma digital da Clinicarx. É o caso da Attive Pharma, farmácia de manipulação localizada em Campo Grande (MS), onde a atenção farmacêutica já totaliza 45% do faturamento.

A farmácia foi a primeira do Brasil a executar a testagem de anticorpos para a detecção da Covid-19 e pioneira no estado a realizar o teste de antígeno, com uma média de 220 atendimentos por dia. “Nosso grande diferencial é a entrega do laudo que explica detalhadamente o resultado, o ciclo da doença e as orientações necessárias caso o teste seja positivo”, afirma a diretora Flavia Buainain.

Outra farmácia que também aderiu a esse modelo foi a PharmaReal, localizada em Conselheiro Lafaiete (MG). A loja mantém serviços de teste glicêmico, aplicação de injetáveis, avaliação antropométrica, distribuição corporal, hábito tabágico, check-up de pressão arterial e teste rápido da Covid-19. “Além de garantir um atendimento personalizado e aumentar a receita, a plataforma ajudou a profissionalizar a operação e valorizar o papel do farmacêutico na atenção primária à saúde”, explica o proprietário Alan Rezende.

E são os farmacêuticos clínicos que também estão descobrindo as vantagens do uso da plataforma. Uma delas é Layz Santos, que possui um consultório em uma clínica de estética no Rio de Janeiro (RJ) e utiliza a solução da Clinicarx para gerenciar os atendimentos de avaliação antropométrica, análise de bioimpedância, índice de massa corporal e aferição de pressão arterial voltada para a área de modificação corporal.

Já para a farmacêutica Daniely Proença, que administra um consultório dentro de uma clínica médica no Mato Grosso do Sul, o uso da plataforma de serviços clínicos contribui para armazenar o histórico de saúde e emitir gráficos e relatórios, que servem de apoio para o paciente e os profissionais de saúde a quem ele recorre.

“O fato de conseguir montar uma rotina de medicação, com um calendário posológico personalizado e que gera resultados a curto prazo, faz com que aquele paciente traga outros membros de sua família, cuidadores e até médicos para conhecerem os serviços que ofereço no meu consultório”, ressalta Daniely.

Farmácias independentes interessadas em implantar os serviços podem acessar o link. Por ele, é possível fazer um agendamento sem compromisso de análise e diagnóstico de sua empresa.

Sobre a Clinicarx

Fundada em 2016, a Clinicarx é a maior plataforma online de serviços de saúde voltados às farmácias e drogarias do Brasil. Esses estabelecimentos encontram um modelo validado de como oferecer serviços clínicos a seus clientes, tornando-se mais rentáveis e competitivos. O software auxilia na implementação de serviços como vacinação, exames rápidos, acompanhamento de pacientes crônicos e no gerenciamento de atividades como o registro eletrônico de atendimentos, treinamento, suporte científico, comercial e financeiro. Está presente em mais de 3 mil pontos de saúde, distribuídos por mais de 600 municípios de 26 estados e no Distrito Federal. Em 2020, a plataforma ultrapassou a marca de 1 milhão de atendimentos.

Texto: Scritta Assessoria de Comunicação

Condições clínicas acentuadas pela Covid-19

Condições clínicas acentuadas pela Covid-19

Os primeiros casos por infecção da COVID-19 aconteceram em Wuhan, província de Hubei (China), em meados de dezembro de 2019, e se espalharam rapidamente pelo mundo. O agente etiológico da doença, SARS-CoV-2, é um beta-coronavírus, do mesmo tipo de vírus que causa a Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS). 

Diversos estudos clínicos com pacientes infectados por SARS-CoV-2 estão em andamento e outros já foram concluídos, com o objetivo de entender as manifestações da doença, seus desdobramentos e possíveis sequelas a longo prazo. 

Grupos de risco foram sinalizados, como portadores de doenças crônicas, incluindo Hipertensão, Diabetes Mellitus, Insuficiência Venosa e Síndromes Respiratórias, demonstrando haver um agravamento destas condições em casos de infecção pelo vírus SARS-CoV-2.

Sintomas da COVID-19

Os sintomas da COVID-19 podem ser leves, acentuados ou graves, além dos casos de pacientes assintomáticos. Clinicamente, consideram-se 3 categorias: portadores assintomáticos, indivíduos com doença respiratória aguda (DRA) ou pacientes com pneumonia em diferentes graus de gravidade.

Os sintomas se manifestam de forma semelhante à síndrome gripal, o que torna necessário o diagnóstico diferencial através da detecção do antígeno em amostra biológica do paciente suspeito da infecção por SARS-CoV-2. 

Em relação aos sintomas, febre, tosse seca e cansaço são mais comuns, seguidos de dificuldade respiratória, coriza, dores musculares e dor de cabeça. Em quadros graves, o paciente pode apresentar insuficiência respiratória e necessitar de internamento em UTI para uso de ventilação mecânica.

SARS – Síndrome Respiratória Aguda Severa 

A Síndrome Respiratória Aguda Severa causada pelo coronavírus (SARS), teve seu surto registrado em 2003, no histórico de uma epidemia que levou 9 meses para ser controlada. O vírus passou a ser identificado pela sigla SARS-CoV e nenhum novo caso foi identificado desde então. 

Em 2019, um segundo coronavírus capaz de provocar estes mesmos sintomas dá início à atual pandemia. O vírus recebe a sigla SARS-CoV-2 e provoca a doença que conhecemos como COVID-19. 

Uma das observações clínicas importantes é o risco de sequelas em pacientes recuperados da COVID-19 que desenvolveram os sintomas da SARS. Em alguns casos, os pacientes apresentaram deficiências pulmonares persistentes, com redução de até 30% na taxa de difusão pulmonar. 

Condições clínicas acentuadas pela Covid-19

Covid-19 e Condições Tromboembólicas – Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar

 

Em casos graves de manifestação da COVID-19, alterações na coagulação do sangue podem desencadear ou acentuar quadros de Trombose Venosa. Segundo pesquisa da SBACV-RJ, há uma predisposição de risco de trombose na doença do coronavírus (SARS-CoV-2) 

Os níveis altos do marcador Dímero D e os resultados anormais na coagulação sanguínea demonstraram relação direta com o agravamento da doença da COVID-19 e pior prognóstico. Fatores de risco devem ser considerados ao analisar esse quadro, como idade, obesidade, tabagismo, além de elevação nos índices de IL-6 e troponina. Alguns pacientes que apresentam risco para TVP desencadearam a doença após infecção por SARS-CoV-2. 

O vírus infecta as células de uma enzima presente em grande número nos pulmões e nas células endoteliais, o que leva à hipercoagulação e induz à trombose pelo aumento da consistência do sangue. 

O quadro de Trombose Venosa Profunda se acentua e pode evoluir para outras condições clínicas, como cianose, que pode comprometer a circulação arterial com risco elevado. A embolia pulmonar também é uma complicação grave da TVP, que bloqueia o fluxo sanguíneo para o pulmão. 

A embolia pulmonar se origina de trombos nas veias profundas. Alguns coágulos sanguíneos podem danificar as válvulas das veias, o que gera insuficiência venosa crônica, uma complicação de quadros de Trombose. 

Mesmo em pacientes sem histórico de coagulação ou trombofilia, o quadro de trombose evoluiu, o que foi associado à infecção da COVID-19 como fator a ser considerado nesse processo. 

Risco da Covid-19 aos pacientes com Diabetes Mellitus

A doença do coronavírus se manifesta de forma mais grave em pacientes com condições clínicas subjacentes como hipertensão, câncer, doença pulmonar crônica, quadro cardiovascular, e diabetes mellitus. O diabetes já foi associado a maiores complicações de outras infecções como a Influenza A (H1NI). 

Estudos clínicos da Primary Care Diabetes, demonstram que a susceptibilidade a infecções virais de pacientes com diabetes é maior, devido ao desempenho da imunidade afetada devido à doença. 

A hiperglicemia afeta a atividade imunológica de neutrófilos e fagófagos, o que impede que o sistema de imunidade atue com a mesma efetividade contra agentes infecciosos, como o coronavírus, além de outras complicações diabéticas como  insuficiência vascular e neuropatia periférica. 

A resistência à insulina da diabetes associada à doença da Covid-19 pode desencadear quadro pró-trombótico hipercoagulável. Essa hipercoagulação possibilita o desenvolvimento da “tempestade de citocinas”, complicação grave da infecção do coronavírus (produção alterada de citocinas como IL-6, IL-10 e TNFa). Em pacientes infectados e com diabetes, os índices de neutrófilos, proteína C reativa (CRP), dímero-D, são mais altos do que em pacientes infectados, mas sem a doença crônica. 

Alterações pulmonares causadas pela infecção também são acentuadas em pacientes com diabetes, devido às condições instáveis dos pulmões que a diabetes pode causar, como estresse oxidativo, micro ou macroangiopatia dos capilares alveolares e arteríolas pulmonares.

Outros fatores de risco sempre devem ser levados em conta, como idade, obesidade e outras condições clínicas. 

Diagnóstico

O diagnóstico da SARS e da COVID-19 se dá por exames laboratoriais específicos que indicam níveis desregulados de linfócitos CD4 e CD8, tempo prolongado de protrombina (PT), LDH, Dímero-D, PCR.

Outra condição clínica, como a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), foi associada à manifestação da infecção do coronavírus. Segundo estudo da ATS Journals, entre os hospitalizados pela COVID-19, 42% manifestam quadros de insuficiência respiratória pela SDRA. 

O diagnóstico clínico decorre da instalação aguda de insuficiência respiratória e da evidência de opacidades alveolares nos quatro quadrantes dos campos pleuropulmonares na radiografia de tórax. 

Em relação à SDRA, os sobreviventes desenvolveram fibrose pulmonar substancial enquanto sequelas, principalmente em pacientes que foram tratados com oxigenação por membrana extracorpórea. 

Assim, em relação aos pacientes que vieram a óbito, segundo o estudo, a imunidade instável e a carga viral nasofaríngea, ou seja, a quantidade de vírus no trato respiratório, podem estar associadas ao agravamento da doença que leva à morte. Já que quantidades diferentes foram encontradas em pacientes recuperados e não recuperados, na qual a infecção e a síndrome respiratória foram mais agressivas. 

Testes Rápidos Clinicarx

A pandemia do coronavírus mudou o cenário da saúde, com isso, as farmácias se transformaram em pontos de saúde acessíveis para rastreamento de testes para Covid-19.

Com o serviço de Testes Rápidos do Clinicarx, você pode realizar Testes Laboratoriais Remotos (TLR), com todo suporte do nosso Laboratório Clínico Central, e assim obter um laudo laboratorial válido para entregar ao seu paciente. Confira como implementar o serviço de testes rápidos em seu consultório.

Você pode encontrar também um curso completo online sobre o assunto em nossa plataforma educacional, ideal para quem está começando no tema.

Clinicarx é a Plataforma Digital que leva serviços básicos de saúde a farmácias e consultórios de todo Brasil. Presente em todos os estados brasileiros, auxilia profissionais a estruturarem seu portfólio de serviços e padronizar protocolos de atendimento.

Se você é proprietário ou profissional da saúde e deseja ampliar seu negócio oferecendo serviços como avaliações de saúde, acompanhamento de pacientes crônicos, vacinação e exames rápidos, embarcados em muita tecnologia, descubra o que o Clinicarx pode fazer por você.