Sábado, 25 de Maio de 2024

Vacina hexavalente: mitos e verdades desvendados

<span class="artigo-escrito">Artigo escrito por: </span>Cassyano Correr

Artigo escrito por: Cassyano Correr

Farmacêutico. Mestre em Ciências Farmacêuticas. Doutor em Medicina Interna.

Todos os meus artigos

imunização com a hexavalente, auxiliando os pais a compreender melhor a importância de vacinar seus filhos contra as doenças protegidas por esta imunização.

O que é a vacinação hexavalente?

A vacina hexavalente é uma vacina combinada que protege contra seis doenças diferentes: difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenzae tipo b e poliomielite. Essas doenças são altamente contagiosas e podem causar complicações graves, como paralisia, cegueira e até mesmo a morte. A vacinação hexavalente é administrada em três doses, com reforços recomendados mais tarde na infância.

Verdade: a vacina hexavalente é segura e eficaz

Muitos pais têm medo de vacinar seus filhos devido a boatos de que as vacinas podem ser perigosas ou causar efeitos colaterais graves. No entanto, a vacina hexavalente é segura e eficaz. Ela foi extensamente testada antes de ser aprovada para uso e é monitorada continuamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para garantir sua segurança. A maioria dos efeitos colaterais é leve, como dor no local da injeção, vermelhidão e inchaço. Efeitos colaterais graves são raros.

Mito: as vacinas podem causar autismo

Um dos mitos mais persistentes sobre as vacinas é que elas podem causar autismo. No entanto, esta afirmação foi completamente refutada por estudos científicos. Nenhum estudo tem mostrado uma ligação entre as vacinas e o autismo. A crença de que as vacinas podem causar autismo é baseada em um estudo publicado em 1998, mas esse estudo foi retirado pela revista científica onde foi publicado, pois foi descoberto que era baseado em dados falsos e dados não confiáveis.

É importante destacar que muitos estudos e pesquisas científicas foram realizados desde então, e todos eles mostraram que não há qualquer ligação entre a vacinação e o autismo. A Organização Mundial da Saúde (OMS), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e outras instituições médicas e científicas em todo o mundo confirmam que não há qualquer ligação entre as vacinas e o autismo. Além disso, os benefícios da vacinação são muito maiores do que os riscos, e vacinar sua criança é a melhor forma de protegê-la contra doenças graves e potencialmente fatais.

Verdade: a vacina hexavalente é importante para proteger não só a criança, mas também a comunidade

A vacina hexavalente não apenas protege a criança individual, mas também ajuda a evitar a disseminação das doenças cobertas pela vacina para outras pessoas, especialmente aquelas que são mais vulneráveis, como recém-nascidos e idosos. Isso é conhecido como efeito de “imunidade coletiva”, onde uma alta taxa de vacinação em uma comunidade ajuda a interromper a transmissão de uma doença e protege aqueles que não podem ser vacinados. Isso é especialmente importante para as doenças cobertas pela vacina hexavalente, pois algumas delas, como a coqueluche, podem ser fatais para bebês e crianças pequenas.

Mito: as vacinas são desnecessárias porque as doenças já foram erradicadas

Alguns pais podem acreditar que as vacinas são desnecessárias porque as doenças cobertas pela vacina hexavalente já foram erradicadas no Brasil. No entanto, isso não é verdade. Enquanto algumas dessas doenças foram reduzidas significativamente devido à vacinação, elas ainda podem ser encontradas no mundo e podem ser trazidas para o Brasil através de viajantes internacionais. Se a taxa de vacinação cair, essas doenças podem voltar a se espalhar, causando epidemias. A vacinação contínua é essencial para manter a imunidade coletiva e prevenir a disseminação dessas doenças.

Verdade: a vacina hexavalente é recomendada para todas as crianças

A vacina hexavalente é recomendada para todas as crianças, independentemente de onde vivem ou seus níveis de saúde. A vacina é indicada para a vacinação rotineira de crianças (aos 2, 4, 6 meses e entre 12 e 18 meses).

A vacina é disponível nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), farmácias e demais serviços privados de vacinação. É importante consultar o seu pediatra ou profissional de saúde para garantir que seu filho esteja devidamente vacinado de acordo com as diretrizes de vacinação recomendadas.

Em conclusão, a vacina hexavalente é uma medida importante para proteger a saúde das crianças e também para manter a imunidade coletiva da comunidade. Embora possa haver mitos e crenças equivocadas sobre a vacinação, é importante lembrar que a vacinação é segura e eficaz, e recomendada para todas as crianças. Se você tem alguma dúvida sobre a vacinação hexavalente, é sempre recomendado falar com seu pediatra ou médico de família. Eles podem responder às suas perguntas e ajudá-lo a decidir se a vacinação é certa para sua criança.

Lembre-se de que a vacinação é uma das formas mais eficazes de prevenir doenças e proteger a saúde de sua criança, além de proteger a comunidade ao redor. Não vacinar sua criança, além de deixá-la vulnerável às doenças, pode colocar outras pessoas em risco também. Faça a escolha certa para sua criança e vacine-a de acordo com as diretrizes recomendadas.

Compartilhe

Gostou do artigo? Compartilhe em duas redes sociais

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Sumário

Veja essas outras categorias

Veja outros artigos

Outros conteúdos que você pode gostar

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias para personalizar e melhorar a sua experiência conosco. Para mais informações sobre cookies bem como para exercer o seu direito de desabilitá-los, consulte nossa Política de Privacidade.  Ao clicar em aceitar, você concorda com todos os cookies.