Teste rápido para Dengue na farmácia, métodos e orientações ao paciente

O teste rápido para dengue auxilia no rastreamento, em caso de suspeita da doença, para pessoas com sintomas sugestivos ou sob risco.

Está sem tempo para ler este artigo?

Escute o áudio completo com todo conteúdo:

Com o fim da pandemia, decretado pelo Ministério da Saúde, o papel das farmácias e drogarias segue sendo central no cuidado à saúde da população. Serviços clínicos são uma das principais fontes de renda e proporcionam acessibilidade aos pacientes que encontram na farmácia um ponto de saúde.

O mix de serviços pós-covid, como plano da continuidade do cuidado, segue a lógica da oferta de atendimentos resolutivos e práticos. Exames e procedimentos clínicos representam boa parte da demanda em farmácias e os clientes buscam cada vez mais por um atendimento completo.

Serviços clínicos e procedimentos de rastreamento e prevenção são os grandes pilares do cuidado primário à saúde, principalmente pós esse período de 2 anos de isolamento em que outras doenças voltaram a aparecem, como a Dengue.

A Dengue é uma arbovirose causada pelo vírus da Dengue, que é transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado.

Existem 4 sorotipos do vírus: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4.

O teste rápido para dengue auxilia no rastreamento, em caso de suspeita da doença, para pessoas com sintomas sugestivos ou sob risco. É um exame de detecção qualitativa e simultânea de anticorpos IgG, IgM e/ou do antígeno do vírus da Dengue NS1 dos quatro sorotipos.

BANNER BLOGPOST DENGUE

Os Testes rápidos para Dengue

Com o aumento dos casos de Dengue, mais de 26 mil foram registrados no início deste ano só no Distrito Federal, levanta-se novamente a importância da prevenção, dos cuidados e da testagem para pessoas que estejam com sintomas ou que tiveram contato com área endêmicas.

  • Utilize sempre repelente em áreas de infestação;
  • Evite deixar recipientes com água parada dentro de casa e áreas externas;
  • Em áreas de infestação, utilize roupas claras e que cubram boa parte do corpo;
  • Faça os exames de rotina caso necessário.

Vamos conhecer os tipos de teste rápido para dengue encontrados em farmácias e drogarias.

Teste rápido para Dengue Anticorpos IgG/IgM

Indicado para pessoas com sintomas sugestivos de Dengue entre 3 a 10 dias (para pesquisa de anticorpos).

O teste é indicado também para pessoas residentes ou visitantes de áreas endêmicas nos últimos 14 dias, com finalidade de rastreamento.

Teste rápido para Dengue DUO IgG/IgM anti-dengue e antígeno

O testes rápido para Dengue simultâneo é recomendado para pessoas com suspeita de infecção ou com sintomas sugestivos, é um exame imunocromatográfico para a detecção simultânea e diferencial de anticorpos IgG e IgM anti-dengue e antígeno da dengue (NS1), em amostras de sangue total capilar.

Os anticorpos para Dengue reconhecem os antígenos de todos os quatro sorotipos do vírus da Dengue. Quando um volume suficiente da amostra a ser testada é dispensado dentro da cavidade da amostra no dispositivo teste, a amostra migra por ação capilar.

Anticorpo IgG anti-Dengue, se presente na amostra, se ligará ao Dengue Ag conjugado. O imunocomplexo é então capturado na membrana pelo anti-IgG humano, formando uma linha de coloração vermelha na região G, indicando teste reagente para IgG anti-Dengue.

O antígeno da Dengue, se presente na amostra, será reconhecido pelo anticorpo de Dengue conjugado. O imunocomplexo é então capturado na membrana pelo anticorpo de camundongo anti-antígeno da Dengue, formando uma coloração vermelha na linha T, indicando um resultado reagente para o antígeno da Dengue. A ausência de coloração nas linhas das regiões G, M ou T sugerem resultado não reagente.

Teste rápido para Dengue Antígeno NS1

Esse teste rápido é indicado para pessoas com sintomas sugestivos de Dengue há 1 dia, para pesquisa de antígenos virais.

> O teste rápido para dengue não é recomendado para pacientes sem indicação clara.

Pacientes com sintomas há 3 dias ou mais podem apresentar resultado falso-negativo na pesquisa de antígenos virais, devido ao processo de soroconversão. Para esses casos, o teste mais recomendado é o de anticorpos IgG/IgM.

Teste para pacientes assintomáticos recomendado apenas para residentes ou visitantes de áreas endêmicas.

Cuidados com o paciente antes da realização do teste

Antes de decidir pela execução do teste rápido para dengue, observe se o paciente apresenta sinais de alerta, que requerem encaminhamento imediato ao médico.

Para isso, realize medida da pressão arterial, frequência cardíaca e temperatura corporal.

Observe ainda o estado mental do paciente (cognição, confusão mental, fala desarticulada), os movimentos respiratórios e a saturação de oxigênio, utilizando oxímetro de dedo.

Onde fazer o exame? Acesse aqui e faça o agendamento online na farmácia mais próxima.

Valores considerados normais

O resultado esperado do teste rápido para Dengue é não reagente. No caso de anticorpos, um resultado não reagente indica ausência de exposição prévia ao vírus.

No caso do antígeno, o resultado não reagente indica ausência de infecção atual pelo vírus da Dengue.

A metodologia clássica imunocromatográfica ou imunofluorescência, capaz de detectar e diferenciar anticorpos específicos IgM e IgG, permite ao profissional de saúde conduzir o atendimento de forma mais assertiva e eficaz. 

Com o resultado em mãos e analisando as condições clínicas apresentadas pelo paciente, é possível realizar a orientação e/ou encaminhamento mais adequado, facilitando a tomada de decisão.

Hemograma completo, hematócrito, contagem de plaquetas e dosagem de albumina são exames complementares que auxiliam na avaliação da gravidade da condição e no monitoramento dos pacientes com suspeita ou diagnóstico.

São especialmente relevantes para os pacientes que apresentam sinais de alarme ou gravidade.

Observa-se leucopenia com linfocitose, plaquetopenia/trombocitopenia, hemoconcentração e hipoalbuminemia como quadro clínico laboratorial frequente.

O diagnóstico diferencial de outras arboviroses como Chikungunya e Zika é recomendado.

A dengue é uma doença de notificação compulsória. Portanto, uma vez confirmado o diagnóstico, deve-se notificar o Ministério da Saúde.

A regulamentação específica vem da Portaria de consolidação MS/GM nº 4, de 28 de setembro de 2017.

Tratamento e orientações ao paciente na farmácia

Não há tratamento específico e a doença apresenta cura espontânea em cerca de 10 dias. É incomum a ocorrência de síndrome de fadiga pós-viral após a recuperação.

Atualmente, o tratamento consiste em:

  • Manejo sintomático pelo uso de medicamentos analgésicos e antitérmicos e inclui repouso e ingestão de líquidos (reidratação oral com soro, sopa, suco, água de coco, entre outros).
  • Compressas em temperatura ambiente na testa e pescoço podem auxiliar na contenção da febre.
  • Cuidados hospitalares podem ser requeridos em casos graves.

É contraindicado o uso de produtos com ácido acetilsalicílico e AINEs (anti-inflamatórios não-esteroidais) devido ao aumento do risco de hemorragia.

Após a realização do teste rápido para dengue, você deve orientar o paciente a procurar atendimento médico em 72 horas para reavaliação ou imediatamente ao surgimento de sinais de alerta.

O Ministério da Saúde não recomenda o uso de homeopatia como substitutivo ao tratamento recomendado. Além disso, seu uso na forma de prevenção da dengue não deve ser indicado.

Diagnóstico da Dengue

O diagnóstico é clínico e feito por médico, que utiliza de exames laboratoriais para confirmar o diagnóstico.

É feito através da sorologia ou teste rápido para Dengue que busca pela presença de anticorpos contra o vírus da dengue (3 dias após o início dos sintomas) ou de antígenos virais (1 dia após o início dos sintomas).

Reações cruzadas com Dengue IgM/IgG, anticorpo heterófilo, Zika vírus, Chikungunya e Febre amarela são considerados interferentes para o teste.

Dados da Dengue no Brasil

Segundo o Boletim Epidemiológico 34 (Volume 52) do Ministério da Saúde, até a semana epidemiológica 37 (3/1/2021 a 18/9/2021) ocorreram 471.880 casos prováveis (taxa de incidência de 221,2 casos por 100 mil habitantes) de dengue no Brasil.

Em comparação com o ano de 2020, houve uma redução de 49,9% de casos registrados para o mesmo período analisado.

A Região Centro-Oeste apresentou a maior taxa incidência de dengue, com 489,6 casos/100 mil habitantes, seguida das Regiões:

  • Sul (217,8 casos/100 mil habitantes);
  • Sudeste (203,4 casos/100 mil habitantes);
  • Nordeste (194,9 casos/100 mil habitantes);
  • Norte (154,2 casos/100 mil habitantes).

Na contramão da taxa de incidência de casos em nível nacional, a cidade de São Paulo, até o último Boletim Epidemiológico (Semana 38/2021) publicado, registrou 7.083 casos confirmados de Dengue.

Esse valor é quase 3,5 vezes maior que todos os casos confirmados no ano de 2020 na cidade.

Somente nos 4 primeiros meses do ano de 2021, os casos de Dengue na cidade de São Paulo já superaram todos os casos notificados no ano anterior.

De acordo com o boletim da prefeitura paulistana, 4.767 casos foram confirmados, superando, em muito, os 2.026 confirmados no ano de 2020.

Ainda, o Governo do Estado do Paraná publicou o Informe Epidemiológico nº 05/2021-2022 (SE 31 a 37) com uma predominância do sorotipo DENV-2 em 2019 e 2020, voltando a prevalecer o sorotipo DENV-1 até o primeiro semestre de 2021.

2022

Segundo o InfoDengue da Fiocruz, casos de dengue cresceram em 43,9% no Brasil desde o início de 2022. Segundo a coordenadora, Cláudia Codeço, a redução de ações preventivas durante a pandemia de Covid-19 pode ter sido um dos fatores para o aumento.

Até o dia 12 de março, o número de notificações de prováveis casos positivos chegou a 161.605, o que representa 75,8 por 100 mil habitantes. Confira a distribuição por região segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde:

  • Região Centro-Oeste com 204,2 casos por 100 mil habitantes;
  • Região Norte (97,4 casos/100 mil habitantes);
  • Região Sul (49 casos/100 mil habitantes);
  • Região Sudeste (47,9 casos/100 mil habitantes);
  • Região Nordeste (31 casos/100 mil habitantes).

Testes Rápidos Clinicarx

Com o serviço de Testes Rápidos do Clinicarx, você pode realizar exames, com todo suporte do nosso Laboratório Clínico Central.

Assim, você obtém um laudo laboratorial válido para entregar ao seu paciente. Confira como implementar o serviço de testes rápidos em seu consultório.

Você pode encontrar também um curso completo online sobre o assunto em nossa plataforma educacional, ideal para quem está começando no tema.

Clinicarx é seu Software para Serviços Farmacêuticos que leva serviços básicos de saúde a farmácias e consultórios de todo Brasil.

O Teste Rápido para Dengue está incluso no nosso plano gratuito da Clinicarx, você pode começar a utilizar hoje de forma gratuita e por tempo ilimitado, são diversos testes rápidos para você oferecer e aumentar seu faturamento!

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com a sua rede.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
5 1 voto
Avaliação
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Sumário

Busca

Compartilhe

News Clinicarx

Clinicarx + 1000 inscritos no Youtube

A Clinicarx é a Plataforma que leva Serviços de Saúde à população através das farmácias.

Quer saber mais sobre serviços farmacêuticos?

Amanda Souza
Amanda Souza
Jornalista, Mestranda em Comunicação e Estudos de Mídia, Analista de Conteúdo da Clinicarx.
Confira minhas postagens

News Clinicarx

Aproveite e veja também

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para personalizar e melhorar a sua experiência conosco.
Para mais informações sobre cookies bem como para exercer o seu direito de desabilitá-los, consulte nossa Política de Privacidade.  Ao Clicar em aceitar, você concorda com todos os cookies.